Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Cultura - A Razão de Ser Humano

Trabalho por Vinni Corrêa, estudante de Produção Cultural @ , Em 15/02/2005

5

Tamanho da fonte: a- A+

Cultura: A Razão de Ser Humano


No geral, tem-se a idéia de que cultura é a experiência obtida e transferida socialmente pelo homem. Daí diz-se que: livro é cultura, belas-artes são cultura ou que fulano é mais culto que sicrano (querendo dizer que aquele possui mais conhecimento que este). Tem-se, então que cultura é sinônimo de instrução, de saber, de intelectualidade.

Completamente errônea é essa concepção que temos do significado da palavra cultura que na verdade é muito mais do que imaginamos. Veremos, então, o seu real significado e o porquê de usarmos erradamente o seu conceito e quais os seus efeitos.
Do latim coletre (cultivar) e cultus (cultivo), cultura é o que define o homem como ser humano e não como outro animal qualquer. Nós não somos formados apenas por genes, mas também, por toda uma construção social. Nos animais, ainda que dotados de uma certa inteligência, porém, limitada (macaco, cachorro, golfinho), o instinto é mais presente, sendo assim, tornando-os mais precisos. A linguagem no ser humano é um fator extremamente fundamental para a formação da cultura. Um macaco, por exemplo, é capaz de aprender com o homem e entender, de uma certa forma, a linguagem dele, mas será incapaz de transferir para a sua espécie (talvez porque a sua linguagem seja limitada aos instintos, não sendo capaz de desenvolver uma aptidão simbólica). Um cachorro sempre latirá e agirá como tal mesmo se for criado no meio de porcos. Já o ser humano não nasce com uma linguagem definida, a sua linguagem será aquela comunicada no meio social onde ele vive. Mas o homem sente a necessidade de descobrir o significado da realidade em que vive, e quando em contato com outros seres humanos passa a desenvolver a cultura, pois, ele precisa se comunicar, dizer o que pensa, expressar seus sentimentos. Ou seja, os homens possuem cultura porque conseguem se comunicar uns com os outros, acumular essa aprendizagem e transferir o conhecimento adquirido e ter consciência dos atos praticados por ele, diferenciando-se assim do restante dos animais. Logo, cultura é muito mais do que conhecimento. É linguagem, código, é a forma da qual nós humanos expressamos as nossas idéias, nossos sentimentos. Cultura é a forma de agir, de ser e de pensar do ser humano. Os significados não estão no objeto, no produto criado, mas sim, na esfera da vida social sendo esses elementos culturais nada significando individualmente.

Entender a cultura dos povos é compreender a formação das sociedades ao longo do tempo, a sua história, os seus hábitos e costumes. Cada povo possui a sua cultura e quando essas se chocam ocorre o etnocentrismo que é "uma visão do mundo onde o nosso próprio grupo é tomado como centro de tudo e todos os outros são pensados e sentidos através dos nossos valores, nossos modelos, nossas definições do que é a existência"1. Sempre vemos a nossa cultura como a melhor e a correta e que os outros devem, ou pelo menos deveriam, ser iguais a nós, e se não os são, esses são chamados de inferiores segundo a nossa interpretação. Para se fazer observações sobre a cultura alheia é necessário conhecer os significados dessa linguagem, senão, tenderemos a analisar as outras visões de forma preconceituosa, pois, estaremos observando signos dos quais ou temos conceitos diferentes ou nem mesmo conhecemos. Assim começamos a classificar culturas superiores e culturas inferiores. A primeira é a "nossa" cultura, a que segue o nosso padrão, a que fala a nossa linguagem, age e pensa como nós. Já a segunda é a que deve ser destruída por ser "atrasada", ignorante por não conhecer a nossa visão. Como na nossa sociedade quem regula a ordem social é a classe dominante, essa é que irá impor a sua "cultura superior" - a cultura da elite.

Para entendermos a dicotomia cultura de massa e cultura