Zé Moleza | TCC, monografias e trabalhos feitos. Pesquise já!

Você está em Trabalhos Acadêmicos > Sociais Aplicadas > Letras

Favoritos Seus trabalhos favoritos: 0

Trabalho em Destaque

Título: Tubos e conexões

Tubos e conexões Unoesc 2009 Sumário Introdução 1 Tubulações 2.1 Tubos de PVC 2.2 Tubos de Aço Carbono 2.4 Tubos de Cobre 2.5 Tudo de Polietileno (PE) 2.6 Tubos e Conexões de Ferro Fundido 2.7 Tubos de Concreto. 2.8 Tubos…


Publicidade



Publicidade

Resenha Crítica do Livro “Memórias do Carcere”

Trabalho enviado por: Eduardo de Araújo Froes

Data: 22/04/2003

Resenha Crítica do Livro Memórias do Cárcere


RAMOS, Graciliano. Memórias do cárcere. 32ªed.Rio de Janeiro: Record, 1996. Volume I: 378p. Volume II: 319p.

Nascido no Estado das Alagoas em 27 de outubro de 1892, Graciliano Ramos, foi um dos grandes expoentes literários do período modernista. Seu primeiro romance, "Caetés", publicado em 1933 dá início a uma carreira de escritor romancista, muitas vezes, subestimada pelo próprio Graciliano. Neste mesmo ano é nomeado diretor da Instituição pública de Alagoas. Escreveu também "São Bernardo" (1934), "Angústia" (1936), "Vidas Secas" (1938), entre outras. Em 1936 é demitido e preso sob a acusação de ser comunista, fato que transformou completamente sua vida e que serviu de fonte para mais uma obra, "Memórias do Cárcere".

Editado em 1953 em quatro volumes numa edição póstuma, Memórias do Cárcere relata o período em que Graciliano Ramos fica preso. O primeiro capítulo trata de uma justificativa e até mesmo uma explicação para aquela publicação (ou para a resistência em escrevê-la). É percebido as inseguranças e as dificuldades que o autor predispunha, uma vez que, passados dez anos de sua prisão e não conservando relatos escritos e também por envolver nomes de terceiros, tornava-se tarefa não muito fácil. Mas apesar das objeções impostas por ele, mesmo assim, admitia a liberdade que possuía para escrever o romance. (...) Posso andar para a direita e para a esquerda como um vagabundo, deter-me em longas paradas, saltar passagens desprovidas de interesse, passear, correr, voltar a lugares conhecidos. Omitirei acontecimentos essenciais ou mencioná-los-ei de relance, como se os enxergasse pelos vidros pequenos de um binóculo; ampliarei insignificâncias, repetidas até cansar, se isto me parecer conveniente. 

Trabalhando como funcionário público em Maceió e no seu novo romance, fora surpreendido com a notícia de que seria preso. Aquilo mais lhe parecia um grande equívoco, e que passou a tratar com desdém quando uma parente veio informar-lhe que naquela tarde (13 de março de 1936) a polícia o encaminharia para detenção. Talvez não achasse suas idéias tão reacionárias, ou mesmo, ameaçadoras para o...

Para ver o trabalho na íntegra escolha uma das opções abaixo

Ou faça login



Crie seu cadastro




English Town