Zé Moleza | TCC, monografias e trabalhos feitos. Pesquise já!

Você está em Trabalhos Acadêmicos > Humanas > Administração

Favoritos Seus trabalhos favoritos: 0


Publicidade

Trabalho em Destaque

Título: A Proteção Social

1 INTRODUÇÃO O nascedouro foi em 1883, na Alemanha com o Chanceler Bismarck. Foi um marco tanto da Seguridade Social como da Previdência Social (primeiro sistema escrito de previdência social – seguro social). A forma de contribuição ou custeio para…


Publicidade

50 Empresas que Mudaram o Mundo

Trabalho enviado por: Renan

Data: 23/11/2005

AS 50 EMPRESAS QUE MUDARAM O MUNDO


1 - Microsoft Corporation

Você pode amá-la ou odiá-la, mas não há como negar: a Microsoft é atualmente a empresa mais poderosa do mundo. A Microsoft não é a maior do mundo nem a mais valiosa. Paul Allen viu o futuro em 1975 quando pegou uma cópia de Popular Mechanics com o Altair do MITS na capa. Gates também ficou entusiasmado e saiu da Harvard para seguir seu amigo no Novo México. Ambas foram atraídas pelo alvoroço do Altair. Esta não seria, é óbvio, a última vez que Gates e sua empresa seriam acusados de impor sua vontade ao mundo dos computadores.

Mais licenças para o Basic foram rapidamente negociadas, inclusive para os recém-lançados computadores Commodore PET e TRS-8o (juntamente com um destaque do norte da Califórnia chamado Apple). Quando os rendimentos aproximaram-se de US$ 400.000, Gates e Allen decidiram mudar seu centro de operações para Bellevue, Washington.

Após fazer um acordo com uma firma japonesa para começar a comercializar o Basic no exterior, os negócios da Microsoft começaram a se acelerar. A Microsoft então com 40 funcionários, inclusive um jovem executivo chamado Steve Ballmer, que havia chegado recentemente da Procter & Gamble não tinha nada do tipo em desenvolvimento. Sendo assim, Gates comprou um programa chamado QDOS (que significava Quick and Dirty Operating System Sistema Operacional Rápido e Sujo) da Seattle Computer Products por US$ 50.000. Sua empresa então o adaptou para satisfazer às necessidades da IBM e o rebatizou de MS-DOS (Microsoft’s Disk Operating System Sistema Operacional em Disco da Microsoft), e terminou no lugar exato com o produto certo quando as vendas do IBM-PC explodiram no seu lançamento, em 1981. Os rendimentos atingiram US$ 16 milhões e a base de funcionários triplicou para satisfazer a demanda.

Nos 16 meses seguintes à primeira oferta do MS-DOS, a empresa o licenciou para mais 50 fabricantes de hardware, e a Microsoft realmente decolou. Porém, conforme sua riqueza crescia e o poder da empresa aumentava, o mesmo ocorria com as queixas sobre a Microsoft. O final da década de 1980 testemunhou o avanço rápido e contínuo da Microsoft. A Microsoft acreditava que ele mudaria o mundo do computador pessoal para sempre e o lançou em uma campanha publicitária de US$ 100 milhões. Essa marca impressionante foi atingida enquanto a Microsoft celebrava seu 15º aniversário. O sucesso da Microsoft e os protestos que acompanharam seu caminho multiplicaram-se durante a década de 1990. Milhões de pessoas em dezenas de países passaram a usar o Windows, conforme as atualizações do software foram disponibilizadas. Os rivais, entretanto, reclamavam cada vez mais de suas práticas, mesmo depois que um acordo com o Departamento de Justiça dos EUA levou à alteração de alguns procedimentos controversos da empresa.

A Microsoft marcou seu 20º aniversário com o lançamento do Windows 95 que finalmente se tornou comparável em facilidade de uso ao sistema operacional da Apple. A Microsoft acoplou seu novo navegador Internet Explorer nesta versão para combater seu atraso em relação ao competidor Netscape no campo de batalha cada vez mais quente do espaço cibernético. Elas lançaram o serviço online Microsoft Network para captar a fatia de mercado do líder América Online. Gates duplicou seu empenho em softwares relacionados à internet, mas seu progresso trouxe ainda mais inspeção governamental sobre a empresa. No ano seguinte, foi ordenado que a Microsoft fosse dividida em duas empresas separadas: uma para cuidar dos sistemas operacionais e a outra para cuidar dos aplicativos. A companhia protestou com veemência e, no meio do ano 2000, a Corte Suprema dos EUA declarou que um longo processo de apelação deveria ser realizado antes que qualquer resolução fosse determinada.

Observadores concluíram que a decisão sobre a divisão da Microsoft levaria anos para ser tomada. E Gates, a pessoa mais rica do mundo e líder desta empresa tão poderosa, acalmou-se para tornar sua empresa ainda mais influente com o início do século XXI.

