Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Os Principais Matemáticos da História

Trabalho por Rhamon Oliveira Lacerda, estudante de Colegial @ , Em 21/09/2006

5

Tamanho da fonte: a- A+

Os Principais Matemáticos da História


CONSIDERAÇÕES INICIAIS

A Matemática é uma das áreas mais importantes do conhecimento humano, ela nos faz compreender fenômenos e, principalmente, através de um estudo detalhado com métodos matemáticos os benefícios são maiores ainda.

Não se pode passar despercebido da importância da Matemática ao longo da história e agora no mundo moderno.

Qualquer pessoa para se situar no mundo moderno faz uso da Matemática. Vivemos cercados por números, gráficos, tabelas e por máquinas que tornam a vida mais fácil: computadores, leitoras óticas, caixas registradoras inteligentes, calculadoras, banco eletrônico, gráficos, tabelas, máquinas de informação nos shoppings, entre outras coisas úteis que só foram inventadas através dessa área que sempre leva o progresso a todos.

A partir destas considerações, é vital analisar os principais matemáticos, com suas principais descobertas e, aprender que sem estes matemáticos seria impossível estar nesse patamar de modernidade atualmente.


Os principais Matemáticos da história

Karl Friedrich Gauss: seu gênio começou a assombrar o mundo quando ele tinha apenas sete anos

Karl Friedrich Gauss nasceu na Alemanha, de família pobre. Na escola, aos sete anos, o professor pediu aos alunos que calculassem a soma dos inteiros de 1 a 100. Coisa típica de professor que quer fazer a turma ficar quieta enquanto lê o jornal. Pois Gauss deu a resposta certa em poucos minutos. Ele notou que 1+100=101, 2+99=101 etc. Isto é, bastava somar 50 números iguais a 101. Portanto, a soma era 50 x 101 = 5050. A fama do moço começou aí.

Aos 19 anos, achou um método de construir o heptadecágono. Esse era um problema que os geômetras tentavam desde o tempo dos gregos.

Os trabalhos de Gauss cobriram praticamente toda a matemática da época. Provou o chamado Teorema Fundamental da Álgebra que diz que todo polinômio tem uma raiz da forma a + bi.

Em Física, deu grandes contribuições ao campo do magnetismo, área em que trabalhou fazendo parceria com Weber. Hoje, a unidade de campo magnético pode ser o gauss ou o weber/m2.

Em 1801, foi descoberto um asteróide que depois recebeu o nome de Ceres. Logo, vários astrônomos se dedicaram a tentativa de calcular a órbita desse asteróide. Infelizmente, pouco depois de sua descoberta, o asteróide escondeu-se atrás do Sol, de modo que os dados obtidos de suas posições eram muito poucos. Assim mesmo, muitos publicaram seus resultados, inclusive Gauss, só que as previsões do alemão eram bem diferentes das dos demais. Pois quando o asteróide reapareceu, alguns meses depois, sua posição coincidia perfeitamente com a previsão de Gauss. Hoje sabemos que Gauss usou um método que desenvolvera, chamado de método dos mínimos quadrados, que se tornou, desde então, ferramenta importante do trabalho em ciências experimentais.

Gauss gostava muito de trabalhar com geometria diferencial, tendo inventado o importante conceito da curvatura dupla, hoje conhecida como curvatura de Gauss.

Em 1820, inventou o heliótropo, instrumento que usa a reflexão da luz do Sol para medidas geodésicas. Pensou até em usá-lo para se comunicar com hipotéticos habitantes da Lua.

Em 1833, com a ajuda de Weber, construiu o primeiro telégrafo.

Gauss sabia tudo sobre estatística. Mostrou que os erros nas medidas experimentais costumam seguir uma distribuição em forma de sino, hoje chamada de distribuição gaussiana (ver adiante). Sua engenhosidade em tratar com esses assuntos levou-a, no final da vida, a especular na Bolsa de Valores. Foi tão bem sucedido nessa atividade que morreu rico.


Bertrand Russell

Prêmio Nobel