Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

A Família Contemporanea

Trabalho por Isis, estudante de Psicologia @ , Em 22/04/2003

5

Tamanho da fonte: a- A+

O VALOR ESSENCIAL E AS FUNÇÕES DA FAMÍLIA CONTEMPORÂNEA


AGRADECIMENTO

Agradeço a Deus, por sua infinita sabedoria e por ter me ajudado a perseverar para obter todo esse trabalho.

Agradeço a meus pais, pelo incansá- vel estímulo ao estudo.

Ao Professor, pelo auxílio e conselho que me foram dados e em especial aos meus amigos pelo estímulo e apoio. Ambos foram, personagens importantes para conclusão deste trabalho.

À todos que contribuíram, direta e indiretamente, para a realização deste trabalho.

Meu muito obrigado.


JUSTIFICATIVA 

A família sempre tornou-se um assunto de extrema importância.

Este estudo sobre a família traz o valor que se mostra o quão é importante o afeto, a intimidade e sobretudo o amor para um ser. Ninguém consegue viver só, a solidão não é benéfica para nenhum ser vivo..

As pessoas na maioria das vezes abordam questões familiares referindo-se de suas realidades mais próximas, ou seja, do conhecimento de suas próprias famílias.

Embora esta instituição apresente sempre aspectos positivos, fonte de apoio e solidariedade, há em alguns grupos divergências entre seus membros que descentraliza a família. Como conseqüência existe os contatos de maior ênfase com pessoas de fora do círculo familiar. As trocas afetivas e as comunicações sociais são realizadas portanto fora da família, composto de vizinhos, amigos e até criados. Infelizmente o conteúdo afetivo se empobrece.

Mas a família no geral impera o sentimento de união e amor resultando em fonte única de educação, reputação e de conforto pessoal. 


INTRODUÇÃO
 

O mundo que vivemos hoje é de muita liberação, com isso os relacionamentos humanos se tornam cada dia mais difíceis. Baseado neste sentido muitas pessoas pensam que a família se dirige a falência.

A escolha livre é primordial à dignidade, porém pode ser desnorteante se não for usada adequadamente, e em nossa cultura consumista secular é um perigo real, pois infelizmente nem todos conseguem um matrimônio harmonioso.

A liberdade responsável de constituir uma família é exercida ao se viver a vocação matrimonial. O casamento verdadeiro não é uma combinação para atingir fins específicos ou gratificação pessoal e sim uma realização necessária na vida de muitas pessoas, pois ninguém vive só.

A verdadeira comunhão em família deve ser procurada e aceita como uma bênção, acalentada e nutrida em si mesmo.

O único lugar onde a doação verdadeira torna-se possível é na família, pois essa relação nasce do verdadeiro casamento. 


1. FAMÍLIA
 

A evolução da humanidade assim como os estudos de várias culturas, demonstra e estuda a existência da família até hoje. Suas formas, suas transformações estão sempre modificando as concepções que tem o significado social dos laços estabelecidos entre os indivíduos desse grupo.

A família constitui a base da estrutura social, onde se originam as relações primárias de parentesco.

O conceito de família iniciou-se há mais de 300 mil anos, no período Neolítico, quando o homem deixou de ser nômade e passou a cultivar a agricultura e a criar animais.

Os homens neste período faziam a maior parte dos trabalhos preocupando-se com a sobrevivência de sua mulher e seus filhos. Em conseqüência disso, ele passou a ser considerado o chefe da família.

Assim nasceu a família patriarcal. Essas famílias eram comuns nas primeiras civilizações.

Na cultura oriental o pai tinha poder de vida ou morte sobre sua mulher e seus filhos, além de controlar os bens da família.

Na sociedade ocidental a família era um meio de transmitir a terra e outros bens