Zé Moleza | TCC, monografias e trabalhos feitos. Pesquise já!

Você está em Trabalhos Acadêmicos > Sociais Aplicadas > Pedagogia

Favoritos Seus trabalhos favoritos: 0

Trabalho em Destaque

Título: Expressionismos: Visão da Realidade: O poder expressionista da fotografia estética e em movimento

TIDIR – Expressionismos: Visões da Realidade: O poder expressionista da fotografia estática e em movimento Belo Horizonte 2009 Proposta Partiremos de duas proposições, sendo a primeira a de que, desde o início do cinema, a intensidade de imagens que diferenciam…


Publicidade



Publicidade

A História da Educação no Brasil

Trabalho enviado por: Kelli C. F. Boeing

Data: 05/08/2003

RESENHA CRÍTICA - HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO BRASIL

Sinop, abril de 2000


I - Introdução

O objetivo inicial deste trabalho, é o resultado de um posicionamento crítico ao que se refere aos dois primeiros capítulos da obra HISTÒRIA DA EDUCAÇÃO NO BRASIL, da autora Otaíze de Oliveira Romanelli, que nos foi proposto como tema para uma resenha crítica, dentro da disciplina de Estrutura e Funcionamento do Ensino Médio e Fundamental do IV Semestre do curso de Matemática, Campus Universitário de Sinop – MT.

De antemão fique evidente que esse posicionamento crítico foi construído ao analisarmos os textos, discordando ou concordando com eles, de acordo com nossa própria concepção crítica, levando também em consideração a opinião de outros autores, estudiosos nessa área, para uma formação de um posicionamento coerente com outras linhas de pensamento.

Analisamos o papel histórico da educação, sua evolução, demanda e o papel que à ela foi atribuída pelo desenvolvimento econômico. Nesse sentido, a questão nos embaraça: Há um modo de produção dominante – o capitalista – quais suas conseqüências na atividade educacional?

Pois a educação escolar sempre esteve atrelada às exigências de uma sociedade histórica qualquer, cujas camadas dominantes lhe determinam as tarefas. Logo vincula-se a educação a função diretamente requeridas pelas facções dominantes do processo econômico e social.

No entanto, não nos cabe adentrar nessa polêmica com tal tipo de alegação, pois a análise da Educação no Brasil tem sofrido diversos tipos de abordagens, coube-nos apenas, dentro dessa análise crítica, contribuir com uma pequena parcela que seja, para identificar as raízes da verdadeira crise da Educação brasileira e seus pressupostos.


II - Pressupostos Teóricos

CAPÍTULO I

ABORDAGEM TEÓRICA

Como acadêmica devo reconhecer, que desconhecia alguns suportes, que foi dado a nossa educação, e como ela foi e é usada de certa maneira, para manipulação das massas, visando assim somente o consumo de produção estabelecido pelo regime capitalista, criando uma sociedade de fantoche nas mãos de quem detém o poder nesse país, servindo apenas para satisfazer seus interesses econômicos, não pleiteando assim, o desenvolvimento intelectual crítico, que se fez e se faz necessário.

"Sem o poder do conhecimento, como as camadas populares poderiam se organizar de uma maneira eficaz? Como poderiam elas desenvolver a capacidade de análise e de crítica tão necessárias para melhor compreender o fenômeno social e natural?(...)A crítica torna-se então, a chave de toda a apropriação e o princípio educativo fundamental que deveria guiar o processo educativo(...)" (FAUNDEZ, 1994, pg.185-186)

Dentro deste contexto, fica evidente a necessidade de nós como acadêmicos e futuros educadores, criarmos a partir de então, essa consciência crítica do saber, para deixar de sermos classe dominada e lutarmos por o que nos é de direito, principalmente ao que diz respeito à educação, buscando resoluções para alguns dos problemas entrelaçados à ela, em todos os níveis de ensino.

Para facilitar essa criação de uma consciência crítica, faz-se necessário que observemos e analisemos como se deu esses fatores, utilizando assim como base de estudo os textos a nós destinados.