2 - AT&T Corporation

A American Telephone and Telegraph foi a empresa ancestral do monopólio legalmente sancionado conhecido como Ma Bell e cresceu em proporções gigantescas enquanto fornecia aos Estados Unidos o melhor serviço telefônico do mundo. Apesar dos temores de um subseqüente desastre tanto para a companhia quanto para a infra-estrutura de telecomunicações que esta havia criado , a nova AT&T novamente conduziu sua indústria como um equipamento integrado e provedor de serviços centrado na realização de ligações de longa distância. Alexander Graham Bell vinha tentando inventar uma versão falada do telégrafo... Em 1881, Vail havia instalado conversores operados por licenciados da AT&T na maioria das cidades dos EUA, de qualquer tamanho. Vail era o novo presidente da empresa, mas diferenças com financistas levaram à sua renúncia em dois anos. A empresa prosseguiu na direção que ele havia determinado, entretanto, e continuou a construir seu sistema nacional de longa distância a partir de Nova York. Com as patentes de Bell vencendo e empresários de vários outros lugares entrando no negócio da telefonia, os produtos inovadores e o serviço de longa distância não eram suficientes para garantir o futuro da AT&T. De 1894 a 1904 mais de 6 mil companhias telefônicas independentes começaram a operar, enquanto o número de telefones rapidamente cresceu de menos de 300 mil para mais de 3 milhões. Muitas partes do país recebiam serviço da primeira empresa, mas outras repentinamente se encontraram abrigando a competição entre dois ou mais fornecedora. Enquanto isso, Vail retornava a AT&T como presidente e sabia instintivamente como proceder.

Durante os 20 anos de sua ausência, Vail havia decidido que o sistema telefônico do país seria mais eficaz se fosse operado como um monopólio regulado pelo governo. Ele propôs exatamente isso no Relatório Anual da AT&T de 1907. Ele seguiu com uma campanha publicitária recomendando tal status como o único caminho pelo qual a companhia poderia distribuir a conectividade telefônica exigida tanto pêlos governantes quanto pelo público. Muito antes da aposentadoria de Vail, em 1919, o Compromisso de Kingsbury finalmente levou sua empresa ao domínio total do ramo de telefonia dos EUA e permitiu que ela expandisse suas operações de equipamentos para outros países com sucesso.

A AT&T continuou subindo após a despedida de Vail. Em pouco tempo, a AT&T diminuiu ou vendeu a maioria desses projetos periféricos. Na Segunda Guerra Mundial, Bell estava fabricando 90% de todo o equipamento telefônico dos EUA e controlando 98% do mercado de longa distância. O número de americanos com serviço telefônico também cresceu conforme a AT&T havia prometido, alcançando 50% em 1945, 70% em 1955 e 90% em 1969. No entanto, nem mesmo a instalação de telefones em praticamente todos os lares americanos conseguiu impedir os reguladores federais de lançar olhares desconfiados ao acordo de favorecimento concedido à AT&T décadas antes. Isto levou a decreto de consentimento sob o qual a AT&T concordou em limitar suas atividades ao trabalho governamental e ao negócio regulamentado do sistema telefônico nacional.

A AT&T era, então, a maior empresa do mundo empregando aproximadamente 1 Milhão e com mais propriedades do que General Motors, Exxon e Mobil juntas , e os oficiais federais estavam cada vez menos à vontade com o fato de que ela cuidava de 80% do mercado de telecomunicações em expansão dos EUA. Enquanto os procedimentos legais arrastavam-se, a AT&T percebeu que seria inevitavelmente forçada a desagregar as 22 empresa regional por meio das quais fornecia serviço telefônico local. Ao anunciar que estava se preparando para sua visão do futuro no "tratamento de informações de negócios", ela começou a criar novas iniciativas para o dia que fosse liberada do controle governamental. No ano seguinte, ele diversificou suas atividades novamente formando uma aliança com a British Telecom para fornecer serviço de telefonia celular no mundo todo.

Algumas poucas aquisições adicionais foram feitas, mas na virada do século o crescimento da AT&T diminuiu.

3 - Ford Motor Company

A primeira afirmação da Ford Motor Company para a entrada no hall da fama corporativo sempre foi invenção da linha de montagem, uma inovação muito simples, porém, impressionantemente eficiente, que mudou completamente o curso da manufatura. Em anos posteriores, a Ford também se tornou conhecida como uma gigante global, uma unificadora de algumas das marcas mais conhecidas no ramo dos automóveis, e até mesmo como uma líder da explosão industrial em direção à internet. Em uma indústria que nunca foi associada ao ativismo "verde", muitos consideram a condução da Ford nesta direção totalmente surpreendente. Isso começou em maio do ano 2000, quando o recém-nomeado presidente William Clay Ford Jr. bisneto do fundador Henry Ford admitiu pela primeira vez que os veículos utilitários esportivos emitem mais poluição do que os carros e podem ser perigosos para outros na estrada. A Ford Motor Company iniciou operação em 1903, quando Henry Ford e 11 associados levantaram US$ 28 mil para abrir uma manufatura de vagões em uma pequena fábrica em Detroit. Inicialmente vice-presidente e engenheiro-chefe da companhia, Ford vinha ansiando por isso por quase toda sua vida. Durante os 14 meses seguintes, vendeu mais 1.700.

