Zé Moleza | TCC, monografias e trabalhos feitos. Pesquise já!

Você está em Trabalhos Acadêmicos > Sociais Aplicadas > Pedagogia

Favoritos Seus trabalhos favoritos: 0

Trabalho em Destaque

Título: Tubos e conexões

Tubos e conexões Unoesc 2009 Sumário Introdução 1 Tubulações 2.1 Tubos de PVC 2.2 Tubos de Aço Carbono 2.4 Tubos de Cobre 2.5 Tudo de Polietileno (PE) 2.6 Tubos e Conexões de Ferro Fundido 2.7 Tubos de Concreto. 2.8 Tubos…


Publicidade



Publicidade

LITERATURA INFANTIL: UM OLHAR SOBRE A LEITURA NO INÍCIO DA ESCOLARIZAÇÃO

Trabalho enviado por: Luzia Baggio Antunes

Data: 25/09/2009

MONOGRAFIA LITERATURA INFANTIL: UM OLHAR SOBRE A LEITURA NO INÍCIO DA ESCOLARIZAÇÃO

UNIBAVE
2005

 

 

 

SUMÁRIO

RESUMO
ABSTRACT
1 INTRODUÇÃO
2 ORIGEM DA LITERATURA INFANTIL
2.1 LITERATURA INFANTIL SITUAÇÃO ATUAL
2.2 CARACTERÍSTICAS DA OBRA LITERÁRIA INFANTIL
2.3 OS TEXTOS DESTINADOS À CRIANÇA
3 SALA DE AULA E O LIVRO
3.1 DIFERENTES OLHARES SOBRE A LITERATURA
4 O PAPEL DOS CONTOS DE FADAS NA CONSTRUÇÃO DO IMAGINÁRIO INFANTIL
4.1 A MAGIA NO ATO DE CONTAR HISTÓRIAS
5 A LITERATURA INFANTIL E A ESCOLA: A CONTRIBUIÇÃO DA LITERATURA INFANTIL NO DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA.
6 LITERATURA INFANTIL: PRÁTICAS ADEQUADAS QUE AJUDAM A DESPERTAR O GOSTO PELA LEITURA
6.1 A POESIA
6.2 O TEATRO
6.3 O FOLCLORE
7 CONSIDERAÇÕES FINAIS
REFERÊNCIAS



RESUMO

Esse trabalho objetiva fazer um estudo bibliográfico da importância da Literatura Infantil no contexto da Educação Infantil e nas Séries Iniciais.

Tal estudo aborda a origem da Literatura Infantil e seus avanços na prática pedagógica no correr do tempo.

Outro aspecto enfatizado é a importância dos mesmos como meios de incentivar e de-senvolver o prazer pelo ato de ler.

Palavras–chave: Literatura Infantil – gosto pela leitura – prática pedagógica.

 

ABSTRACT

This objective work to make a bibliographical study of the importance of Infantile Literature in the context of the Infantile Education and in the Initial Series.

Such study it approaches the origin of Infantile Literature and its advances in practical the pedagogical one in running of the time.

Another aspect emphasizing is the same importance of as the half ones to stimulate and to develop the pleasure for the act to read.

Keywords: Infantile Literature - taste for the reading - practical pedagogical.



1 INTRODUÇÃO

Esse trabalho é uma pesquisa bibliográfica, ressaltando a importância das narrativas infantis para o desenvolvimento e desempenho da criança no processo ensino e aprendizagem, enfatizando a socialização com os seres imaginários contribuirá muito no desempenho da oralidade, da escrita, da formação crítica, fazendo dele um ser com possibilidades de se auto-analisar, quando necessário.

Tal estudo é de fundamental importância, pois vivemos momentos de crise. O universo está em constante conflito e é preciso, urgentemente, resgatarmos a sensibilidade, a imaginação e a criatividade tão necessária para um bom desenvolvimento da criança, abrindo, assim, um espaço maior para a Literatura Infantil, com mais emoção e interesse.

