Zé Moleza | TCC, monografias e trabalhos feitos. Pesquise já!

Você está em Trabalhos Acadêmicos > Sociais Aplicadas > Pedagogia

Favoritos Seus trabalhos favoritos: 0

Publicidade

Trabalho em Destaque

Título: Expressionismos: Visão da Realidade: O poder expressionista da fotografia estética e em movimento

TIDIR – Expressionismos: Visões da Realidade: O poder expressionista da fotografia estática e em movimento Belo Horizonte 2009 Proposta Partiremos de duas proposições, sendo a primeira a de que, desde o início do cinema, a intensidade de imagens que diferenciam…

Publicidade

A Importância do Brincar e do Jogo na Educação Infantil

Trabalho enviado por: Lucila Back ferreira

Data: 06/05/2010

A Importância do Brincar e do Jogo na Educação Infantil

2009

 

 

 

RESUMO

O trabalho aborda alguns aspectos sobre a importância do jogo, do lúdico e do brincar, no cotidiano de uma criança, tanto na vida escolar como fora dela, e tem como objetivo geral pesquisar o significado do mesmo para a Educação Infantil. Sendo o tema desse estudo o jogo e a Educação Infantil, o estudo se fez através das bibliografias referentes ao tema para que se pudesse fundamentá-lo com teóricos da área. O estudo também buscou aprimorar seu embasamento em conversas informais com professores que atuam na Educação Infantil e nas Séries Inicias do Ensino Fundamental. A nova maneira de como a sociedade moderna vê a criança, fez com as políticas públicas voltassem seus olhares para o mundo infantil. Neste sentido as instituições que atendiam as crianças, chamadas até então de creches estão se transformando em escolas de Educação Infantil, um avanço necessário para o mundo moderno, visto que a sociedade cobra da escola o que não pode mais prover em casa.

O brincar e o brinquedo assumem definitivamente seu papel perante os educadores que agora sabem, que o lúdico das brincadeiras é uma preparação para a vida adulta, um jogo dotado de simbologias que a criança interpreta muito bem e a compartilha com seus amigos, socializando-se e desenvolvendo-se. As conclusões apenas reforçam as várias teorias a respeito, como as de Piaget e Vygotsky, que contribuíram muito para os educadores atuais. Ao professor de Ensino Fundamental e Educação Infantil fica a idéia de considerar o brincar não apenas como uma forma da criança interagir e sim de inter-relação, com ela e com os outros, e este com o mundo que o cerca, sendo assim uma maneira de atuação no mundo.

Palavras-chave: Educação Infantil – Criança – Jogo – Brincar – Brincadeira.

 

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO
1 EDUCAÇÃO INFANTIL
1.1 A CRIANÇA NO MUNDO ATUAL
1.2 A CRIANÇA E O BRINQUEDO
2 O JOGO NO CONTEXTO ESCOLA: PRÁTICA DOCENTE
2.1 O BRINCAR
2.2 O EDUCAR
2.3 O PROFESSOR E SUA RELAÇÃO COM A BRINCADEIRA DA CRIANÇA
CONSIDERAÇÕES FINAIS
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

INTRODUÇÃO

O motivo que nos levou a escolher esse tema sobre a importância do brincar e do jogo da Educação Infantil, somo nós. Sim, nós mesmos, pois ainda hoje nos lembramos das brincadeiras de infância com amigos, com as panelinhas, com as bonecas, e uma doce nostalgia toma conta de nós em alguns momentos de nossa vida. Hoje quando vemos uma criança sentimos uma tristeza ao ver que nem todas possuem a imaginação que nós tínhamos, por isso quando o filho, muitas vezes nos pergunta do que ele vai brincar. Ele fica decepcionado com a resposta que geralmente damos: - Ora, meu filho Invente!

Percebemos que a capacidade de inventar alguma brincadeira está cada vez mais escassa no mundo infantil. Nós brincávamos até com galhos de árvores, sabugo de milho, casinha, mesmo porque não havia tanta variedade de brinquedos nas lojas, e os que tinham eram caríssimos. A moda do brinquedo do Paraguai ou da 1,99 não existia. Os brinquedos eram mais caros e em compensação duravam mais.

Mas a questão aqui não está nos brinquedos, mas sim de como o brincar marca nossas vidas e infelizmente as crianças de hoje estão perdendo a capacidade de inventar brincadeiras, elas querem o brinquedo pronto, aquele que faz tudo. A imaginação deu lugar a tecnologia, onde as luzes e os sons dos brinquedos encantam aos olhos de qualquer pessoa, inclusive o adulto.