Nascido em 1863 em Greenfield Township, no Michigan, Ford sempre preferiu a ocupação mecânica às tarefas da fazenda que ele deveria realizar com seus cinco irmãos mais jovens. Ford pulou do vagão em que estava viajando com seu pai para examiná-lo e decidiu ali mesmo que seria um engenheiro. Os primeiros anos da Ford Motors foram realmente emocionantes. A firma expandiu-se rapidamente, abrindo a Ford Motor Company do Canadá apenas um ano após sua fundação. Em 1907, ela estava exportando carros para a Europa. Em uma década, tinha fábricas na Austrália, América do Sul e Japão. Ao mesmo tempo, Ford continuou trabalhando com novos projetos. Um dos que conseguiram foi o Modelo N, um impetuoso veículo de quatro cilindros que foi vendido pôr US$ 500. Uma vez que ele era praticamente o único responsável por esses primeiros produtos, não foi surpreendente que Ford logo se tornasse o presidente da empresa e seu sócio majoritário.

Ford colocou suas habilidades de engenheiro em ação para resolver o problema e, em 1913, encontrou um meio de acelerar a produção ao usar e melhorar uma recente inovação da produção chamada de linha de montagem. Porém, nem mesmo a Grande Depressão conseguiu parar Ford. O neto Henry Ford II assumiu, com as responsabilidades diárias indo para combatentes pesados, como Robert McNamara (que renunciou em 1961 para se tornar Secretário da Defesa) e Lee lacocca (que saiu em 1978 para assumir a presidência da Chrysler). Apenas cinco anos depois, entretanto, outro período de dificuldade e estagnação levou a Ford à sua maior perda anual de todos os tempos. No meio da década de 1990, enquanto produzia seu veículo de número 250 milhões, a Ford iniciou uma série de mudanças que tinham o mais longo alcance desde que Henry Ford iniciou sua linha de montagem. Liderando todas elas, estava o Ford 2000, um plano ambicioso para eliminar cópias no mundo todo. Elas também incluíram o desenvolvimento de vários modelos inovadores, um contrato com a Nissan para vender Fords no Japão e a aquisição da Hertz, a maior empresa de aluguel de carros do mundo. O mais impressionante programa de todos tem sido o esforço da Ford para "misturar indústria com ambientalismo", como o diretor-geral e herdeiro familiar disse à Newsweek na primavera do ano 2000 mas que está longe de ser o final da transformação pela qual a empresa vem passando. Menos de um mês após esse anúncio, a empresa tornou-se uma das primeiras a oferecer benefícios médicos totais para parceiros do mesmo sexo de seus funcionários e, um mês depois, anunciou que poderia começar a construir carros em fábricas japonesas mantidas por sua parceira Mazda Motor Corporation no ano 2002.

Henry Ford poderia não ter concordado com todas essas medidas.

4 – Apple Computer

Era uma vez, em uma história bastante contada, dois jovens chamados Steve que praticavam um tipo de alquimia do século XX em um bairro típico do norte da Califórnia... No Dia da Mentira de 1976, eles tomaram emprestado o nome do selo usado por seus músicos preferidos (os Beatles) e trouxeram o primeiro computador Apple à luz.

Muitos daqueles que estavam a seu serviço tornaram-se muito mais ricos do que jamais haviam sonhado. Os dois jovens Steves estavam no topo do mundo.

A maioria dos presentes viu o potencial. Jobs imaginou um plano de negócio.

Os dois então foram aos negócios na garagem da casa dos pais de Jobs, em Los Altos.

Markkula era um engenheiro elétrico recém-aposentado da Intel que se tornou um multimilionário em sua oferta pública inicial. Com Wozniak concentrado nas questões técnicas, Jobs e Markkula recolheram dinheiro e compromissos de empréstimo, arrendaram um prédio em Cupertino e associaram-se formalmente no terceiro dia de 1977.

Seu primeiro computador, o Apple II, foi lançado aproximadamente 15 meses mais tarde. As vendas anuais rapidamente alcançaram US$ 300 milhões, colocando a empresa no ranking Fortune 500 e atraindo a atenção da mídia (juntamente com possíveis competidores, como a Tandy e a Comodore). Multidões de adeptos formaram uma fila atrás da tecnologia. Em 1980, as vendas de computadores pessoais chegaram a US$ 1 bilhão.

A gangue da Apple havia captado mais de 15% do movimento em rápida expansão quando a IBM tardiamente percebeu que não podia mais ignorar aqueles iniciantes. E, quando o rei dos mainframes entrou no mercado dos computadores pessoais, sua imagem tradicional de terno e gravata (para não mencionar sua longa herança eletrônica) mostraram-se convincente para os negócios maiores. O apelo antes insaciável da Apple que sempre confiou fortemente nos hobbistas, educadores e tipos artísticos nunca entrou realmente no mundo empresarial repentinamente parou de crescer. Jobs e a Apple estavam convencidos de que prevaleceriam. Ao mesmo tempo, eles ampliavam consistentemente sua liderança tecnológica.

