Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Significado das Palavras - Linguagem Jurídica

Trabalho por Fabricio Fernandes Coelho, estudante de Direito @ , Em 22/04/2003

5

Tamanho da fonte: a- A+

Significado das Palavras


Esbulho
: derivado do latim spolium, de spoliare (espoliar, despojar), foi admitido na terminologia jurídica com o sentido próprio de ato violento, em virtude do qual é uma pessoa despojada ( desapossada), contra sua vontade, daquilo que lhe pertence ou esta em sua posse, sem que assista ao violentador qualquer direito ou autoridade, com que possa justificar seu ato.

Diz-se também, espoliação, distinguindo-se, no entanto, de espolio, com a mesma origem etimológica mas de sentido diferente.

Na técnica jurídica, o esbulho se mostra uma usurpação. E a lei assegura ao usurpado ou esbulhado o direito imediato de defender a sua posse, mediante a ação, que se diz de esbulho, de reintegração ou força espoliativa, a qual tem pôr objetivo integra-lo na posse, de que foi violentamente privado. 

Mérito: Derivado de meritum, é tido no mesmo sentido de merecimento.

É, então, mais rapidamente empregado para exprimir o valor ou a valia da pessoa pelos seu atos de bondade, por sua benemerência ou por suas qualidades morais ou intelectuais.

Significa, assim, a dignidade ou a consideração, em que a pessoa é tida por seus pares.

Possui, nesta razão, sentido mais estrito que merecimento.

Mérito. Na acepção que é tido na terminologia do direito processual, mérito quer exprimir e designar a matéria, em que se funda ou se baseia, principalmente, a questão.

Quer, então, distinguir o ponto dominante, da pendência, sobre o qual deve serva a decisão.

Nele é que se funda o perdido do autor. A designação de mérito, pois, mostra a relevância do assunto, porquanto representa ou se mostra aquele que deve ser decidido, visto ser ele o próprio motivo ou a razão de ser da demanda.

Assim, tecnicamente, resolver o mérito, é da solução à relação jurídica, que se trouxe à discussão, como matéria principal e fundamental da contentada. Falar sobre o mérito é discutir ou apresentar as razões em que se calca o direito dos litigantes.

Nesta razão e que se diz que o feito terminou sem solução do mérito, quando é a causa paralisada sem que se decida sobre o ponto ou questão principal da demanda.

MÉRITO DO ATO ADMINISTRATIVO. No Direito administrativo, é expressão designar a conveniência e a oportunidade que a lei coloca à disposição do administrador quanto aos elementos de objeto e motivo do ato administrativo. 

Perempção: derivado do latim peremptio, de perimere, (destroçar, aniquilar, prescrever, extinguir), no sentido originário ou literal significaria o mesmo que perecimento: morte violenta ou provocada.

Mas, no sentido técnico do direito, perempção tem conceito próprio embora resulte na extinção ou na morte de um direito.

E, assim, exprime propriamente o aniquilamento ou a extinção, relativamente ao direito para praticar um ato processual ou continuar o processo, quando, dentro de um prazo definido e definitivo, não se exercita o direito de agir ou não se pratica o ato.

Esta sim integrada no sentido genérico de perecimento. E se assemelha à prescrição e a decadência, pelos resultados jurídicos que dela decorrem, isto é , extinção de um direito, antes assegurado ao litigante.

A perempção, porem, ocorre sempre dentro do processo, quando no prazo assinando não se praticou o ato, ou, dentro de um certo prazo, não se fez o que era para fazer.

Em certos casos, pode significar a prescrição, porque dela pode resultar a perda de um direito. Mas, dela se difere, como acentuamos, porque se aplica exclusivamente ao processo.

Da decadência, também, se diferencia, desde que esta se refira à extinção do direito pela falta do