Por outro lado vivíamos até os seis anos de idade com a família dentro de casa, brincando na rua, com os parentes, com amigos, com irmãos e até mesmo com nossos pais e avós. Atualmente vivemos num mundo onde as avós, que em outro tempo recordamo-las tricoteando em uma poltrona, hoje ainda trabalham para garantir o sustento da casa. E eram as avós que ficavam com as crianças quando as mães saiam para trabalhar. Os costumes das famílias foram aos poucos transformando-se e a sociedade é cobrada das mais diversas formas.

Na educação, nunca antes foi visto crianças tão pequenas abarrotando as escolas, para completar o quadro o ensino fundamental que se iniciava aos 7 anos, hoje se inicia quando a criança está com 6 anos de idade, completando 9 anos de ensino e não mais os 8 que vigorava até então. O que antes chamávamos de creche, que era uma instituição voltada aos cuidados e reparos de crianças, hoje são Escolas de Educação Infantil e garantem além dos cuidados exigidos pela idade uma educação voltada ao seu mundo infantil. Neste universo novo que o mundo moderno criou há a necessidade de conhecer o quanto as brincadeiras na infância são significativas.

O presente estudo não pretende sanar todas as questões que envolvem o jogo e as brincadeiras na educação infantil, por acreditar que o assunto é vasto e a bibliografia é imensa. O tema não poderia ser outro senão, O jogo e a Educação infantil, que originou o título deste trabalho, “ A importância do brincar e do jogo na educação infantil”.

O trabalho tem como objetivo pesquisar o significado do jogo e das brincadeiras dentro de uma instituição infantil, e para tanto, foi preciso fundamentar a teoria que explica a importância do jogo e do brincar, no comportamento da criança, na escola, tendo em vista que o espaço educacional infantil, é o lugar onde as coisas acontecem, devido as crianças estarem desde cedo no convívio escolar.

A metodologia aplicada foram a pesquisa bibliográfica e algumas conversas informais com professoras de educação infantil, as quais não responderam nenhum questionário, apenas argumentaram de forma empírica suas experiências com crianças.

O trabalho está estruturado da seguinte forma: Capítulo 1 com o nome de Educação Infantil traz o início da educação infantil e como essa modalidade de ensino começou a mudar a concepção de infância na história. O capítulo 2 aborda o jogo no contexto escolar e contempla o brincar, o educar e fala da relação do professor com as brincadeiras das crianças. Por fim as considerações finais que traduzem as conclusões a que chegamos.

 

1 EDUCAÇÃO INFANTIL

A criança tem sido vista como um sujeito passivo e dependente porque sua aparência frágil tem o poder de causar no adulto um sentimento de proteção: entretanto, estudos e pesquisas têm mostrado, uma nova visão de criança. Essa nova visão nos permite compreender seu desenvolvimento cognitivo e a forma como ela constrói seu conhecimento, entendendo-a como sujeito que, desde o nascimento, está inserida num contexto social e dele participa ativamente.

 

1.1 A CRIANÇA NO MUNDO ATUAL

Hoje as crianças são vistas como seres em desenvolvimento com características próprias de seu tamanho e sua idade. Porém nem sempre foi assim.

Ao longo do século XX, cresceu o esforço pelo conhecimento da criança, em vários campos do conhecimento. Desde que o historiador francês Philippe Áries publicou, nos anos 1970, seu estudo sobre a história social da criança e da família, analisando o surgimento da noção de infância na sociedade moderna, sabemos que as visões sobre a infância são construídas social e historicamente (ARIES, 1981).

Antigamente a criança era caracterizada como um ser ingênuo, inocente, gracioso ou ainda imperfeito e incompleto. Estas noções se constituíram em elementos básicos que fundamentaram o conceito social, miniatura do adulto, abstrata e universal (SANTOS, 1999, p.9).

Na sociedade moderna, a criança é vista como um ser social e que possuem todos os direitos inerentes à pessoa humana, como afirma o Art. 2º do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)

Art. 2º A criança e o adolescente gozam do todos os direito fundamentais inerentes à pessoa humana, sem prejuízos da proteção integral de que trata esta lei, assegurando-se-lhes, por lei ou por outros meios, todas as oportunidades e facilidades, a fim de lhes facultar o desenvolvimento físico, mental, moral, espiritual e social, em condições de liberdade e de dignidade.(ECA, 2003, p.1)

Desta forma a criança recebe o amparo legal para sua condição e é tratada hoje como um ser em pleno desenvolvimento físico, cognitivo, emocional e social.

Numa sociedade desigual, as...

Para ver o trabalho na íntegra escolha uma das opções abaixo

Ou faça login



Crie seu cadastro