A próxima inovação técnica de impacto da empresa começou a se formar logo depois que Jobs passou pelo Centro de Pesquisa da Xerox em Paio Alto (PARC), em 1979. A Xerox produziu um computador muito adiantado chamado Alto, que foi o primeiro a usar tanto um mouse como uma interface gráfica.

Ele incorporou a revolucionária interface gráfica desenvolvida (porém nunca usada) pelo lendário laboratório PARC no terceiro grande lançamento da Apple o computador Lisa (batizado com o nome de sua jovem filha). O mais novo PC da IBM, ao contrário, rapidamente sumia das prateleiras.

A Apple pressionou. Uma parte de seus melhores engenheiros vinha trabalhando em um computador totalmente diferente chamado Macintosh enquanto Jobs dedicava-se ao Lisa. Em uma jogada que dividiu a Apple para sempre em facções rivais, Jobs unilateralmente apropriou-se do projeto como se este fosse seu depois de desistir da tentativa fracassada com o Lisa. Na manhã seguinte, quando Jobs lançou oficialmente seu novo filho de 9 quilos e US$ 2.495, público estava pronto. Em um ano, as vendas da empresa alcançaram os US$ 2 bilhões. As décadas desde o advento do Mac têm sido de altos e baixos para a Apple, para dizer o mínimo. Woz havia partido para outra praticamente no momento em que sua cria decolou. Jobs foi bruscamente expulso em 1985 por John Sculley, um antigo executivo da Pepsi trazido para a Apple especificamente para solidificar a imagem da empresa em Wall Street. A Apple continuou a vacilar. A IBM não conseguia manter sua vantagem no negócio dos desktops já que "clones" de preço mais baixo invadiram o mercado. Entretanto, as convenções tecnológicas por ela estabelecidas embora definitivamente inferiores às da Apple tornaram-se o padrão indiscutível da indústria. Pode um raio cair duas vezes no mesmo lugar no mundo corporativo? Quem sabe.

5 – McDonalds Corporation

A maioria dos americanos não consegue lembrar de quando comerciais de cigarros eram lugar-comum em seus televisores, da mesma forma que não consegue recordar de quando não havia restaurantes de fast-food em suas vizinhanças. Naqueles dias, tais aparelhos eram recebidos de maneira entusiástica como uma conveniência para o consumidor em qualquer estabelecimento da mais pomposa churrascaria ao restaurante mais casual. A idéia por trás do McDonalds, tanto naquela época como agora, era servir e alimentar os clientes rapidamente e fazê-los sair para que as mesas pudessem ser preenchidas pêlos próximos da fila.

Resistir à tradição sempre foi típico do iconoclasta Kroc, cujo império é atualmente tão onipresente quanto os setores de não-fumantes nos restaurantes de todo o país. O crescimento do McDonalds, e de Raymond Albert Kroc, é prova de que o tipo de direção empresarial que muda o mundo não conhece fronteiras. Apesar de ser vítima de indisposições físicas que incluíam diabetes, artrite, a perda de sua vesícula biliar e da maior parte de sua glândula tireóide, Kroc era eficiente na estrada. Ele viu pastos mais verdes adiante em 1954, quando conheceu dois irmãos da Califórnia chamados Richard e Maurice McDonald. Kroc, então com 52 anos, decidiu ver que tipo de estabelecimento podia gerar tal demanda. O restaurante McDonalds era um balcão de hambúrguer com uma curva. Desde o aparecimento do automóvel, restaurantes que serviam o público motorizado começaram a aparecer particularmente na Califórnia. A principal atração, um hambúrguer de 15 centavos, era sempre servida da mesma forma: com mostarda, catchup, cebola e duas fatias de picles.

Em 1961, quando administrava 228 lojas nos EUA, Kroc comprou os direitos dos irmãos por US$ 2,7 milhões. Mais tarde, ele disse à imprensa que precisava do nome McDonalds, porque um "Kroc Burger" simplesmente não soava tão bem. Naquele mesmo ano, Kroc abriu sua 500" loja e introduziu o duradouro palhaço Ronald McDonald inicialmente representado por Willard Scott, que logo se tornaria apresentador de previsão do tempo em uma série de comerciais de TV que no final das contas se tornou tão conhecido quanto a própria rede.

Em 1965, o McDonalds tornou-se público (duas décadas mais tarde, ele foi nomeado componente das 30 empresas da média Dow Jones; as ações, avaliadas em US$ 2.500 naquela oferta pública inicial, valeriam US$ 3 milhões hoje). Kroc tentou iniciar vários outros conceitos de restaurantes nos anos seguintes, mas nenhum pegou. Entretanto, o McDonalds continuou a prosperar e o sonho de Kroc de mil restaurantes foi realizado em 1968. Três anos mais tarde, sua empresa fez sua primeira investida fora dos EUA, expandindo-se para a Europa e a Austrália. Quando Kroc morreu, em 1984, a rede tinha mais de 7.500 lojas no mundo todo.