É preciso que as crianças tenham acesso aos livros pois, independente de serem poucos os que lêem, a leitura não deixou de ser o meio ideal para a transmissão das idéias e, para a expressão dos sentimentos, possibilitando a extensão e profundidade por parte de quem escreve despertando o gosto pela leitura e pela produção de textos pois, é tarefa de todos os que se preocupam com a aprendizagem, com a cultura em geral.

Assim, com este trabalho, pretende responder ao seguinte problema: Qual a melhor forma de resgatar as histórias, sua importância e que valorização é dada pelo professor de Educação Infantil? Para responder a esse questionamento, estabelecemos como objetivo geral: Verificar a importância da Literatura Infantil para um aprendizado diferenciado, conhecendo meios mais significativos para a prática da literatura na Educação Infantil.

A leitura é uma das atividades permanentes na vida humana, mas essa atividade deve ser exercida desde cedo pelos pais e educadores, estimulando de várias formas e também incentivando a criança ir ao encontro de seus interesses, recomendando leituras e não impondo a gosto do mediador (adulto) na seleção de textos. Assim, para incentivar o prazer pelo ato de ler desde a infância, estabelecemos como objetivos específicos:

? Demonstrar a necessidade de se trabalhar com a literatura de maneiras mais prazerosas;
? Reconhecer a importância da literatura infantil para a criança como um meio de comunicação, auto-expressão na construção do seu sistema de referência;
? Identificar as dificuldades encontradas pelos professores no seu cotidiano escolar que impedem um trabalho efetivo com a Literatura Infantil.

Dessa maneira, a presente pesquisa bibliográfica se justifica, pois no cotidiano, podemos perceber que se a criança tiver um contato com a literatura infantil desde os seus primeiros anos de vida, criar, desenvolver o gosto pela leitura, ela deixará de ser tão egocêntrica, de querer tudo para si. É preciso trabalhar mais o seu imaginário para desenvolver as funções psicológicas superiores.

Segundo Vygotsky (1997, p.68) a internalização implica a transformação de fenômenos sociais em fenômenos psicológicos, do significado dos objetos, dos lugares ocupados pelos objetos e pelas pessoas e do significado das relações num precioso que transcorre ao longo do desenvolvimento. Não se trata da internalização de copias dos objetos reais, mas de suas significações.

Também, outro aspecto relevante a ser observado é que os educadores estão preocupados em dar conta do seu planejamento curricular e não estão muito preocupados em suprir as necessidades dos alunos. Se procurar levar para dentro da sala de aula a literatura infantil, as aulas serão mais prazerosas e farão a criança entrar no mundo da imaginação e da fantasia.

Para atender aos objetivos da pesquisa e justificativa da escolha do tema, esse estudo apresenta-se da seguinte maneira: um estudo sobre as teorias relativas às origens da Literatura Infantil, a sua situação atual, as características das obras de Literatura Infantil, a sala de aula e o livro. Também apresentaremos os diferentes olhares sobre a mesma, o papel dos contos de fadas na construção do imaginário infantil, a contribuição da Literatura Infantil para o desenvolvimento da criança e algumas sugestões para podermos trabalhar com a Literatura Infantil na Educação Infantil e nas primeiras Séries do Ensino Fundamental, tendo como referencial teórico os seguintes autores: Maria Antonieta Antunes Cunha, Maria Jose Oliveira, Fanny Abromovich, Betty Coelho, Ezequiel Theodor da Silva, entre outros.

A Literatura Infantil é de fundamental importância na vida das crianças, pois ela cria um alimento precioso para sua alma. Ela possibilita a criança criar uma expectativa do real, ao se colocarem no lugar do personagem e, ao seu cotidiano. Mas é preciso conhecer as crianças e os mistérios de seu mundo, podendo, assim, analisar a importância que a literatura tem para sua formação.

Todos nós, assim, como as crianças possuem um mundo próprio, só nosso cheio de sonhos e fantasias, que é preciso abrir as janelas para elas, mas também é preciso saber fazer esta abertura para não criar um desencantamento na criança.

