Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


A Integração de Crianças Surdas nas Escolas Regulares como Meio de Inclusão Social

Trabalho por Pypellynne Xavier Alencar, estudante de Psicologia @ , Em 22/04/2003

5

Tamanho da fonte: a- A+

A Integração de Crianças Surdas nas Escolas Regulares como Meio de Inclusão Social

Olinda, Junho-2001

"Eles podem não ser normais dentro do nosso conceito de normalidade. Mas convenhamos, são absolutamente naturais".

Gilberto de Pierrô.


Apresentação

Este trabalho tem como objetivo divulgar os benefícios da integração de crianças surdas nas escolas regulares, para que as mesmas se socializem e interajam com a diversidade desde cedo. Enfatizamos a importância do apoio da família nesse processo para que o mesmo ocorra de maneira satisfatória.


INTRODUÇÃO.

A integração da criança surda na escola regular tem como principal vantagem, a habituação tanto dos surdos quanto dos ouvintes de viverem no mesmo ambiente, a criação espontânea do respeito mútuo, fazendo com que a criança surda possa se tornar um adulto integrado na sociedade, sem necessariamente carregar o estigma de pessoa incapaz e assim interagir normalmente no ambiente que faz parte.

Se a criança dispõe de uma educação que, a prepare desde o inicio para conviver numa sociedade em que em sua maioria é composta por ouvintes, esta será melhor e mais facilmente integrada na nesta sociedade.

A inclusão da criança com surdez na escola regular requer uma boa preparação tanto do aluno quanto da escola, para que ambos se sintam capacitados a participar dessa integração. Também, não se pode "jogar" a criança surda em uma escola ou em uma classe comum de qualquer maneira, é preciso proporcionar às mesmas, meios necessários para que se desenvolvam cognitivamente. Cabe a escola e aos professores estarem sempre buscando meios para melhor atender essas crianças.

Neste, será apresentado a definição social de surdez para o melhor entendimento de como as pessoas geralmente definem os surdos, o conceito de integração, o processo de integração nas escolas regulares e a família como apoio no processo de integração.


2-APRESENTAÇÃO DO PROBLEMA

Sendo a escola o primeiro ambiente de socialização, é razoável pensar que a escola especial, acabar por excluir a criança surda da sociedade, posto que a sociedade é ouvinte na sua maioria. Sendo assim, dentro de uma sala especial durante a vida escolar, a criança não tem oportunidade de socializar-se com os ouvintes e por conseguinte tende a ficar isolada com seus iguais e repelir os ouvintes.

Diante do ambiente de exclusão social que a escola especial favorece, como a integração das crianças surdas nas regulares, propiciaria uma inclusão efetiva das mesmas na sociedade?


3- REVISÃO BIBLIOGRÁFICA.

3.1 – Definição Social da Surdez.

Surdez. O que é Surdez ? De acordo com Aurélio Buarque de Holanda, Surdez tem, entre outros, os seguintes significados:

Qualidade ou doença de quem é surdo.

Falta ou perda absoluta, ou quase completa do sentido da audição, surdidade.

Surdez é uma das mais significativas limitações da oportunidade de crescimento do individuo. Sendo a audição essencial à aquisição da linguagem. A Surdez pode ser congênita ou adquirida. A Surdez congênita , conhecida também como pré-natal ou ainda, imediatamente pós-natal; que é aquela que o individuo já nasce com ela, podendo ser de origem endógena, quando é originada por genes herdados, ou até mesmo no período do desenvolvimento intra-uterino, como também pode ser de origem exógena, quando é originada por fatores que não são hereditários. A Surdez adquirida, como já diz o nome, ela é adquirida após o nascimento. A Surdez congênita pode também ser exógena quando é ocasionada por outros fatores que não são hereditários.

Segundo Myklebust, os surdos "Estão expostos aos prejuízos e prevenções dos demais pela