Zé Moleza | TCC, monografias e trabalhos feitos. Pesquise já!

Você está em Trabalhos Acadêmicos > Humanas > Direito

Favoritos Seus trabalhos favoritos: 0

Trabalho em Destaque

Título: Teorias de Taylor, Ford, Fayol e Weber

Teorias de Taylor, Ford, Fayol e Weber, aplicadas na Empresa Bradesco S/A. São Paulo 2009 Sumário 1Introdução 2Frederick Winslow Taylor4 2.1Princípios de Taylor 3Henry Ford 4Jules Henri Fayol 4.1Princípios Básicos 4.2Funções Administrativas 5Maximillian Carl Emil Weber 5.1Analise da Obra 5.2Princípios…


Publicidade



Publicidade

Representante Comercial – Natureza Mercantil de sua Atividade

Trabalho enviado por: Luana Mendes Almeida

Data: 16/12/2003

Representante Comercial - Natureza Mercantil de sua Atividade


1. o aparecimento da representação comercial como figura jurídica

A figura do representante comercial surgiu recentemente como categoria jurídica própria. A atividade de mediação entre contratantes era tradicionalmente desempenhada pelos corretores, ou pelos mandatários e comissários, como auxiliares independentes do comércio. Quando as empresas tomaram maior vulto, com a expansão dos mercados e melhores vias e meios de comunicação, intensificou-se novo estilo de atividade mediadora, através dos caixeiros-viajantes, comumente conhecidos, no interior do Brasil, como "cometas". Em decorrência de sua inusitada atividade; sobretudo em nosso país, logo ocuparam eles o lugar dos "mascates", comerciantes ambulantes, que supriam diretamente os habitantes da hinterlândia.

Com o surgimento das indústrias, o comércio prosperou e novos prosperou de. intermediação se desenvolveram para atender a sempre crescente

expansão do mercado interno. E assim a mediação se impôs como atividade auxiliar e independente das empresas industriais e atacadistas, que se valiam dela para atingir, mais funcional e economicamente, a clientela disseminada por toda parte. Destaca-se agora com nitidez o perfil do representante comercial. O Direito não pode mais desconhecer a representação comercial como contrato autônomo, distinto da corretagem, do mandato ou da locação de serviços.


2. Conceito

Em virtude da nova modalidade de contrato que surge, a atividade se prestigia e se profissionaliza. Criam os representantes comerciais consciência de classe. Formam os seus sindicatos e se reúnem em congressos. O direito positivo passa a considerá-los na legislação moderna, atendendo aos seus clamores e reivindicações. Julius von Gierk saúda como "fato glorioso" haver o Código alemão a eles dedicado um capítulo inteiro. Vivante, no começo do século, vai colher subsídios jurídicos nas suas entidades de classe e em seus congressos, que prepararam vários projetos de legislações, "os quais foram tomados em consideração na presente tratação".

Hoje os países mais adiantados inserem no corpo de suas leis a disciplina jurídica do contrato de representação comercial e a regulamentação das

atividades de seus agentes. Aliás, nosso País foi dos últimos a legislar sobre a matéria, em 1965, quando surgiu a Lei n.o 4.886, que "regula as atividades dos representantes comerciais autonômos".


3. Dúvidas sobre a natureza mercantil da atividade do representante comercial

A lei brasileira conceituou a representação comercial, no art. 1º, dispondo que " exerce a representação comercial autônoma a pessoa jurídica ou 5 pessoa física, sem relação de emprego, que desempenha, em caráter não eventual, por conta de uns ou mais pessoas, a...

Para ver o trabalho na íntegra escolha uma das opções abaixo

Ou faça login



Crie seu cadastro




English Town