Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Histórico da Gravidez na Adolescência

Trabalho por Marcelo Vaz, estudante de Serviço Social @ , Em 07/12/2007

5

Tamanho da fonte: a- A+


Histórico da Gravidez na Adolescência

Unesa - Universidade Estácio de Sá
2007

Introdução

“Educai as crianças, para que não seja necessário punir os adultos.”
Pitágoras

O atual Trabalho de Conclusão de Curso, teve como cerne principal, a realização de pesquisa sobre a gravidez na adolescência, tendo como estudo de campo o Instituto de Educação Roberto Silveira, na cidade de Duque de Caxias.

Este trabalho tem como propósito descobrir a extensão da problemática pesquisada para o profissional de Serviço Social, visto que esta aliada ao comportamento habitual, serve para a repressão do instrumentalismo, e para a construção de um projeto visando o fortalecimento da sociedade de forma mais forte, direta e precisa.

Em seu primeiro capítulo, a pertinente obra, a partir de um breve histórico, descreveu as transformações e mudanças ocorridas na estrutura da família brasileira.

Será discorrido em síntese, este primeiro capítulo, de forma que seja percebida sua abordagem e feita a sua análise elaborada, buscando definir seus tópicos fundamentais.

1. Adolescência e Gravidez

1.1 Marco Conceitual

A adolescência é um período do desenvolvimento humano que se estende, aproximadamente dos 10 aos 19 anos de idade, sendo este, um período de grande crescimento e transformações, onde tudo é vivido intensamente.

Durante esta transição do estado infantil para o estado adulto, o jovem geralmente apresenta comportamentos instáveis, variando suas ações e opiniões, num "experimentar" que o levará a definição de sua identidade.

A adolescência, ou a fase jovem, é um período de vida que merece atenção, pois esta transição entre a infância e a idade adulta pode resultar ou não em problemas futuros para o desenvolvimento de um determinado indivíduo.

No entanto, para entender como a adolescência pode favorecer o aparecimento de problemas como a gravidez precoce, entre outros, é necessário uma breve revisão sobre este período.

A palavra adolescência vem do latim "adolescere" que significa "fazer–se homem/mulher" ou "crescer na maturidade".

No início do século XIX, o termo só abrangia a rapazes, ocorrendo distinção nesta fase da vida entre os sexos. Muitas vezes, era usado para considerar a inexperiência sexual do jovem. Somente a partir do final do século XIX, esta etapa foi vista como sendo uma etapa distinta do desenvolvimento.

Atualmente, a fase jovem se caracteriza como tendo sua ocorrência entre a infância e a idade adulta, na qual há muitas transformações tanto físicas, como psicológicas, possibilitando o surgimento de comportamentos irreverentes e desafiantes com os outros, o questionamento dos modelos e padrões infantis que são necessários ao próprio crescimento.

1.2. Aspectos históricos e Culturais acerca da Gravidez na Adolescência

Acontece que a gravidez na adolescência não é um fato novo na história da humanidade. Alguns orientadores chamam a atenção para a ocorrência deste fato desde a antiguidade, informando inclusive, alguns casos famosos de maternidade que aconteceram nesta fase da vida. Neste contexto, podemos citar até o fato do nascimento de Jesus Cristo, quando da adolescência de Maria.

Chegamos enfim, a conclusão de que por não ser fato novo na realidade de nossa história, o que tem modificado com sua presença nos dias atuais é a maneira interpretativa deste fenômeno social.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, no início do século XX, começa a ficar de forma mais evidente este fenômeno social, devido a aparição em jornais da época. Com a revolução sexual e a descoberta da pílula anticoncepcional, nos anos 60 e 70 do mesmo século, o amor tornou-se desobrigado e institucionalizado. A jovem enfim se tornou mulher, sem necessariamente ser mãe.

Nesta época, no Brasil vigorava a ditadura militar, e acontecia a eclosão da luta política, que era marcada pela inclusão da juventude estudantil nesta batalha, de modo que os adolescentes acabaram sendo inseridos a sociedade de forma ativa. Agora, eles participam da realidade