Zé Moleza | TCC, monografias e trabalhos feitos. Pesquise já!

Você está em Trabalhos Acadêmicos > Humanas > Administração

Favoritos Seus trabalhos favoritos: 0

Trabalho em Destaque

Título: Expressionismos: Visão da Realidade: O poder expressionista da fotografia estética e em movimento

TIDIR – Expressionismos: Visões da Realidade: O poder expressionista da fotografia estática e em movimento Belo Horizonte 2009 Proposta Partiremos de duas proposições, sendo a primeira a de que, desde o início do cinema, a intensidade de imagens que diferenciam…


Publicidade



Publicidade

Qualidade de Vida no Trabalho

Trabalho enviado por: Daniel Ferreira

Data: 22/04/2003

Qualidade de Vida no Trabalho

 

Introdução:

Atualmente, o conceito de Qualidade de vida no Trabalho envolve tanto os aspectos físicos e ambientais como os aspectos psicológicos do local de trabalho, e é também sem dúvida uma preocupação crescente em todas as empresas que buscam ser altamente competitivas, em mercados cada vez mais globalizados. A QVT assimila duas posições antagônicas: de um lado a reivindicação dos empregados, quanto ao bem estar e satisfação no trabalho; e, de outro, o interesse das organizações quanto ao seus efeitos potenciais sobre a produtividade e a qualidade. Hoje, há uma unanimidade na certeza de que o homem é o principal elemento diferenciador, e o agente responsável pelo sucesso de todo e qualquer negocio. A QVT afeta atitudes pessoais e comportamentos relevantes para produtividade individual e grupal, tais como: motivação para o trabalho, adaptabilidade a mudanças no ambiente de trabalho, criatividade e vontade de inovar ou aceitar mudanças.

Como poderão as empresas ser bem sucedidas sem a satisfação dos seus funcionários?

Será possível se obter a satisfação dos clientes, a partir de funcionários desmotivados ou insatisfeitos?

Todas as organizações e os profissionais que têm visão de futuro já tem esta resposta de forma muito claro: Qualidade de vida no trabalho é uma questão de competitividade


2. Fatores Chaves

Condições de Trabalho

  • Limpeza
  • Arrumação
  • Segurança
  • Insalubridade

Saúde

  • Assistência
  • Educação
  • Saúde Ocupacional

Moral

  • Identidade na tarefa
  • Relações Inter-pessoais
  • Reconhecimento/ Feedback
  • Orientação para pessoas
  • Garantia de Emprego

Compensação

  • Salários
  • Salário Variável
  • Benefícios

Participação

  • Criatividade
  • Expressão Pessoal
  • Repercussão de Idéias Dadas

Comunicação

  • Conhecimento Metas
  • Fluxo de Informações
  • Veículos Formais

Imagem Empresa

  • Identificação com Empresa
  • Imagem Interna
  • Imagem Externa
  • Responsabilidade Comunitária
  • Enfoque no Cliente

Rel. Chefe/ Subord.

  • Apoio Sócio Emocional
  • Orientação Técnica
  • Igualdade de Tratamento
  • Gerenciamento pelo Exemplo

Organização do Trabalho

  • Grupos de Trabalho
  • Variedade
  • Ritmo
  • Inovações/Métodos/Processos

 

3. "O QUE IMPEDE UM BOM AMBIENTE DE TRABALHO"

A qualidade de vida do indivíduo fora da empresa e um fator essencial para beneficiar o ambiente profissional, tendo em vista que o reflexo desse componente e a expansão desse sentimento de bem-estar para o todo.

Partindo-se desse pressuposto, podemos agregar inúmeros fatores esternos e próprios do ambiente profissional que prejudicam o bom convívio. Entre eles podemos destacar:

  • falta de comando gerando inseguranças e incertezas com relação ao papal e meta de cada um;
  • falta de organização, gerando retrabalho e improdutividade;
  • ineficiência de uma boa comunicação ocasionando imensos ruídos;
  • ausência do espirito de equipe que deve haver entre as pessoas para fazer com que a sinergia entre elas e as tarefas sejam realizadas com eficiência e eficácia;
  • aspectos físicos ambientais como:

- ma iluminação;
- ruídos;
- falta de espaço, entre outros.

 

Em toda organização e essencial o comando tanto em relação os gerente geral quanto ao líder de equipe.

Em relação ao gerente geral, já que este deve subdividir as tarefas para cada área impedindo que os funcionário atuem em completa liberdade ("laissez-faire"), o que faz com que as tarefas se desenvolvam ao acaso, perdendo tempo com discussões mais voltados para o pessoal originando uma pequena produção e a pior qualidade desta e, em relação ao líder, ao passo que são pessoas que têm o poder de união e conseguem disseminar o clima de confiança entre a equipe.

O relacionamento profissional, em especial a relação chefe-subordinado deve ser a mais trabalhada pela empresa. Um regime ditatorial acaba com todas as iniciativas para se ter um bom ambiente de trabalho. A atuação em grupo com a gerência participativa deve existir em todas as empresas, uma vez que oferecem uma melhor resolução de problemas que aparecem no dia-a-dia.

