Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Sistema Solar

Trabalho por Carlos Vaz Dias, estudante de Colegial @ , Em 22/04/2003

5

Tamanho da fonte: a- A+

Sistema Solar


Este trabalho relata o "Sistema Solar", mostrando as características do Sistema e também seus planetas.

Tentarei mostrar, estas características do Sistema Solar e também as características dos planetas com maior clareza possível e também através deste trabalho poderei abrilhantar um pouco mais o meu conhecimento, para melhor conhecer o nosso "Sistema Solar".

Desenvolvimento

No espaço desolado e inóspito,onde o frio chega a 270º C abaixo de zero, giram inúmeras esferas luminosas. São as estrelas - ou sóis- isoladas umas das outras por imensas distâncias. À sua volta, formando conjuntos chamados sistemas solares, giram esferas menores. Estas esferas, os planetas, aquecem-se e iluminam-se com os raios que recebem dos seus respectivos sóis.

Um sol e nove planetas compõem o nosso sistema solar. Não se sabe ao certo, ainda, qual a sua origem. Alguns cientistas acham que tudo começou com uma grande nuvem de gás e pó em rotação. Da nuvem, por sua vez, teriam surgido pequenos corpos sólidos, dos quais nasceriam os planetas. Mas existem outras teorias, que também podem estar certas. Aqui nos limitamos a descrever o Sistema Solar, tal qual ele se apresenta.

Como todos os demais corpos, as estrelas e os planetas atraem outros corpos para junto de si. O Sol, ao seguir a sua órbita no espaço, atrai a Terra e os demais planetas que giram ao seu redor, enquanto estes atraem os seus respectivos satélites.

Então, por que os satélites não são arremassados para a superfície dos planetas, e os planetas para dos sóis?

O movimento natural dos corpos, isto é, em ausência de forças, é em linha reta. O movimento quase circular de um satélite então se explica pela força de atração do planeta, que desvia constantemente o satélite de sua trajetória retilínea natural. Da mesma forma, para se girar uma pedra na ponta de um cordão, é necessário aplicar ao longo do fio uma tensão, o que é facilmente visível pelo fato de o cordão permanecer esticado;- se o cordão for cortado, a pedra partirá em movimento retilíneo. O Sol é uma das estrelas do Universo. Não é a maior nem a mais brilhante- apenas a mais próxima da Terra e o centro do nosso Sistema Solar. São 149 milhões de quilômetros que nos separam dele; distância pouco considerável se levarmos em conta as dimensões infinitas do espaço. A luz percorre, aproximadamente, 300.000 Km/seg, ou seja, quase 9.500.000.000.000 Km por ano. Este ano número representa a unidade chamada ano-luz. A luz solar chega à Terra em oito minutos e meio. Isso nos dá uma idéia de sua relativa proximidade, já que a luz das outras estrelas leva centenas ou milhares de anos até nos alcançar.

O Sol - uma esfera de gás incandescente - pode ser comparado a uma fornalha atômica: nele, o hidrogênio transforma-se em gás hélio. Este processo gera luz, calor e energia. A temperatura do Sol varia de 6.000 graus centígrados, na superfície, a 20 milhões de graus no interior. Seu volume é 1.300.000 vezes maior que o da Terra. Com um diâmetro de 1.390.6000 Km, leva em média 27 dias para completar o movimento de rotação; no movimento de translação - no seu caminho orbital -, a 790.000Km/h, numa direção próxima à da estrela Vega, ele arrasta consigo todos os planetas.


Mercúrio.

Com 4.800 quilômetros de diâmetro, é o menor planeta do sistema solar. Mas também é o mais rápido e o mais próximo do Sol, do qual dista quase 59 milhões de quilômetros.

A rotação de Mercúrio se faz em 58 dias e meio, o que representa exatamente dois terços do tempo que leva para dar