Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

A Importância dos Impactos Ambientais para o Turismo Ecológico Brasileiro

Trabalho por Michel Lataste, estudante de Turismo @ , Em 22/04/2003

5

Tamanho da fonte: a- A+

A Importância dos Impactos Ambientais no Turismo Ecológico Brasileiro


RESUMO

A avaliação dos impactos ambientais do turismo ecológico apresenta-se como base para a determinação de medidas preventivas e corretivas, que visam conservar a atratividade e a originalidade das áreas com recursos naturais consideráveis. Neste estudo, avaliam-se os impactos da atividade no Brasil e sugere-se um planejamento intersetonal, que promova o desenvolvimento sustentável do turismo ecológico, baseado na determinação da capacidade de carga (carrying capacity) dos recursos naturais. Esse planejamento visa a preservação dos ecossistemas, para o atendimento das expectativas dos novos segmentos do mercado turístico, que buscam turismo de aventura e o encontro com a natureza.


INTRODUÇÃO

O Brasil se sobressai, mundialmente, pelas suas dimensões continentais e por conter as maiores áreas contínuas de florestas intocadas, nas quais habita o maior número de espécies de fauna e flora do planeta e, apesar dos graves casos de devastação das florestas, todavia é considerado o alicerce para o equilíbrio ecológico e climático da Terra.

Atualmente, os problemas e dificuldades sócio-econômicos acabam por conduzir a nação à carência de recursos para os estudos de planejamento ambiental, e à falta de fiscalização e controle da destruição das florestas. Geralmente, essa situação ocorre com objetivos econômicos, para o desenvolvimento das atividades ligadas à agricultura e à pecuaria.

Contudo, pouca ou nenhuma atividade econômica apresenta condições intrínsecas tão propicias, para a conciliação do desenvolvimento com o meio ambiente, quanto o turismo. E o turismo ecológico compõe o elo dessa tendência, que favorece a prática da educação ambiental e o retomo harmônico ao convívio com a natureza, a qual o homem moderno tanto necessita.

Ainda que possua uma legislação atualizada, a implantação de equipamentos e de programas direcionados para o turismo ecológico são desenvolvidos no Brasil sem o necessário controle e fiscalização e, por isso, alguns deles originam uma série de impactos ao meio ambiente, expondo a sobrevivência dos ecossistemas e, conseqüentemente, a atratividade dos locais visitados.

Considerando como impacto ambiental todas as modificações que acontecem nas propriedades físicas, químicas e biológicas do meio ambiente natural, causadas por qualquer forma de matéria ou energia resultante das atividades humanas, o que se pretende neste estudo, é salientar qual seria a importância dos impactos ambientais do turismo ecológico no Brasil e propor alternativas, que propiciem um relacionamento equilibrado entre o turismo e os recursos naturais beneficiados.

A metodologia utilizada neste trabalho foi a pesquisa bibliográfica, enriquecendo o trabalho com algumas opiniões importantes de autores não só do Brasil como também de outros países, e citações da ECO-92.


PATRIMÔNIO NATURAL E O TURISMO ECOLOGICO NO BRASIL

A degradação do ambiente e a poluição fizeram crescer uma onda de preocupações e conscientização ecológica, que de um lado tem contribuído para a disseminação de ações visando a harmonização das necessidades das gerações atuais com as potencialidades dos ecossistemas, mas de outro lado, por vezes, tem tido um papel relevante para a criação de estigmas e slogans que estão longe de solucionar os problemas ambientais, transformados freqüentemente em uma falsa questão dicotômica: meio ambiente ou desenvolvimento. Como acertadamente afirmou a Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (conhecida como Comissão Brundtland):

"até recentemente, o planeta era um grande mundo no qual as atividades humanas e seus efeitos estavam nitidamente confinados em nações, setores (energia, agricultura, comércio, indústria, turismo etc.) e amplas áreas de interesse (ambíental, económico, social). Esses compartimentos começam a se diluir. Isto se aplka em particular às várias crises globais qué preocuparam a todos. Não são crises isoladas: uma crise ambiental, uma crise do desenvolvimento, uma crise energética. São uma só".

As pressões mundiais os preparativos e os resultados da realização da