Percebemos que o ato de ler e ouvir não têm limites, o que torna a criança capaz de ler o mundo, resgatando os valores que o autor inseriu no texto e, assim, ampliar os seus próprios conhecimentos, reformulando-os, quando necessários.

Com isso, podemos dizer, então, que a Literatura Infantil desenvolve na criança a sua criatividade, sua sensibilidade e a ampliação do domínio sobre a linguagem e como conseqüência disso desenvolver também a sua capacidade de construção e conhecimento do seu mundo, e então porque não passarmos a incentivarmos o espaço para a Literatura Infantil dentro das escolas? Sabendo-se das dificuldades encontradas pelos professores de Educação Infantil em relação ao trabalho com a Literatura, se quer saber: Qual a melhor forma de resgatar as histórias, sua importância e que valorização é dada pelo professor de educação infantil para as mesmas?

 

2 ORIGEM DA LITERATURA INFANTIL

O incentivo de contar histórias deve ter nascido no homem a partir do momento que ele sentiu a necessidade de comunicar aos outros algumas de suas experiências, que poderiam servir para todos ter alguns significados. Assim, começa uma ligação entre a literatura e a oralidade.

Hoje, quando nós educadores falamos em criança, percebemos que a literatura infantil é indispensável, tanto na escola, quanto em outros meios institucionais que trabalham para o desenvolvimento intelectual e emocional da criança, pois ela é um sujeito histórico e social e se encontra ativamente inserido neste contexto que o cerca.

Mas com isso podemos observar que a Literatura Infantil não fez parte das vi-vências e aprendizado das crianças de alguns séculos anteriores. De acordo com alguns estudiosos, a Literatura Infantil teve origem no final do século XVII e durante o século XVIII época da reorganização do ensino, da fundamentação do sistema educacional burguês, uma nova concepção de criança e de família e foram escritos os primeiros livros para as crianças. Antes disso, as crianças eram vistas como adultos em miniaturas onde participaram da vida adulta, não existia infância e não era preciso escrever para elas. Nessa época, a literatura baseava-se numa formação de cunho pedagógico, ou seja, incutia normas e valores para serem seguidos pelas pessoas para que pudessem viver de maneira correta no meio social em que estavam inseridas.

Somente depois de mudar a concepção de infância foi que começou a pensar numa literatura para as crianças.

Entretanto, podemos perceber pela posição hierárquica que os adultos tomavam frente às crianças no contexto social.

Segundo Zilberman (1985, p. 18), “... a criança é, assim, o reflexo do que o adulto e a sociedade querem que ela seja e temem que ela se torne, isto é, do que o adulto e a sociedade querem, eles próprios, ser e temem tornar-se”.

Esta atitude é uma característica da classe burguesa que desejava manter a dominação das classes inferiores para elas servirem e agirem de acordo com seus interesses e seus ideais.

Desta forma, surgiram os primeiros escritos literários feitos para as crianças, escrito por educadores tendo um forte caráter educativo, visando a manipulação do indi-víduo.

Assim as relações que são estabelecidas entre literatura e educação nem sempre foram positivas, já que crianças e jovens não queriam aprender somente por meio dela.

Por outro lado a escola é vista como um lugar excelente para desenvolver o gosto pela leitura e manter um diálogo saudável entre livro e seu destinatário mirim. Mas, na Literatura Infantil essa negatividade era presente, pois as contribuições eram apenas de cunho pedagógico como citamos acima. Tanto na literatura e na escola, a criança é vista como um ser inferior que obedece a normas e valores ditos pelos adultos; na escola pelo professor, em casa, pelos pais.

A formação pedagógica encontrada nos livros de Literatura Infantil na grande maioria trabalha o individualismo por meio dos personagens do tipo super-heróis, negando à escola e à sociedade o aspecto social, afetivo, familiar e econômico em que as crianças se encontram.

No momento em que negamos uma educação voltada para o desenvolvimento do ser humano, estamos negando o direito de livre expressão dos mesmos, contribuindo assim, para as classes dominantes manifestarem seu poder massificando tanto a sociedade como a escola que é coadjuvante desse processo de manipulação das crianças, conduzindo as mesmas para o acatamento das normas sociais e escolares sem poder questioná-las.

