Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Resenha do Livro: A História das Teorias da Comunicação

Trabalho por Pedro Márcio Theverson Rodrigues, estudante de Comunicação @ , Em 22/04/2003

5

Tamanho da fonte: a- A+

História das Teorias da Comunicação


Esta obra "História das teorias da comunicação" mostra que assim como as outras matérias, a comunicação ocupa um espaço importante dentro das teorias e relações com o social e o mercado mundial. Pois a comunicação nos dá subsídios para que se possa compreender os costumes e comportamentos da sociedade mundial, passando assim um sentido para as reações as quais são emitidas pelas pessoas.

O livro nos coloca dentro da realidade comunicativa, a obra trabalha praticamente junto a história, períodos, fatos.

Com um certo grau de entropia, o livro cria um laço entre os meios de comunicação e as reações das partes, deixando a se entender que a comunicação de massa se caracteriza por serem bases sólidas.

MOMENTOS IMPORTANTES

Contribuindo para a união e coletividade do trabalho Adam Smith através de sua formulação científica, mostra a divisão do trabalho e a comunicação se expandindo junto ao crescimento industrial na época.

Um dos momentos importantes destacado na obra, é a divisão do trabalho pela qual ocorre a estruturação dos espaços econômicos.

Outro momento de destaque na comunicação é a psicologia das massas, Scipio Sighele e Gustave Le Bon, criam uma visão manipulatória da sociedade, estudando psicologicamente as greves operárias e também as revoltas, dentro de obras como: "A massa criminosa", que relata as reações e a coletividade da massa.

Na década de 1910, surge dentro de uma ciência comunicativa ligada as bases empíricas, a Escola de Chicago. Ela enfoca o papel da comunicação junto aos desequilíbrios sociais, surgindo correntes como a Mass Comunication Research, que trabalha nas pesquisas quantitativas.

A Escola de Chicago, pode-se afirmar que um dos destaques é a figura de Robert Ezra Park (1864-1944), que antes tinha defendido a tese de doutorado: "A massa e o público". Park seguia os ensinamentos de Simmel, que exercia sobre a "Penalidade Urbana" num contexto de estímulo nervoso pelo qual a massa passa. Simmel e Tarde seu companheiro analisavam as atitudes e os comportamentos.

Em 1921 Park e Burguess aparecem com a "Ecologia Humana" onde se refere a relação do organismo com o ambiente, se baseando por técnicas e botânicos e Zoólogos. A Ecologia Humana estuda os processos pelos quais a "Balança biótica" e o "Equilíbrio social" se mantém conquistados.

Início da corrente da "Mass Communication Research" data de 1927. Começa pela obra de Lasswell (1902-1978) "Propaganda Techiniques in the world war, que mostra as lições da Guerra de 1914-1918. Pois os meios de difusão apareceram neste momento, como indispensáveis para a opinião governamental, das populações aliadas como das inimigas. Tanto é, que a derrota das forças alemãs se deu através de muita propaganda dos aliados.

Se aproximando da Segunda guerra, várias obra surgem com idéias de propagandas todo-poderosas.

Voltando a Lasswell, ele se interessava pela questões da propaganda, eleições, opiniões públicas e negócios de estado.

Laswell aparece nos anos 30, mostrando as propagandas usadas pelas potências do eixo, de um lado, e da antiga União Soviética do outro lado.

Quem diz o quê por que canal e com que efeito? Foi esta fórmula que tornou Laswell, uma figura destaque na sociologia funcionalista, Lasswell estudava a análise de controle, de conteúdo, mídias e suportes, análise de audiência e dos efeitos. Desses, o mais destacável foi a análise dos efeitos e logo em seguida a análise do conteúdo. Lasswell também afirma que existem três funções principais dentro da sociedade: a) A vigilância do meio, b) O estabelecimento das relações em relação ao meio, c) A transmissão da herança social.

Nos anos 40 e 50, a sociologia funcionalista traz uma