E importante citar que para um bom resultado do trabalho em equipe deve haver um sentimento de confiança para assim, criar um clima amistoso e um melhor dialogo. No trabalho em equipe, e muito difícil lidar com varias personalidades ao mesmo tempo quando algumas insistem em complicar as coisas por falta de equilíbrio emocional, pela competição, pela insegurança ou pelo desanimo. Infelizmente existem pessoas que fazem do trabalho um sofrimento e acham que isso deve ser para todos, fazendo com que o grupo perca harmonia e considerem tudo realmente muito difícil.

Outro fato importante para ressaltarmos e a globalização e as novas tecnologias que trouxeram uma nova forma de relacionamento entre as empresas e as pessoas. O profissional teve de se adaptar a essas mudanças, vivendo um dia-a-dia de muita disputa, mercado de trabalho competitivo e pressões corporativas cada vez maiores. Esse ambiente competitivo gera o canibalismo dentro das equipes; cada indivíduo foca seus esforços numa tentativa de ascensão e promoção pessoal. Fofocas, individualismo e falhas na comunicação interna dificultam os relacionamentos tornando a função do gerente fundamental, pois cada vez mais ele tem de exercer uma liderança e conduzir as pessoas para o objetivo comum: o sucesso da organização.

Alem de todos estes pontos a empresa deve dar enfoque ao aspectos físicos ambientais. A empresa não deve se localizar em locais de difícil acesso, sem opções de transporte ou estacionamento. As instalações não devem ser sujas, escuras ou apertadas, para que as pessoas tenham conforto ao trabalhar evitando complicações físicas, como por exemplo a LER que também traz prejuízos financeiros para a empresa.

A LER ( lesões por esforços repetitivos), agora conhecido como DORT (distúrbio osteomuscular relacionados ao trabalho) e uma doença dos tempos modernos que acometem os funcionários de empresas que executem atividades repetitivas por um longo período de tempo. Essas afecçoes ocorrem nos tendões, músculos, nervos e ligamentos, isoladamente ou associadamente.

Um programa direcionado a melhorar a QVT, pode levar a um distanciamento ou à diminuição da doença no ambiente de trabalho. A ginastica laboral, executada no próprio local de trabalho, e atualmente, uma atividade bastante bastante implantada nas empresas, que deve também ter melhores ferramentas à disposição (microcomputadores, impressoras, softwares, etc.) para que os profissionais possam trabalhar satisfeitos e atingir seus objetivos.

Para que esses fatores sejam incorporado à empresa, essa deve ter consciência do seu papel fundamental como agente corporativo de mudanças, visando ao bem-estar e à saude de seus colaboradores.

 

4. FATORES DETERMINANTES DA QVT

Critérios:

4.1 Compensação justa e adequada: Categoria que visa mensurar a qualidade de vida no trabalho em relação a remuneração recebida pelo trabalho realizado, desdobrando-se em três critérios:

  • Remuneração Adequada: Remuneração necessária para o empregado viver dignamente dentro das necessidades pessoais e dos padrões culturais, sociais e econômicos da sociedade em que vive.
  • Equidade Interna: Equidade na remuneração entre outros membros de uma mesma organização.
  • Equidade Externa: Qualidade na remuneração em relação a outros profissionais no mercado de trabalho.

4.2 Condições de Trabalho: Categoria que mede a qualidade de vida no trabalho em relação as condições existentes no local de trabalho, apresentando os seguintes critérios:

  • Jornada de Trabalho: Número de horas trabalhadas, prevista ou não pela legislação e sua relação com as tarefas desempenhadas.
  • Carga de Trabalho: Quantidade de trabalho executados em turno de trabalho.
  • Ambiente Físico: Local de trabalho e suas condições de bem estar( Conforto ) e organização para o desempenho do trabalho.
  • Material e Equipamento: Quantidade e qualidade de material disponível para a execução do trabalho.
  • Ambiente Saudável: Local de trabalho e suas condições de segurança e saúde em relação aos riscos de injuria ou de doenças.
  • Estresse: Quantidade percebida de estresse a que o profissional é submetido na jornada de trabalho.

4.3 Uso e Desenvolvimento de Capacidades: Categoria que visa a mensuração da Qualidade de Vida no Trabalho em relação as oportunidades que o empregado tem de aplicar, no seu dia a dia, seu saber e suas aptidões profissionais. Entre os critérios, destacam-se os seguintes:

  • Autonomia: Medida perdida, ao indivíduo, de liberdade substancial, independência e descrição na programação e execução do seu trabalho.
  • Significado da Tarefa: Relevância da tarefa desempenhada na vida e no trabalho de outras pessoas dentro ou fora da instituição.
  • Identidade da Tarefa: Medida da tarefa na sua integridade e na avaliação do resultado.
  • Variedade da Habilidade: Possibilidade de utilização de uma larga escala de capacidades e habilidades do indivíduo.
  • Retroinformação: Informação ao indivíduo acerca da avaliação do seu trabalho como um todo, e suas ações.

4.4 Oportunidade de Crescimento e Segurança: Categoria que tem por finalidade medir a QVT em relação as oportunidades que a instituição estabelece para o desenvolvimento e o crescimento pessoal de seus empregados e para a segurança do...

Para ver o trabalho na íntegra escolha uma das opções abaixo

Ou faça login



Crie seu cadastro




English Town