Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

A Formação Social do Indivíduo

Trabalho por Sandro Gonçalves da Silva, estudante de Ciências Sociais @ , Em 22/04/2003

5

Tamanho da fonte: a- A+

A Formação Social do Indivíduo


O homem é o único ser que produz cultura. Mas, o que é cultura?

Cultura é um conjunto de conhecimentos que representa o modo de vida de um povo ou de uma sociedade. O processo de transferência dessas informações se dá de geração a geração chama-se endoculturação. Esse processo abriga diversos tipos de conhecimentos como: as regras de organização, processos de aprendizagem, comportamento social (padrões, crenças, normas, tabus, tradições, instituições sociais, etc) e será juntamente o processo de endoculturação que irá diferenciar o homem dos demais animais que povoam o nosso mundo, ou seja, não será a natureza humana (natureza biológica) que irá reger o individuo, mas a cultura e sem a qual o homem poderia padecer no mundo.

O animal humano irá receber por toda a sua vida uma grande carga de conhecimento e informações (que será acumulativa) essenciais para a vida deste individuo e para a entrada do mesmo na sua sociedade.

Recebermos a primeira parcela dessas informações depois do nascimento e durante boa parte da infância. Mas antes precisamos ser capazes de compreender primeiramente a nós mesmos, os nossos semelhantes e o mundo que vive. O mundo será mostrado de forma objetiva, clara, especifica (o mundo real é apresentado ao individuo) a chamada realidade objetiva, no entanto este mesmo individuo irá ter uma percepção, um entendimento individual (a partir do mundo real apresentado a criança, essa irá gerar uma idéia particular daquele mundo) tomando esse mundo como se fosse a verdade absoluta (como se fosse "O Mundo") descartando assim novas possibilidades (realidade subjetiva). Este processo chama-se interiorização e é o "passo" inicial para a socialização do individuo.

Como já foi dito, o processo de socialização dura por toda a vida, e durante este período o individuo sofre diversas transformações. O passo inicial será a interiorização do mundo na qual este individuo fará parte.

O próximo "passo" será "oferecido" pela família, que terá papel fundamental. Uma vez que, será a família a responsável, inicialmente, por toda transferência de informações. A partir dessa transferência, formaremos a nossa personalidade, a nossa consciência, absorvendo tudo aquilo que observamos dos nossos familiares (as atitudes, os modos, as normas, etc) (outros generalizados). Identificamos (a partir dessa transferência) agora não somente os outros que nos rodeiam, mas todas as normas e regras da sociedade em questão. Passaremos também a ser um membro reconhecido desta sociedade. Esse processo é conhecido como a socialização primária.

No processo de socialização primária o aprendizado é realizado por pessoas que estão próximas (família) ao pequeno. O pequeno quando reconhecer o mundo de sua família irá toma-lo como único (as regras e as normas deste mundo serão tidos como únicos), essa reflexão irá gerar a chamada encucação (a interiorização de regras e atitudes que os familiares (os familiares tornam-se "outros significativos" para a criança) passam para o pequeno), ou seja, essas regras e normas passam a ser consideradas um padrão e a criança generaliza (torna comum) esses conceitos como únicos em todo mundo.

Durante a parte final da infância, começa o processo de socialização secundária. Essa parte da socialização é "oferecida" por diversos tipos de organizações e instituições. É quando o individuo já dito "socializado" recebe uma carga de conhecimentos específicos que irá ajuda-lo na compreensão das relações no campo de trabalho. A socialização secundária difere da primaria no aspecto de observar e compreender o mundo onde o individuo está situado (enquanto na socialização primária o individuo interioriza o mundo como se fosse o único, já a secundária oferecerá uma visão mais ampla, surgindo assim várias visões de mundo legitimados, acompanhado de diversos significados).

Nessa etapa, a escola será uma das instituições que desempenhará o papel