Zé Moleza | TCC, monografias e trabalhos feitos. Pesquise já!

Você está em Trabalhos Acadêmicos > Outras > Diversos

Favoritos Seus trabalhos favoritos: 0

Trabalho em Destaque

Título: Teorias de Taylor, Ford, Fayol e Weber

Teorias de Taylor, Ford, Fayol e Weber, aplicadas na Empresa Bradesco S/A. São Paulo 2009 Sumário 1Introdução 2Frederick Winslow Taylor4 2.1Princípios de Taylor 3Henry Ford 4Jules Henri Fayol 4.1Princípios Básicos 4.2Funções Administrativas 5Maximillian Carl Emil Weber 5.1Analise da Obra 5.2Princípios…


Publicidade



Publicidade

Capitalização e Amortização

Trabalho enviado por: Marcus Duarte

Data: 22/04/2003

Capitalização e Amortização


Simbologia utilizada durante o trabalho:

INT – Corresponde ao valor dos juros, independentemente se empregados em capitalização simples, capitalização composta, etc.

PV – Valor presente, valor atual, valor de aquisição, valor na data zero, valor do empréstimo, valor financiado, valor do resgate antecipado, etc.

i – Taxa de juros.

n – Tempo, número de períodos, quantidade de prestações. Devera sempre estar compatível com a periodicidade da taxa de juros (i).

FV – Valor futuro, valor nominal de um título, valor de face, montante, valor residual de um bem, valor do capital acrescido de seus rendimentos.

PMT – É o valor de cada parcela, cada prestação, cada depósito. Normalmente só utilizado quando estamos tratando de anuidades, onde temos pagamentos ou recebimentos em varias parcelas.

1. CAPITALIZAÇÃO SIMPLES

Quando o regime é de capitalização simples, os juros são calculados sempre sobre o valor inicial, valor atual (PV). O regime de capitalização simples representa uma equação aritmética, logo, é indiferente se os juros são pagos periodicamente ou no final do período total. O regime de capitalização simples é muito utilizado em países com baixo índice de inflação, no entanto, em países com alto índice de inflação, a utilização de capitalização simples só faz sentido para curto prazo. A capitalização simples, porém, representa o inicio do estudo de Matemática Financeira, pois todos os estudos de Matemática Financeira são oriundos da capitalização simples.


1.1 CÁLCULO DOS JUROS

Os juros produzidos por um capital são constantes e proporcionais ao capital aplicado, na razão da taxa de juros.

A taxa de juros, normalmente apresentada em percentual (%), significa a quantidade de cada CEM que estamos considerando. Para fins de cálculo utilizaremos sempre esta taxa dividida por CEM, a qual passa a ser uma taxa unitária.

Como para cada intervalo a que corresponde a taxa temos um mesmo valor, se quisermos saber o total no período, basta multiplicar o valor de cada intervalo pelo número de intervalos.

Com isto chegamos a fórmula:

INT = PV x i x n


1.2 FÓRMULA DERIVADAS

1.2.1 Valor atual

Para calcular o valor atual transformaremos a fórmula de juros para:

PV = INT

i x n

1.2.1 Taxa de juros

Para calcular a taxa de juros utilizaremos a fórmula de juros apresentada anteriormente:

INT = PV x i x n

A qual iremos transformar em:

i = INT

PV x n

possibilitando assim encontrar a taxa. Essa taxa encontrada será sempre unitária, isto é, dividida por CEM, logo, devemos multiplicá-la por 100 para obter a taxa percentual.

Obs.: A taxa encontrada sempre será na mesma unidade do tempo utilizada para o cálculo.

 

1.2.2 Tempo

Para encontrar o tempo, partimos também da forma original de juros,

INT = PV x i x n

a qual iremos modificar, conforme mostrado abaixo, para possibilitar o cálculo da quantidade de períodos, os quais serão sempre na mesma unidade do tempo em que a taxa foi utilizada no cálculo. Para facilitar o entendimento, devemos sempre apresentar o prazo, tempo, em números inteiros de anos, meses, dias, etc.

n = INT

PV x i

1.3 HOMOGENEIDADE ENTRE TAXA E TEMPO

Nos cálculos financeiros, devemos sempre atentar para que a taxa e o tempo sejam considerados na mesma unidade de tempo. Isto quer dizer: se a taxa é dada em mês, o tempo deve ser expresso em meses; se a taxa é apresentada ao ano, o tempo deverá ser em anos.

No entanto, se no problema apresentado isto não ocorrer, podemos tanto transformar a taxa quanto o tempo para obter a homogeneidade.

Mesmo que a taxa e o tempo não estejam na mesma unidade de tempo, as fórmulas a serem utilizadas são as mesmas.


1.4 JUROS ORDINÁRIOS

São...

Para ver o trabalho na íntegra escolha uma das opções abaixo

Ou faça login



Crie seu cadastro




English Town