Em 1994, por exemplo, aproximadamente 15 mil pessoas formaram fila no dia da abertura de um novo McDonalds na Cidade do Kuwait. Hoje, a rede estrangeira soma aproximadamente 60% das vendas e lucros totais da empresa. Suas 12.500 instalações nos EUA foram fortalecidas recentemente pela adição de mini-restaurantes dentro de locais não tradicionais, como lojas da Wal-Mart e Amoco, agora somando aproximadamente 40% do negócio de fast-food daquele país. Ao mesmo tempo, os investimentos recentes em pequenas redes de pizza e comida mexicana deram novo potencial de crescimento à empresa. Dois anos após a morte de Kroc, sua viúva, Joan, continuou esse esforço ao fundar a Ronald McDonald House Charities. Nos últimos anos, ela também doou silenciosamente US$ 15 milhões para as vítimas da enchente em Dakota do Norte, juntamente com US$ 8o milhões para o Exército da Salvação, construir um Centro Comunitário em San Diego.

6 – América Online Inc.

Hoje, é claro, a América Online de Case ri por último. Com mais de 23 milhões de assinantes, ela é o maior provedor de serviços online do mundo por uma margem gigante. Entre outras coisas, isso também elevou Case ao posto mais alto da HBO o canal a cabo que o rejeitara vinte anos antes e o colocou acima de seu antigo líder no novo mapa da organização.

Ao mesmo tempo em que ele e o irmão Dan estavam formando a Case Enterprises, que vendia tudo, de sementes a cartões de Natal personalizados, com a ajuda dos consumidores de um jornal da região. Um mundo interativo estava se formando nas mãos das agências telefônicas do governo, que se empenhavam em promover redes locais de computadores. Esse desenvolvimento não fugiu da atenção de Case até anos mais tarde, quando, como estudante da Williams College, interessou-se pela nova indústria da TV a cabo. Cinco meses após se otimizar, a AOL aproveitou-se do clima e tornou-se pública na bolsa Nasdaq, levantando uma quantia incrível de US$ 66 milhões. Case, que é dono ou tem opções em aproximadamente 31 milhões de ações, viu o valor de suas propriedades aumentar para US$ 1,8 bilhão no início do ano 2000. Apesar da competição de novos combatentes pesados como CompuServe, propriedade da H&R Block, e Prodigy, propriedade da Sears e da IBM, a América Online continuou a crescer. No final de 1993, ela ultrapassou os 500 mil membros e computou US$ 40 milhões em rendimentos. Devido, em grande parte, à fantástica insistência de Case na simplicidade e na persistência e à crescente paixão dos usuários de computador pelo bate-papo online , o número de assinaturas dobrou durante os oito meses seguintes, e então dobrou novamente em pouco mais de oito meses. No momento em que a AOL chegou aos 4,5 milhões de assinantes no final de 1995, seu alcance era sentido muito além dos primeiros adeptos que adotaram o mundo online. A AOL capitalizou esse crescimento no ano seguinte ao inaugurar suas primeiras operações fora dos EUA, somando serviços no Canadá, Reino Unido, Japão e França. A AOL prosperou por fornecer aos consumidores um acesso incomumente seguro e incrivelmente fácil ao novo mundo do espaço cibernético, assim como um "conteúdo" original salas de bate-papo, e-mail, notícias, cotações de ações, compras e afins. Os banqueiros investidores também convenceram Case a abrir mão da empresa, devido à sua notável falta de habilidade com as pessoas, e ele entregou as rédeas da diretoria geral a um homem em quem confiava, chamado Jim Kimsey.

Combinado a problemas pessoais, que levaram ao fim do casamento de n anos de Case, as paredes da AOL pareciam estar desmoronando. Antes do final de 1998, a AOL também foi adicionada ao índice S&P 500.

De repente, os críticos pararam de atacar. A América Online teve sucesso no mundo virtual principalmente porque o calmo e confiante Case sempre manteve seu foco no consumidor. A compra da Netscape também foi concluída em 1999, assim como a aquisição da empresa de bate-papo da internet Mirabilis dando à AOL o controle de três dos destinos mais visitados na totalmente aberta web (NetCenter, ICQ e AOL.com). Finalmente, com o final do ano, ela anunciou um acordo com a Wal-Mart para fornecer acesso à internet aos clientes do gigante varejista.

Os escritórios seriam mudados de Dulles, Virgínia, para os da Time Warner, em Nova York. E Case iria tornar-se o presidente da nova empresa enquanto Geralde Levin o líder anterior da HBO que havia afinal subido ao topo de sua empresa-mãe trabalharia um degrau abaixo dele como executivo-chefe.

Após duas décadas, Steve Case e suas idéias haviam chegado ao topo.

7 - FedEx Corporation

Até hoje, muitos observadores atribui a essas mensagens recitadas pelo ator John Moschitta a ascensão da Federal Express. Filho de um homem de negócios do Sul dos Estados Unidos, que fez fortuna durante a Depressão, Frederick Wallace Smith era um estudante de graduação em Yale em 1965 quando pensou pela primeira vez nessa idéia. Smith via a sociedade tornando-se cada vez mais orientados pêlos serviços e dominada pela tecnologia e percebeu uma demanda pela entrega rápida e confiável de documentos e pequenos pacotes. Em 1971, depois de duas excursões de trabalho como piloto da Marinha no Vietnã, ele levantou US$ 40 milhões de investidores e uma quantia semelhante em financiamento bancário, acrescentou aproximadamente US$ 10 milhões de origem familiar e fundou a Federal Express Corporation. Em 17 de abril de 1973, ela começou a funcionar entregando 186 pacotes no prazo de um dia em 25 cidades dos Estados Unidos.

