Zé Moleza | TCC, monografias e trabalhos feitos. Pesquise já!

Você está em Trabalhos Acadêmicos > Sociais Aplicadas > Ciências sociais

Favoritos Seus trabalhos favoritos: 0

Trabalho em Destaque

Título: Expressionismos: Visão da Realidade: O poder expressionista da fotografia estética e em movimento

TIDIR – Expressionismos: Visões da Realidade: O poder expressionista da fotografia estática e em movimento Belo Horizonte 2009 Proposta Partiremos de duas proposições, sendo a primeira a de que, desde o início do cinema, a intensidade de imagens que diferenciam…


Publicidade



Publicidade

O Que é Política Social de Vicente de Paula Faleiros

Trabalho enviado por: Fábio Ottoni Júlio

Data: 16/11/2004

O Que é Política Social


Introdução

O assunto que abordaremos visa à política social abrangendo vários temas na vida cotidiana de cada pessoa. Mostra-nos a realidade dos políticos que, aparecem como benfeitores, embora geralmente busquem o prestígio e que, por trás de um direito do povo, querem se beneficiar utilizando os programas sociais, sendo que todos são pagos pelos próprios trabalhadores.


O que é Política Social

O autor para falar sobre este tema teve que quebrar a cabeça e quebrar assuntos e temas que estão inter-relacionados: a fala das políticas sociais, seus mecanismos sua relação com a economia, com estados e as forças sociais e com as crises econômicas.

Em primeiro lugar mostra o discurso das políticas sociais e depois a vinculação entre o político e o econômico.

A análise das políticas sociais tem muitos caminhos: as políticas sociais ora são vistas com mecanismo de manutenção de força de trabalho, conquistas dos trabalhadores como arranjos do bloco no poder ou bloco governante, como doação das elites dominantes, instrumentos de garantia do aumento da riqueza ou dos direitos do cidadão.


A bondade aparente

Cada dia surge novos programas de assistência ao estudante, ao velho, ao índio, à criança, à mulher, ao deficiente, ao doente, ao prisioneiro, às cidades.

Os organismos privados e estatais estão muito entrosados na administração ou gestão cotidiana dos programas sociais formando um só conjunto que alguns autores chamam estado ampliado.

Em geral os programas se apresentam sob a forma de um benefício ou de um serviço. O benefício consiste num auxílio dado em certos casos específicos de perda ou diminuição da capacidade de trabalho a fim de garantir um mínimo de subsistência ao trabalhador ou ao pobre desempregado.

O serviço é uma relação entre uma instituição e uma cliente para atender problemas pessoais e/ou sociais.

Assim, existe nas previdências sociais auxílio-natalidade, na ocasião do nascimento de uma criança; auxílio-doença ou auxílio-acidente.

O presidiário também recebe auxílio e, quando o trabalhador morre sua família pode beneficiar-se de um auxílio funeral. Todos esses auxílios são inferiores ao salário do trabalhador, para que estes não perca o estímulo de trabalhar e produzir.

Os serviços educacionais, de orientação social, de assistência médica, de ajuda jurídica, e outros, compõem um conjunto importante de atividades oferecidas pelas instituições sociais.

São atividades exercidas por profissionais ou técnicos dentro de instituições e obedecem a normas muito detalhadas.

Esses auxílios e serviços, mesmo garantidos por lei, geralmente aparecem como favores à população. Assim, são implantadas em certas conjunturas políticas, como por exemplo, para cata de votos ou para prestigiar certos grupos que estão no bloco do poder, ou bloco governante.

Através destas medidas, o Estado e os Políticos aparecem como bons para o povo.

O trabalhador ou desempregado, não pode contar com seus filhos para sustentá-lo quando estiver na velhice, pois as formas de produção atuais destruíram a família extensa.

Essa forma tradicional de produção que se refletia no Código Civil, que obrigava os filhos a sustentarem os pais na doença e na velhice.

A família se organizava em torno da produção para o seu próprio sustento, compondo um grande aglomerado, denominado família extensa, que foi desintegrado pelo regime salarial da economia capitalista, em que o indivíduo é contratado pelo capitalista e não o grupo familiar.

Na forma atual de organização de produção o indivíduo sobrevive através de um emprego independente e as formas de vida não lhe dão condições de cuidar de velhos e doentes pois deve viver para trabalhar (e não trabalhar para viver).

O Estado, no entanto, utiliza no caso dos benefícios prestados uma fala que recobre ao modelo familiar para justificar sua política que são:

- A Previdência Social, por exemplo, é organizado em nome da solidariedade social: os jovens aparecem contribuindo para os aposentados, os empregados para os desempregados, os ativos para inativos, solteiros para os casados, neste último caso está compreendido o salário-familiar todas essas categorias dão a entender que a sociedade se assemelha a uma grande família.

Essa idéia de harmonia e colaboração social está subjacente tanto na promoção da caridade privada como nos sistemas mais complexos de seguro social. Este discurso surge na voz dos políticos e em seus escritos.

Getulio Vargas, chefe do governo de 1930 à 1945 e de 1950 e 1954 apresenta políticas sociais, segundo ele viriam diminuir as questões, as disputas e os conflitos entre os empregadores e empregados pela uma garantia de proteção social.

Essas idéias de proteção social, Estado e empregados também serviram de justificativas ao presidente Bismark, da Alemanha, na implantação do primeiro sistema previdenciário estatal, em 1871.

Na colaboração entre patrões e empregados não visa melhorar as relações entre dois indivíduos mais reduzir os conflitos entre as classes sociais.

Juscelino Kubitschek, chefe do governo de 1955 à 1960, propagava a idéia de desenvolvimento para reforçar a colaboração entre povo e governo, no sentido de ampliar o entrosamento entre Estado e massas.

As idéias de colaboração de classe e proteção social foram muito defendidas pela igreja católica nas encíclicas papais, Leão VIII, em 1891, escreveu uma encíclica, chamada Rerum Novarum, em que postula a proteção aos trabalhadores através de certas reformas sociais, com a adoção de um "salário justo", de benefícios sociais e de organizações sindicais. Entre os benefícios sugeridos pelo papa está o repouso dominical.

Segundo o papa, a proteção ao trabalhador seria uma forma de harmonizar os ricos com os pobres.

Vinculando a expansão do capitalismo encontra-se o desenvolvimento da tecnologia e dos equipamento de produção, com novos equipamentos de saúde, lazer, transporte, comunicação. As políticas sociais também passaram a significar implantação de áreas de lazer e esportes, escolas, praças, creches, espaços culturais. Um exemplo disso é o exemplo de Esporte para Todos (EPT), do governo federal.

Como o homem deveria tornar-se mais...

Para ver o trabalho na íntegra escolha uma das opções abaixo

Ou faça login



Crie seu cadastro




English Town