Primeiramente como ordem metodológica , analisar a definição dada pela autora dos conceitos estabelecidos para situar os problemas relativos à educação num contexto mais amplo, a interligação desses conceitos para melhor compreender o nosso sistema educacional e sua evolução, o controle político do sistema, a correlação dos fatores para análise dessa evolução e também ao fato da educação sempre ter atentado aos interesses do processo de desenvolvimento econômico.

Dos conceitos estabelecidos, é certo e correto o que nos foi afirmado pela autora, de que, a cultura de desenvolvimento, de educação e de evolução da demanda social de educação são importantes para esclarecer esses problemas. A compreensão da evolução do referido sistema, à expansão do ensino e os caminhos que ele tomou torna-se mais fácil, a partir do momento que voltarmos nosso olhar à nossa herança cultural, a evolução da economia e a estrutura do poder político, fazendo assim a interligação dos mesmos com os valores propostos na escola pela demanda social de educação, refletindo sobre o interesse do poder político de controlar e monopolizar a mesma, de acordo com o que vem de encontro aos interesses da elite dominante que perpetuam até os dias atuais no Brasil, o controle da organização do sistema educacional vem sendo feito de forma bastante defasada em relação aos anseios da sociedade, e as necessidades crescentes do desenvolvimento econômico. Nesse contexto segue algumas reflexões encontradas na obra Filosofia da Educação Brasileira.

"... o Estado não quer, nem nunca quis, resolver o problema educacional brasileiro..." (SAVIANI, 1985, pg. 50).

Continua :

" As elites forjavam, e forjam, a educação para reproduzir as elites, ignorando a qualificação e a participação do povo (...). O ensino mascara o saber para subsidiar o poder." (SAVIANI, 1985, pg. 56).

E enfatiza:

"Se o "desengrossamento" do povo, até a limpidez, é tão dispendioso e "incerto", por que não admitirmos a meia educação?..." (SAVIANI, 1985, pg. 58).

Reflexões essas que vêem de encontro ao que nos diz a autora: "... A superação da crise tentada pela nova política educacional teve como base o antecedente remanejamento do poder político e a reorientação do processo econômico. E muitos valores culturais herdados acabaram sofrendo a evolução da demanda social de educação, que, a cada dia , procura mais intensamente na escola os valores ditados pelo processo do desenvolvimento econômico."(ROMANELLI, 1999, pg. 19). Ficando assim claro a quantas andou e ainda anda a evolução da educação no país, e grande é a evidência de que ela caminha atrelada aos interesses do sistema econômico, sendo ele o determinante da sua transição, fazendo com que a escola prepare a sociedade para exercer o que lhe é imposto camufladamente pelos desenvolvimentistas e pelo poder político.

"... estabelece uma nítida divisão, entre elite e massa, reservando às elites o monopólio das virtudes necessárias para dirigir, e assegurando às massas apenas o direito de realizar seu destino de massas." (SAVIANI, 1985, pg. 228).

Cabendo apenas uma consideração a ser feita sobre os conceitos abordados, foi a exclusão da finalidade a que se destina a educação para melhor expor sua conjectura dentro da sua problemática. Referente a esta finalidade segue:

"A finalidade de qualquer ação educativa deve ser a produção de conhecimentos que aumenta a consciência e a capacidade de iniciativa transformadora dos grupos." PAULO FREIRE

Ainda nesse contexto:

"... a educação se destina à promoção do homem. Assim , um processo de desenvolvimento que efetivamente considere o homem como preocupação central, terá a educação como setor fundamental..." (SAVIANI, 1996, pg. 01).

Concluindo:

"... à educação compete também a tarefa de ajudar o homem a situar-se no meio físico e a tirar maior proveito possível das condições que este lhe oferece..." (SAVIANI,1996, pg. 36).

Toda educação deve ser uma atividade mediadora no seio da prática social global, para uma...

Para ver o trabalho na íntegra escolha uma das opções abaixo

Ou faça login



Crie seu cadastro




English Town