O percurso era previsivelmente irregular no início. A lenda da empresa diz que Smith pagou um salário adiantado ao ganhar US$ 27 mil em uma visita a Lãs Vegas. Mas a Federal rapidamente decolou, graças a um plano de negócio criativo, assim como à opinião pouco lisonjeira do público sobre o Serviço Postal dos EUA e a uma greve do United Parcel Service em 1974. Aviões, vans, e pessoas cobertas com o motivo laranja e roxo da FedEx logo eram onipresentes em toda a América.

Smith, que ainda não tinha 30 anos quando a empresa foi aberta, manteve firmemente o plano que havia criado com aquele trabalho "médio" da faculdade. Todo esse bale é tão divertido na verdade, que agora é a terceira atração turística mais popular da cidade do Tennessee, atrás apenas da Graceland e da Beale Street.

Além disso, Smith comprometeu-se a construir uma base de funcionários leais que estivessem dispostos a trabalhar duro e por muitas horas para ajudar a FedEx a ter sucesso. Marcas milionárias eram registradas regularmente pela corporação. Em 1981, a empresa iniciou suas operações no Canadá e introduziu a pioneira Carta "Ovemight". Dois anos mais tarde, tornou-se a primeira empresa dos EUA a alcançar US$ 1 bilhão em rendimentos sem fusão ou aquisição. No Natal de 1984, a combinação de idéias e continuidade deu à FedEx o controle de mais de metade do mercado de entrega no dia seguinte do mundo. O sucesso criou uma competição ainda mais acirrada, mas Smith continuou com os pés no chão para manter a liderança de ovemight. Um obstáculo contínuo era a UPS, autoproclamada "Gigante Marrom", que permanecia de longe a maior entregadora de pacotes em geral do país, com aproximadamente 1,8 bilhão entregue diariamente. Quando outros tentaram seduzir os consumidores com preços mais baixos, Smith baixou o seu de uma média de US$ 26,29 Para US$ 19,36. E, enquanto isso, ele continuava adquirindo novas empresas para aumentar seu alcance, como a compra que fez da Flying Tigers em 1989 para expandir a presença internacional da FedEx. Tais atitudes aceleraram-se ainda mais durante a década de 1990, conforme a empresa comprava da Evergreen International rotas na China e criava uma infra-estrutura de logística e distribuição de US$ 16 bilhões ao adquirir a Caliber System, e comprava a RPS baseada em Pittsburgh para eventualmente relançar como Território da FedEx.

Na virada do século, com nossas necessidades de entrega crescendo cada vez mais, a contagem de pacotes diários da FedEx aproximou-se de 5 milhões. Por exemplo, as entregas de pacotes podem ter crescido significativamente, mas não saltaram de maneira tão dramática quanto as mensagens eletrônicas enviadas por meio da internet instantaneamente e praticamente de graça muitas levando documentos como aqueles que a FedEx antes entregava mais rápido do que ninguém. Naturalmente, um visionário dos negócios e ex-oficial da Marinha, durão como Fred Smith está contra-atacando de maneira agressiva.

8 – CBS Corporation

Quando Walter Cronkite retornou de uma reportagem no Vietnã, em 1968, ele solenemente tomou seu familiar posto como âncora do jornal da noite da CBS e mudou o curso de uma guerra. Esse era o impacto do departamento de notícias da TV do Columbia Broadcasting System. William S. Paley nasceu em Chicago, em 1901. Sua próspera família era dona da Congress Cigar Company. Quando Paley formou-se na Wharton School da University of Pennsylvania, em 1922, entrou no negócio da família. Da mesma forma como os visionários da internet viriam a descobrir em anos vindouros, Paley também reconheceu desde o princípio que a chave para o meio era controlar seu conteúdo, em vez de controlar o local onde era apresentado. Essas inovações deram certo e Paley usou idéias semelhantes para montar a melhor equipe de notícias da indústria. Ele afastou-se das operações diárias da rede após a guerra, mas continuou a inspecionar a nova rede de televisão associada enquanto esta subia ao topo na transmissão de programação. Com astros nascidos na casa (como Lucille Bali) e aqueles roubados de outras redes (inclusive Jack Benny, da NBC), a CBS chegou ao topo ao mesmo tempo em que a TV o fazia.

A idade de ouro da televisão continuou na década de 1950, e a CBS estava entre os maiores beneficiários à medida que milhões de americanos compravam aparelhos para suas casas. Sua marcha foi brevemente desacelerada quando os escândalos sobre o infame quiz-show da década atingiram o mais bem classificado programa do gênero da CBS, The $64.000 Question. A CBS naquela época perdeu para a rival RCA a corrida do desenvolvimento da primeira adaptação de TV em cores para o grande mercado, mas se reconcentrou no conteúdo e manteve sua liderança de audiência. O aparecimento simultâneo de novatos como a Fox e, eventualmente, a internet tirou fatias adicionais da torta da audiência.

