Zé Moleza | TCC, monografias e trabalhos feitos. Pesquise já!

Você está em Trabalhos Acadêmicos > Sociais Aplicadas > História

Favoritos Seus trabalhos favoritos: 0

Trabalho em Destaque

Título: Tubos e conexões

Tubos e conexões Unoesc 2009 Sumário Introdução 1 Tubulações 2.1 Tubos de PVC 2.2 Tubos de Aço Carbono 2.4 Tubos de Cobre 2.5 Tudo de Polietileno (PE) 2.6 Tubos e Conexões de Ferro Fundido 2.7 Tubos de Concreto. 2.8 Tubos…


Publicidade



Publicidade

Biografia – Mauricio de Nassau

Trabalho enviado por: Paulo Roberto Fernandes de Sousa

Data: 02/08/2006



Introdução

Este trabalho tem por objetivo contar um pouco sobre a trajetória de João Maurício de Nassau ,Príncipe holandês que viveu entre 1604-1679.Seu principal destaque e importância para a história do Brasil foi o fato de João Maurício ter sido Governador-geral da companhia das Índias Ocidentais entre 1637-1644 ,durante a permanência holandesa no Novo Mundo João Maurício foi o que mais se destacou com o seu caráter Humanístico e ao mesmo tempo luxuoso quando se dizia respeito as luxúrias típicas de um príncipe de sua época.João Maurício apesar de ter sido por toda vida um protestante sempre pregou a tolerância religiosa apesar se seus compatriotas holandeses não concordarem,foi um grande militar,general e também um excelente estadista e grande Amanda das artes e das belezas que encontrou com abundancia no Novo Mundo.

Quando se fala em ocupação holandesa em território nacional o nome lembrado é Maurício de Nassau,obviamente que pesquisando sobre a vida de Nassau acaba-se também estudando a invasão holandesa no Brasil e por isso que é de suma importância o estudo desse grande personagem de nossa História.


João Maurício de Nassau (1604-1679)

João Maurício de Nassau-Siegen (em alemão Johann Moritz von Nassau-Siegen; em neerlandês Johan Maurits van Nassau-Siegen), nasceu em Dillenburg perto de Frankfurt e Siegen, na atual Alemanha, em 17 de junho de 1604.

Fossem quais fossem as razões que levaram os Heeren XIX a escolhe-lo como seu primeiro (e último,como ficou provado) governador-geral do Brasil,os fatos vieram mostrar que dificilmente se poderia ter feito melhor escolha. Verdade é que ele não possuía nenhuma experiência colonial ,mas era o rebento de uma das famílias mais famosas das Europa ,tendo recebido educação tão esmerada quanto podiam permitir aqueles tumultuosos tempos e a sua iniciação prematura na carreira das armas. Seu pai,chamado "Jan de Middelste",para distingui-lo do próprio pai e do filho mais velho,que tinham o mesmo nome ,foi o prolífico conde de Nassau-Siegen (1536-1623) ,homem fidalgo e calvinista zeloso,que tivera vinte e três filhos de suas duas mulheres.Era João Maurício o primeiro filho de Jan Middelste com sua segunda mulher,Margaretta,princesa de Holstein-Sonderburgh (1536-1606),irmão mais velho de Guilherme o Taciturno,e chefe do ramo da Família Nassau cuja sede era o pitoresco castelo de Dillenburg,onde nasceu João Maurício em 14 de junho de 1606.

O rapaz freqüentara escolas,sucessivamente em Herborn,Basiléia e Genebra,mostrando evidentemente maior pendor para os estudos humanísticos do que para a sequidão da Teologia calvinista,apesar de conservar-se durante toda a vida protestante convicto.Quando estalou a guerra dos Trinta Anos ,teve de interromper os seus estudos ,sendo enviado para a companhia de um tio, Willem Londewyck,estatouder (lugar-tenente) da Frísia. Dois anos após,alista-va-se como voluntário no exército do Estados Gerais ,combatendo em muitas das campanhas verões subseqüentes ,e cada vez com maior destaque. Passava os invernos no ambiente culto e cosmopolita da corte do estatouder Frederick Hendrik,de Haia ,onde o seu apuradíssimo senso estético foi ainda mais estimulado pelo estreito convívio com artistas,poetas e homens de letras.Com a mesma facilidade falava o holandês ,o francês e o alemão,podendo também manter conversação em latim.


Um Príncipe Humanista no Novo Mundo (1637 – 1644)

Houve quem chamasse João Maurício "o homem mais notável de quantos já se envolveram na indústria do açúcar",conceito que a obra por ele realizada como governador-geral do Brasil holandês mostra não ser exagerado.Não foi ele apenas um general competente e administrador de primeira classe,mas também um legislador sob muitos aspectos avançado para sua época.Desde o início sabe-se que ele se tomou de amores pelo Brasil desde o dia em que desembarcou no Recife.Doze meses antes de sua morte,esreveria ele a respeito daquela região com palavras repassadas de nostalgia,chamando-a "ce beau Pay de Brésil,lequel n`a pás son pareil sous lê ciel".Durante os seus sete anos de governo...

Para ver o trabalho na íntegra escolha uma das opções abaixo

Ou faça login



Crie seu cadastro




English Town