Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Inaloterapia

Trabalho por Luiz Gustavo, estudante de Fisioterapia @ , Em 22/04/2003

5

Tamanho da fonte: a- A+

Inaloterapia


INTRODUCAO

Serao abordados neste trabalho os aparelhos e os equipamentos que normalmente sao empregados na rotina da fisioterapia respiratória.

O assunto em questao é a inaloterapia; a qual pode ser subdividida em fluidificacao, oxigenoterapia e broncodilatacao. Esta, objetiva-se em manter a umidade das vias aéreas adequadas, para a garantia de uma respiracao apropriada.

Sobre a fisiologia respiratória, normalmente a árvore traqueobronquial é capaz de manter 100% a umidade corporal do gás inspirado, por evaporacao, através da mucosa respiratória. Este processo extremamente eficiente, ocorre próximo a laringe e proporciona gás umedecido de forma adequada aos bronquios, a 37 graus C.

Os cílios do sistema respiratório encontram-se recobertos por uma superfície delgada de água que sustenta uma camada de muco. A agitacao ciliar mobiliza a zona aquosa, fazendo ascender continuamente ao muco, bactérias retidas, corpos estranhos,etc...; dirigindo-se a faringe para serem expectorados.

INALOTERAPIA

A inaloterapia é um recurso utilizado para manter a umidade adequada das vias aéreas, permitindo que a respiracao funcione apropriadamente. É indicada para administracao de medicamentos, principalmente os broncodilatadores e os mucolíticos, e ou para suplementar o oxigenio no sistema respiratório do paciente. Com o uso da inaloterapia, pode-se mobilizar e fluidificar as secrecoes mucosas, aliviar o edema da mucosa, reduzir o broncoespasmo e até reduzir processos inflamatórios por nebulizacoes de antibióticos.

Na forma nao invasiva, pode-se realizar a umidificacao, administracao de oxigenio e medicamentos por meio de nebulizacoes. Os medicamentos dos nebulizadores podem ser por acao pneumática (ar comprimido), em que um estreito jato de gás de alta pressao é expelido através de um reservatório de água, formando gotas de água e vapor lancados contra um anteparo que filtra as partículas maiores de água, com tamanhos de 5 a 20 mícrons, ou por acao mecanica ou ultra-sonica, em que uma corrente elétrica ativa um transdutor piezoelétrico, produzindo vibracoes de altíssima frequencia, transmitidas para um recipiente plástico fino contendo solucao terapeutica. Essas partículas, de tamanho inferior a 0,5 a 8 mícrons, sao suspensas no gás propelente para um inalador.

Os medicamentos também podem ser administrados por aerossóis properidos a freon, um gás que gera alta pressao e produz uma névoa com a solucao medicamentosa. Nas unidades de tratamento intensivo (UTIs), sao utilizadas nebulizacoes contínuas para umidificar as vias aéreas e administrar oxigenio, principalmente para os pacientes que foram extubados e ainda apresentam administrar oxigenio, principalmente para os pacientes que foram extubados e ainda apresentam valores diminuídos da pressao parcial de oxigenio, hipoxemia.

A inaloterapia em geral pode provocar infeccoes ou superinfeccoes, em frequencia maior que a suspeitada, por contaminacao do equipamento (organismos gra-negativos) e pelas alteracoes na fagocitose e transporte provocadas pelo oxigenio em alta tensao.

De acordo com a aplicabilidade, a inaloterapia pode ser dividida em fluidificacao, oxigenoterapia e broncodilatacao.

FLUIDIFICACAO

A fluidificacao por inaloterapia pode ser utilizada tanto na UTI, estando o paciente intubado ou nao, quanto no ambiente ambulatorial. Pode ser invasiva, por meio de ventilacao mecanica; ou nao invasiva, por meio de inaladores dos mais diversos tipos. Necessitam de inaloterapia os pacientes que estao impossibilitados de umidificar as vias aéreas, quando estas nao estao funcionando adequadamente ou apresentas secrecoes espessas aderidas, que devem ser canalizadas por um tubo endotraqueal ou traqueostomia para que possam ser umidificadas.

De forma invasiva, estando o paciente intubado, o ar proveniente do ventilador deve ser umidificado e aquecido para que as vias aéreas nao fiquem ressecadas; isso é possivel com o acondicionamento do ar por meio de um umidificador e aquecedor acoplado ao ventilador. Juntamente com o ar, podem-se administrar concentracoes de oxigenio provenientes do ventilador, que serao determinadas de acordo com a necessidade de cada paciente.

OXIGENOTERAPIA

A oxigenoterapia é uma terapeutica que tem por finalidade primária a administracao de oxigenio suplementar na tentativa de manter a saturacao de oxigenio maior que 90%, corrigindo