Em um curto intervalo no meio da década de 1980, grandes compras foram feitas pela Capital Cities Communication (ABC), pela General Electric (NBC) e pela Time (Group W Cable). A CBS juntou-se à marcha ao ser absorvida por Laurence Tisch, da Loews Corporation, um conglomerado de cinemas, hotéis, empresas de tabaco e de seguros. Em menos de um ano, o novo diretor-geral tirou da CBS suas divisões de gravadora, editora e revista. Ele também cortou milhões em despesas, principalmente por meio de demissões em massa que incluíram mais de 200 pessoas da equipe de notícias da CBS.

As atitudes de Laurence Tisch vieram à tona em meio a um aumento de competição e em meio ao envelhecimento do cerne da audiência da CBS. Muitos observadores viram estes fatores como sinais de que o brilho da Rede estava seriamente manchado. No final da década de 1990, a televisão CBS estava lutando bravamente, mas sua corporação-mãe estava fazendo grandes planos para o futuro. O diretor-geral da Westinghouse, Michael Jordan, anunciou que as propriedades de rádio e transmissões de TV seriam integradas com as novas iniciativas de internet e cabo. Tudo mudou com a aproximação do final do século, e Jordan anunciou sua aposentadoria. Ele foi substituído por Mel Karmazin, um criativo comerciante que havia vendido sua rede de estações de rádio para a CBS em 1997, mas permaneceu para administrá-las (ele também se tomou o maior acionista individual da empresa por meio do acordo, e foi conseqüentemente colocado na comissão de diretores da CBS). Dentro de poucos meses após sua absorção pela CBS, Karmazin convenceu Jordan a deixá-lo administrar as estações de TV pertencentes à CBS. Em pouco tempo, ele era presidente da companhia e uma das pessoas mais importantes da indústria. Impulsionou os esforços de vendas, cortou custos e recuperou os direitos da Eiga Nacional de Futebol Americano.

9 – Philip Morris Companies

No decorrer dos últimos 50 anos, as pessoas que se achavam na moda (quer elas realmente estivessem ou não) pareciam preferir os produtos da Philip Morris. Com essa mistura, a Philip Morris tornou-se uma empresa mundial poderosa. Continua sendo a companhia líder em tabaco no mundo, com negócios em mais de 180 países e produzindo 1 em cada 6 cigarros fumados no planeta. E a segunda maior cervejaria da América do Norte, vendendo aproximadamente 6o tipos diferentes de cerveja em mais de 100 países. Porém, desde que um artigo da Reader's Digest de 1952 ligou o cigarro ao câncer de pulmão o impulso que, para começar, levou a Philip Morris à distinção corporativa, a própria existência da empresa tem dependido de sua maior fonte de renda isolada. Philip Morris foi um inglês que abriu uma tabacaria na Bond Street, em Londres, no meio da década de 1800. A empresa que levou seu nome mais tarde incorporou-se em Nova York, um lugar adequado na cena global para um produto que foi inicialmente adquirido dos nativos americanos pêlos primeiros colonizadores europeus, e depois entusiasticamente espalhado pelo mundo. Com o tempo, ele tornou-se um importante cultivo para fazendeiros de todo o sul dos Estados Unidos, e é cultivado atualmente em 21 Estados (com Kentucky e Carolina do Norte somando mais de dois terços da colheita anual de 1,48 bilhão de libras 67,1 milhões de quilos).

Philip Morris tinha um papel pequeno quando isso começou, já que os cigarros sem filtro das marcas Lucky Strike e Camel dos concorrentes dominavam o mercado inicial. As respostas da indústria recentemente assediada incluíram a introdução de marcas "mais seguras" com filtros. O Marlboro estava entre eles, mas foi inicialmente posicionado como um tipo de cigarro fino europeu e não conseguiu cair no gosto do público. Na década de 1970, Marlboro era a principal marca da América e Philip Morris tinha grande popularidade, apesar de quase duas décadas de ativismo antifumo. Na primeira área, isto se traduziu em cigarros "light", grandes, mentolados, pacotes duros, marcas baratas o início de uma série vertiginosa da Philip Morris que hoje inclui 18 marcas comerciais diferentes somente nos Estados Unidos. A Philip Morris ampliou seu portfólio ao comprar a centenária Miller Brewing Company. Até então empregando jogadas de mercado usadas no negócio dos cigarros adicionar extensões de marca como "regular" e "draft" , a Philip Morris impulsionou a Miller ao segundo lugar entre as cervejarias dos EUA.

