Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

A Abordagem Inatista - Maturacionista

Trabalho por Sebastião Almeida Lara, estudante de Psicologia @ , Em 22/04/2003

5

Tamanho da fonte: a- A+

A Abordagem Inatista - Maturacionista

São Paulo

2002


Inatista - maturacionista, parte do princípio de que fatores hereditários ou de mutação são mais importantes para o desenvolvimento da criança.

Hereditariedade refere-se à herança genética que a criança recebe de seus pais.

Mutação refere-se a um padrão de mudanças comum a todos os membros de determinada espécie.

Na psicologia, teóricos da inatista - maturacionista supõem que, aptidões individuais e inteligências são herdadas dos pais quando a criança nasce.

As primeiras investigações psicológicas sobre a natureza hereditária das aptidões e da inteligência, constataram que pessoas com uma aptidão especial, normalmente tinham familiares com mesmo tipo de aptidão. Identificaram diferenças de aptidões entre homens e mulheres ou entre raças diferentes.

Nessa linha de preocupação com as diferenças individuais, desenvolveram os primeiros estudos psicológicos de avaliar a inteligência. O francês Alfred Binet, interessou-se pela inteligência através de testes. Por meio desses testes, a inteligência é avaliada pelas tarefas. Essa foi também uma necessidade experimentada por Gesell preocupado em compreender a evolução da criança.

Apesar das diferenças Binet e Gessell estabeleceram padrões de comportamento para avaliar a inteligência ou o desenvolvimento da criança. Os fatores biológicos são os mais decisivos na determinação da inteligência e desenvolvimento tais padrões comportamentos são independentes de fatores externos ou do contexto social em que a criança vive. Não importa o lugar e a época em que a criança viva.

Se o ritmo e o desenvolvimento são biologicamente determinado, espera-se que certos comportamentos apareçam na mesma idade.

De acordo com a perspectiva inatista - maturacionista, a aprendizagem depende do desenvolvimento. Ou seja o que a criança é capaz ou não de aprender é determinado pelo seu nível de inteligência.