A sociedade teve um grande avanço reflexivo e tomou uma grande postura critica com relação a esses fatos, fazendo com que a literatura infantil seja um dos meios pelos quais as crianças se tornem bons leitores.

Atualmente, a Literatura Infantil vem sendo contada e trabalhada na maioria das Instituições Escolares, explorando a imaginação da criança e possibilitando a liberdade de expressão das mesmas.

Jolibert (1994, p. 15) afirma que,

Ler é atribuir diretamente a algo escrito, é questionar algo escrito como tal a partir de uma expectativa real, é ler escritos reais, que vão desde um nome de uma placa até um livro, passando por um cartaz, uma embalagem, um jornal, um panfleto, é lendo de verdade, desde o início, que alguém se torna leitor e não aprendendo primeiro a ler.

Em grande parte, a Literatura Infantil aborda a realidade social, expondo em seus escritos, os mais variados anseios duradouros, variando de contexto para contexto. Esse novo ideal literário possibilita a abertura de novos horizontes e oportuniza aos indivíduos uma posição crítica diante dos problemas que são percebidos.

Sendo assim, a abertura de novos horizontes vem desenvolver a sensibilidade que cada indivíduo possui frente à literatura, seja ela na ficção ou na realidade. De acordo com a sensibilidade que as crianças possuem em relação à literatura infantil descobre-se várias virtudes cognitivas do texto, pois temos condições de interpretarmos de diversas maneiras os textos literários que nos são apresentados. Essa postura é riquíssima para o desenvolvimento cognitivo e emocional da criança, possibilitando assim elas se constituírem cada vez mais como seres humanos reflexivos e críticos.

Diante dos fatos citados, torna-se cada vez mais evidente e claro que os leitores necessitam estar em constante ligação entre o texto e o mundo, pois os textos não possuem uma única resposta e visão. Essa visão é única e podemos perceber o quanto os textos literários podem contribuir na formação intelectual dos alunos.

 

2.1 LITERATURA INFANTIL: SITUAÇÃO ATUAL

Desde o século XVIII, existiam diferenças no acesso aos livros, como, por exemplo, as crianças da nobreza, liam os grandes clássicos, enquanto a criança das classes desprivilegiadas liam ou ouviam as histórias da cavalaria. Assim, a ligação entre Literatura Infantil e a pedagogia têm sua importância no papel do educador.

Quanto à Literatura Infantil, temos duas tendências básicas: a dos clássicos, com adaptações e a do folclore. No Brasil. Tivemos adaptações portuguesas. Mesmo assim, nas obras pode-se observar, questionamentos sobre a inquietação intelectual e a preocupação com as questões nacionais ou os grandes problemas mundiais. Isto perfaz tendências claras como o realismo e a fantasia, reaproveitamento do folclóre e exploração de fatos históricos.

Segundo Cunha (1999, p. 26),

É comum a idéia de que literatura infantil é subliteratura, um gênero menor. Mas enquanto manifestações artísticas, leva a criança a desenvolver inúmeras capacidades e habilidades. A verdadeira literatura infantil agrada aos alunos, assim, se as crianças se prendem a apenas algumas das histórias para adultos que lhes chegaram as mãos ou aos ouvidos, podemos afirmar que existem características importantes no gosto infantil.

Estudar uma história é, em primeiro lugar, diverte-se com ela, captar a mensagem que nela está implícita e, em seguida, após algumas leituras, identificar os seus elementos essenciais, isto é, que constituem a sua estrutura. A introdução é a parte inicial, tem por objetivo localizar o em trecho da história no tempo e no espaço. A sucessão dos episódios os conflitos que surgem e a ação dos personagens formam o enredo. O essencial deve ser contado na integra e dos detalhes podem fluir por conta da criatividade do narrados do momento.

Quem se propõe a...

Para ver o trabalho na íntegra escolha uma das opções abaixo

Ou faça login



Crie seu cadastro




English Town