Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Concorrência Perfeita

Trabalho por Daniel Dacoregio Pereira, estudante de Economia @ , Em 27/05/2004

5

Tamanho da fonte: a- A+

Concorrência Perfeita

Tubarão, Maio de 2004.


INTRODUÇÃO

A concorrência perfeita é um conceito exato e forma a base dos mais importantes modelos de comportamento econômico. A essência do conceito, que será definida abaixo mais detalhadamente, é de que o mercado é inteiramente impessoal. Não há "rivalidade" entre os vendedores no mercado e os compradores não reconhecem a sua competitividade vis-à-vis. Portanto, num certo sentido, a concorrência perfeita descreve um mercado no qual existe uma ausência completa de concorrência direta entre os agentes econômicos. Como conceito econômico teórico é o exatamente oposto ao conceito empresarial de concorrência.

Na conversa usual, os mercados para automóveis, ou, digamos, para lâminas de barbear seriam considerados como altamente competitivos; cada firma concorre vigorosamente com suas rivais, que são numericamente poucas.

A principal área de concorrência é na propaganda. A propaganda de uma firma dirá que seus produtos são superiores aos de seus rivais os quais (produtos) ela virtualmente indicará. As firmas também lutam para atrair fregueses por meio do estilo de apresentação, modelos de embalagem, afirmação de durabilidade e outros. Generalizando, existe uma ativa e, às vezes, espúria qualidade competitiva. De fato, as firmas concorrem de quase todos os modos concebíveis, exceto pela redução de preços.

Portanto, o tipo de mercado, assim descrito, está longe daquele que o economista pretende quando fala de concorrência perfeita. Quando este conceito rigoroso é usado, nenhum traço de rivalidade pessoal pode surgir. Todas as magnitudes econômicas relevantes são determinadas pelas forças impessoais do mercado.


1. A CONCORRÊNCIA PERFEITA

O mercado de concorrência perfeita é o mercado ideal. Na concorrência perfeita, nenhum vendedor ou comprador, considerado isoladamente, tem influência sobre o preço de mercado. De fato, nenhum vendedor conseguirá vender o produto a um preço superior ao preço de mercado, simplesmente fará aquisição numa empresa concorrente.

Portanto, é somente a influência conjunta de todos os vendedores e de todos os compradores quem determinam o preço de mercado. Quatro importantes condições definem a concorrência perfeita. Consideradas, conjuntamente, estas condições garantem um mercado livre e, impessoal, no qual as forças da demanda e da oferta – ou receita e custo determinam a alocação de recursos e a distribuição das receitas.

1.1 Características

mercado pulverizador de tal forma que nenhum comprador ou vendedor teria condições de influenciar os preços ou o comportamento dos demais agentes;

  • perfeito conhecimento do mercado, a começar pelo preço por parte dos que o integram;
  • perfeita mobilidade de recursos;
  • ausência de entraves ao ingresso de novas empresas;
  • homogeneidade de produtos;
  • a capacidade de absorção dos produtos pelo mercado é um dado para as empresas.


1.2 Grande Número de Pequenas Empresas

Primeiro, a concorrência perfeita requer que todos os agentes econômicos no mercado sejam pequenos, em relação a todo o mercado, não podendo exercer influência perceptível no preço. Do ponto de vista dos compradores, isto significa que cada consumidor tomado individualmente, deve ser tão insignificante que não consegue obter regalias especiais dos vendedores. Talvez a mais familiar regalia é o desconto, especialmente na área de serviços de transportes. Podem porém existir muitas outras, tal como os contratos de crédito especial aos grandes compradores, ou retribuições de serviços adicionais gratuitos. Nenhum destes pode vigorar, se o mercado é perfeitamente competitivo.

Do ponto de vista dos vendedores, a concorrência perfeita requer que cada produtor seja tão pequeno que não pode afetar perceptivelmente o preço de mercado por variações na sua produção. Isto significa que cada produtor em concorrência perfeita acredita que sua curva de demanda é uma reta horizontal. Se todos os produtores agem do mesmo modo e ao mesmo tempo, variações na