O problemático negócio do tabaco também parecia estar resistindo ao ataque dos oponentes, que, nesta época, haviam planejado proibições locais ao fumo em lugares públicos. A empresa também aumentou suas iniciativas no exterior e passou a rival RJ. A empresa baixou sensivelmente os preços dos cigarros em 1993 para competir com as marcas baratas, que haviam repentinamente se tornado populares. Também ampliou seu apoio a causas nobres da reforma na educação às artes. As ações da Philip Morris ainda estão cotadas nos índices abaixo de empresas comparáveis que não são do ramo do tabaco em parte devido a mais de 600 processos judiciais que estão atualmente em andamento contra ela e suas oportunidades internas de aumentar suas fatias de mercado são nulas. Na virada do século, aproximadamente 40% das vendas totais da empresa e um terço de seu lucro geral vieram dessas áreas. Os resultados na indústria alimentícia inicialmente se mostraram mais positivos do que aqueles do mercado de cerveja. Entretanto, sempre foi com o cigarro que o destino da Philip Morris esteve envolvido e, muito provavelmente, sempre estará.

10 - Wal-Mart Stores Inc

Uma grande parada com bandas e balões havia sido organizada em honra aos nativos que mudaram o rumo do varejo e da cidade que eles chamavam de lar. Havia retratos do casal por toda parte. No mesmo ano em que ele deu início à sua primeira Wal-Mart Discount City em Rogers, Arkansas, três outras grandes redes Kmart, Woolco e Target também abriram suas portas. E, quando Walton lançou sua segunda loja, perto de Harrison, duas cargas de caminhão de melancias promocionais que estavam espalhadas ao longo da calçada explodiram de forma agourenta ao calor do verão.

Juntamente com um novo website com um tremendo potencial, a combinação cimentou solidamente a posição do Wal-Mart como o varejista número 1 do mundo.

Também foi presidente do conselho de estudantes no segundo grau, assim como quarterback do time de futebol americano que foi campeão estadual. Quando era um menino, ele sonhava em se tornar o presidente dos EUA e, na adolescência, desejava tentar um MBA da prestigiada Wharton School. No entanto, a realidade económica impediu esse caminho e, três dias após sua graduação na University of Missouri, ele aceitou uma posição de estagiário de administração na loja da J.C. Penney em Dês Moines, lowa.

As lições duplas de administração competente e sobriedade corporativa impressionaram Walton positivamente. Walton deixou o mundo dos negócios por um curto período para um posto nas Forças Armadas. Walton rapidamente se tornou o comerciante completo da pequena cidade, fornecendo coisas para os gostos e as necessidades específicas de seus vizinhos. Ao mesmo tempo, ele começou a procurar fontes na região que oferecessem tais mercadorias a preços mais baixos do que seus fornecedores oficiais. Depois de trabalhar na loja o dia todo, ele atava um trailer ao carro e dirigia pela fronteira do Estado até o Tennessee e o Missouri à procura de produtos desejados por seus consumidores. É claro que Walton havia descoberto a essência do desconto: ao cortar os preços, as vendas aumentavam e os lucros decolavam. Em menos de cinco anos, a loja de Walton havia se tornado um enorme sucesso. Em 1960, Walton e seu irmão mais jovem, James L. "Bud" Walton, tinham 15 dessas lojas calculando US$ 1,4 milhão em vendas anuais totais. Todos pensaram que o sonho de Walton de levar o conceito do desconto para pequenas cidades rurais fosse loucura. Em cinco anos, ele tinha 19 dessas lojas, inclusive uma em seu velho fantasma de Newport (onde a Ben Franklin do filho do proprietário havia fechado). Os compradores eram cumprimentados pessoalmente ao chegar. Os projetos dos prédios eram mínimos, a variedade de produtos, enorme. A combinação ajudou o Wal-Mart a prosperar. Logo, o Wal-Mart tornou-se invejado pela indústria do varejo. Walton foi listado como o homem mais rico da América pela primeira vez em 1985. Entretanto, ele detestou tanto o rótulo que distribuíram seus bilhões entre os membros da família para tirá-lo. David Glass havia substituído Walton como diretor-geral quatro anos mais cedo. Antes de aceitar sua posição atual como presidente do comitê executivo, no início do ano 2000, Glass introduziu energia nova na empresa ao adicionar centenas de supercentros (que combinam mercearias completas com as lojas de descontos). Ele também expandiu o conceito armazém exclusivo para membros do Clube do Sam iniciado em 1983. Ele cimentou a posição do Wal-Mart como empresa número 2 na Fortune 500 ao expandir internacionalmente. O Wal-Mart é atualmente o maior varejista no Canadá e no México, assim como nos Estados Unidos.

O impressionante sucesso do Wal-Mart, entretanto, persiste porque ele continua seguindo os princípios projetados por seu legendário fundador.

11 - General Electric Company

A menos de um ano de executar seu plano de se demitir do cargo de líder da General Electric, Jack Welch assinou o mais lucrativo contrato de livro de não-ficção já outorgado. O legendário presidente e diretor-geral, chamado de "o principal revolucionário da administração do século" pela revista Fortune, recebeu a quantia impressionante de US$ 7,1 milhões para compartilhar sua história com o mundo. No ano anterior, ela tirava proveito de um valor de mercado de US$ 12 bilhões e registrava ganhos de US$ 1,5 bilhão em vendas de US$ 25 bilhões. Ao enfatizar a qualidade tanto nos produtos quanto nos processos, as vendas da...

Para ver o trabalho na íntegra escolha uma das opções abaixo

Login

Ou faça login



Login

Crie seu cadastro




English Town