Zé Moleza | TCC, monografias e trabalhos feitos. Pesquise já!

Você está em Trabalhos Acadêmicos > Biológicas > Biologia

Favoritos Seus trabalhos favoritos: 0

Trabalho em Destaque

Título: Teorias de Taylor, Ford, Fayol e Weber

Teorias de Taylor, Ford, Fayol e Weber, aplicadas na Empresa Bradesco S/A. São Paulo 2009 Sumário 1Introdução 2Frederick Winslow Taylor4 2.1Princípios de Taylor 3Henry Ford 4Jules Henri Fayol 4.1Princípios Básicos 4.2Funções Administrativas 5Maximillian Carl Emil Weber 5.1Analise da Obra 5.2Princípios…


Publicidade



Publicidade

Fisiologia das Plantas Angiospermas

Trabalho enviado por: Lucas Ferreira de Paula

Data: 22/04/2003

Fisiologia das plantas angiospermas


Condução da seiva bruta

Água e vários tipos de nutrientes minerais extraídos do solo pelas plantas são levados até as folhas, onde serão utilizados em diversas reações vitais. A solução constituída de água e de nutrientes inorgânicos que se desloca das raízes para as folhas é chamada seiva bruta


Transporte da seiva bruta no xilema

O movimento de subida da seiva bruta das raízes até as folhas pode depender de pelo menos três fenômenos: capilaridade, pressão positiva da raiz e transpiração.

Capilaridade:

É um fenômeno físico que resulta das propriedades de adesão e de coesão manifestadas pelas moléculas de água. A água sobe espontaneamente por um tubo de pequeno calibre porque suas moléculas, eletricamente carregadas, têm afinidade pela superfície do tubo. Além disso, as moléculas de água mantêm-se coesas, isto é, unidas entre si, devido às pontes de hidrogênio que formam. A água pára de subir no tubo capilar quando a força de adesão torna-se insuficiente para vencer o peso da coluna líquida. A capilaridade é suficiente para elevar a seiva bruta a porco mais de meio metro acima do nível do solo.

Pressão positiva da raiz:

Os sais que penetram na raiz são continuamente bombeados para dentro do xilema, e seu retorno ao córtex, por difusão, é dificultado pelas estrias de Caspary. A diferença de concentração salina entre o cilindro central e o xilema forca a entrada de água por osmose, que gera a pressão positiva da raiz. Esta faz a seiva subir pelos vasos xilemáticos.

Para os cientistas a pressão positiva da raiz não desempenha papel importante na ascensão da seiva bruta, pois, além de muitas plantas não apresentarem esse fenômeno, ele não consegue explicar o movimento de água até a copa das árvores.

A pressão positiva da raiz geralmente ocorre quando o solo está encharcado e a umidade do ar é elevada. Nessas condições, plantas de pequeno porte eliminam o excesso de água que chega às folhas através de estruturas chamadas hidatódios. O processo de eliminação de água pelos hidatódios é denominado gutação.

Transpiração

Animais e vegetais transpiram, isto é, perdem água por evaporação. Nas plantas, a transpiração ocorre fundamentalmente nas folhas, que apresentam ampla superfície exposta ao ambiente, e é considerada a principal força responsável pela subida de água pelo xilema. À medida que a água evapora, toda a coluna líquida dentro dos vasos xilemáticos é arrastada para cima, uma vez que as moléculas de água mantêm-se unidas por forcas de coesão. O processo seria comparável ao de aspirar refresco por um canudinho. Calcula-se que a forca criada pela transpiração seja suficiente para elevar a coluna de água dentro de um vaso xilemático a mais de 160 metros de altura. Essa explicação para o transporte de seiva bruta pelas plantas constitui a Teoria de Dixon (Henry H. Dixon, botânico irlandês, 1869-1953) ou Teoria da coesão-tensão.


Absorção de sais minerais pela raiz

Os nutrientes minerais

As plantas necessitam de quantidades relativamente grandes de determinados elementos químicos, como o nitrogênio (N), o potássio (K), o cálcio (Ca), o fósforo (P), o enxofre (S) e o magnésio (Mg). Por isso esses elementos são chamados macronutrientes ou macroelementos. Já elementos químicos como o cloro (Cl), o boro (B), o manganês (Mn), o zinco (Zn), o cobre (Cu), o molibdênio (Mo) e o ferro (Fe) são necessários em pequena quantidade, e por isso recebem o nome de micronutrientes ou microelementos.

A falta de algum desses nutrientes causa sintomas específicos nas plantas. Por exemplo, se faltar magnésio, as folhas ficarão amarelas.


Fisiologia das folhas

Estrutura e função dos estômatos

Apesar de a cutícula que reveste as folhas ser bastante impermeável, há uma pequena perda de água através dela, chamada transpiração cuticular. A maior taxa de transpiração ocorre, porém, pelos estômatos, quando eles se abrem para que a planta possa absorver o gás carbônico necessário à fotossíntese. Essa é a transpiração estomatar.

Células-guardas

O estômato é uma estrutura epidérmica que permite controlar a entrada e a saída de gases e vapor de água na planta....

Para ver o trabalho na íntegra escolha uma das opções abaixo

Ou faça login



Crie seu cadastro




English Town