Zé Moleza | TCC, monografias e trabalhos feitos. Pesquise já!

Você está em Trabalhos Acadêmicos > Biológicas > Farmácia

Favoritos Seus trabalhos favoritos: 0

Trabalho em Destaque

Título: Tubos e conexões

Tubos e conexões Unoesc 2009 Sumário Introdução 1 Tubulações 2.1 Tubos de PVC 2.2 Tubos de Aço Carbono 2.4 Tubos de Cobre 2.5 Tudo de Polietileno (PE) 2.6 Tubos e Conexões de Ferro Fundido 2.7 Tubos de Concreto. 2.8 Tubos…


Publicidade



Publicidade

Agonistas Adrenérgicos

Trabalho enviado por: Vanda

Data: 17/03/2004

Agonistas Adrenérgicos



INTRODUÇÃO

 I-DROGAS ADRENÉRGICAS

- As drogas adrenérgcas afetam receptores que são estimulados pela norepinefrina ou epinefrina.

- Local de ação das drogas: receptores adrenérgicos (adrenoreceptor)

- Tipos de drogas:

  • Agonistas - ativam os receptores adrenérgicos (diretamente ou indiretamente).
  • Antagonistas - bloqueiam a liberação dos neurotransmissores para os receptores adrenérgicos


II - O NEURÔNIO ADRENÉRGICO

- Neurotransmissor: norepinefrina

- Local: SNC e também SNS (conexão entre o gânglio e o órgão efetor)

A) Neurotransmissão do neurônio adrenérgico

(FIGURA EXPLICATIVA)

O processo envolve 6 etapas:

Figuras ilustrando as etapas da síntese de Norepinefrina e Epinefrina

1. Síntese de norepinefrina:

A tirosina é transportada por um transportador acoplado ao Na+ para dentro do axoplasma do neurônio adrenérgico, onde é hidroxilado para dihidroxifenilalanina ( DOPA) pela tirosina hidroxilase. Este é o primeiro passo na formação da norepinefrina. A DOPA é descarboxilada para formar a dopamina.

2. Armazenamento de norepinefrina em vesiculas:

A dopamina é transportada dentro da vesícula sináptica por um sistema de transporte amina que também está envolvido na pré-formação da norepinefrina. ( Este sistema carreador é bloqueado pela reserpina).

A dopamina é hidroxilada para formar a norepinefrina pela enzima dopamina beta hidroxilase. Na medula da adrenal, norepinefrina é metilada para produzir epinefrina; ambas são estocadas na células cromafin. A estimulação na medula da adrenal libera 85% epinefrina e 15% norepinefrina.

3. Liberação da norepinefrina:

Com um aumento da passagem de íon Cálcio da região extracelular para o citoplasma do neurônio ocorre exocitose das vesículas, liberando o seu conteúdo para o interior da fenda sináptica. ( Esta liberação é bloqueada pela droga guanitidina).

4. Ligação com o receptor:

A norepinefrina liberada das vesículas difusas sinápticas cruza o espaço sináptico e liga-se ao receptor pós-sináptico no órgão receptor ou no receptor pré-sináptico do nervo terminal. O reconhecimento da norepinefrina pelo receptor de membrane leva a um evento em cascata dentro da célula, resultando na formação do segundo mensageiro intracelular como conexões na comunicação entre o neurotransmissor e a ação generalizada dentro da célula efetora. Receptores adrenérgicos usa ambos, o sistemas de segundo mensageiro (AMPc) e o fosfoinositol ciclo para transmitir o sinal para dentro do efetor.

5. Remoção da norepinefrina:

A remoção da norepinefrina pode se dar por três caminhos:

  • Difundir-se fora do espaço sináptico e entrar na circulação.
  • Ser metabolizada pela O-metilase derivadas da membrane da célula pós-sináptica associada a catecol O-metiltransferase (COMT) no espaçosináptico.
  • Ser capturado pelo sistema up-take que puxa a norepinefrina para dentro do neurônio ( pela ativação da Sódio-Potássio ATPase, que pode ser inibida por antidepressivos como imipramina, ou pela cocaína).

6. Destinos Potenciais da recapturação da norepinefrina:

Depois de reentrar no citoplasma do neurônio adrenérgico a norepinefrina pode ocupar-se de uma vesícula adrenérgica, via sistema amino transporte, e ser sequestrada para liberação de uma outra ação potencial ou persistir na proteção. Alternativamente, norepinefrina pode ser oxidada pela monoamine oxidase (MAO) presente na mitocondria neuronal. Os produtos inativos do metabolismo da norepinefrina são excretados na urina como o ácido vanilimandélico (VMA), metanefrina e normetanefrina.

Esquema do metabolismo da Epinefrina e Norepinefrina

B. Receptores Adrenérgicos (Adrenorreceptores)

No sistema nervoso simpático, 2 classes de adrenoceptores são distinguidos alfa e beta, e são identificados baseado nas respostas dos adrenérgicos agonistas: epinefrina, norepinefrina e isoproterenol.

1 ) Os alfa receptores são subdivididos em alfa 1 e alfa 2.

Para os receptores alfa existe uma ordem decrescente de resposta: epinefrina >= norepinefrina >> isoproterenol

a) Receptores alfa 1: estão presentes na membrana dos órgãos efetores pós- sinápticos e são mediadores de efeitos clássicos.
Ex. constricção dos músculos lisos
Ativação de alfa l receptores inicia uma série de reações:=>ativação da proteína G da fosfolipase C, => geração de IP3, => causando liberação de Ca++ do retículo endoplasmático para o citosol.

b) Receptores alfa2: localizados nos terminais dos nervos pré-sinápticos e em outras células como a célula beta do pâncreas. Com a norepinefrina na fenda sináptica haverá a estimulação do alfa l,com suas reações acima citada, assim como a estimulação do receptor alfa2 na membrana do próprio neurônio.
Esta estimulação do alfa2 causa um "feedback" inibidor da própria liberação da norepinefrina.
O alfa2 serve como mecanismo modulador local para a diminuição do neuromediador sináptico.
Os alfa2 são mediados pela inibição da adenilciclase e o controle do nível de AMPc intracelular.

2) Beta receptores:

Os beta receptores exibem respostas diferentes daquelas vistas nos alfa receptores.

Para os beta receptores a ordem decrescente da resposta: isoproterenol > epinefrina > norepinefrina.

Os beta receptores são divididos em Beta 1 e Beta 2.

O receptor Beta l tem aproximadamente igual afinidade para a epinefrina e norepinefrina.

O receptor Beta 2 tem maior afinidade a epinefrina...

Para ver o trabalho na íntegra escolha uma das opções abaixo

Ou faça login



Crie seu cadastro




English Town