Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Ensaio sobre Governo Civil de Locke

Trabalho por Tiago Osvaldo da Silva Torres, estudante de Direito @ , Em 24/07/2003

5

Tamanho da fonte: a- A+

O ENSAIO SOBRE O GOVERNO CIVIL DE JOHN LOCKE


Introdução:

John Locke

John Locke nasceu em Wrington, em Somerset, no sudoeste da Inglaterra, em 29 de agosto de 1632, e faleceu com 72 anos, em 1704. A família de John Locke era da linha puritana da religião anglicana, seu pai, também John Locke, era um pequeno proprietário e sua mãe, Agnes Locke, filha de um curtidor. Viviam em um chalé coberto de colmo num conjunto de moradias de famílias do mesmo nível da sua. John Locke era o filho mais velho de três e seu pai deu-lhe educação severa e correta, a qual Locke assim a reconheceu depois de adulto.

O período da infância e adolescência de Locke deu-se durante a ascensão de uma nova filosofia que resultaria no Iluminismo. As descobertas de Galileu já se tornavam conhecidas, Campanella publicava trabalhos em Paris e apareceram as primeiras publicações de Thomas Hobbes e Renné Descartes.

Nesta mesma época ocorre também uma guerra civil na Inglaterra, que durou de 1642 a1646, quando puritanos e presbiterianos escoceses aliam-se contra o Rei Carlos I. Foi neste conflito que Cromwell comanda os rebeldes. Condenado pelo Parlamento, o Rei Carlos I é executado em 1649. Seu filho, o príncipe de Gales, posteriormente Carlos II, fugiu para a França, refugiando-se em Paris.

John Locke está entre os filósofos chamados empiristas, por compatibilizarem a ciência junto à filosofia, valorizando a experiência como fonte de conhecimento. John Locke destaca-se pela sua teoria das idéias e pelo seu postulado da legitimidade da propriedade, inserido na sua teoria social e política. Para ele, o direito de propriedade é a base da liberdade humana "porque todo homem tem uma propriedade que é sua própria pessoa". O governo, dizia, existe para proteger esse direito.

Locke estava interessado nos tópicos tradicionais da filosofia: o Eu, o Mundo, Deus e as bases do conhecimento. É contemporâneo de Thomas Hobbes mas, ao contrário deste, é liberal e tem convicções parlamentaristas. As teses de Locke influenciaram enormemente as bases das democracias liberais, a tal ponto de, no século XVIII, os iluministas franceses terem buscado as principais idéias responsáveis pela Revolução Francesa em suas obras. Inclusive a teoria da separação dos três poderes de Montesquieu foi inspirada em Locke. Também influenciou significativamente os pensadores norte-americanos na elaboração da declaração de sua independência em 1776.

Formação:

Após a vitória dos Parlamentaristas, aos 15 anos, Locke foi indicado e aceito na Westminster School, em Londres, o velho Colégio de São Pedro. Aí, Locke estudou principalmente grego e latim.

Em 1652, Locke foi aprovado para a Christ Church College, o principal colégio em Oxford. Completou seus estudos de bacharelado em artes, assistido por um tutor, conforme o sistema da escola, no decurso de três anos e meio. Locke buscou complementar sua educação com a leitura de obras contemporâneas de filosofia, particularmente de Descartes. Interessou-se, acima de tudo, pela nova ciência experimental criada por Roger Bacon e adquiriu formação médica. Seu interesse pela medicina o aproxima de Richard Lower, um dos pioneiros da fisiologia cardíaca e o primeiro a efetuar uma transfusão de sangue.

Os interesses principais de Locke recaíam sobre as ciências naturais e pela investigação social e política. Mas aquelas disciplinas básicas, no entanto, que constituíam o método escolástico, lhe foram úteis mais tarde, como filósofo. Em 1660, Locke foi eleito "Lecturer", um cargo próprio dos colégios ingleses, equivalente a tutor, orientador ou instrutor de alunos de Grego no Christ Church. Dois meses depois de sua nomeação seu faleceu, deixando-lhe algumas terras e alguns chalés perto de Pensford. Este patrimônio pode dotar o filósofo de uma renda suficiente