Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Considerações Finais de Estágio Curricular Supervisionado 1

Trabalho por Flávia Gracindo, estudante de Pedagogia @ , Em 01/01/1970

5

Tamanho da fonte: a- A+

 

    INTRODUÇÃO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1

 

 

O Estágio Curricular Supervisionado 1 é importante para que o futuro professor aprenda como é a rotina de uma escola e principalmente de uma sala de aula, bem como lidar com imprevistos e resolver conflitos de ciúmes ou disputa de brinquedos por exemplo. Ao final de cada etapa, decidir se vale a pena encarar os desafios diários e aprender com cada um deles ou se deixa a insegurança e o medo serem maiores que a vontade de vencer.

Do dia 4 de setembro ao dia 4 de outubro de 2012, tive a oportunidade de realizar o estágio curricular supervisionado 1 na EPG Capitão Gabriel José Antonio, ao qual realizei um sonho antigo: voltar ao início de tudo, pois foi nessa instituição que produzi meus primeiros rabiscos, fiz as primeiras amizades e abracei a professora ao término de cada aula.

Durante o estágio, observei cada atividade executada pela professora e como ela conduzia sua turma, desde a contagem de cada aluno, ao início da aula, para aprenderem matemática, até o jantar, por volta das 17h30.

Em alguns momentos, a turma se excedia na conversa ou nas brincadeiras e para reorganizar a aula, a professora era autoritária não só em situações específicas mas na maioria das vezes pois dizia que professora muito carinhosa perde a autoridade. Observando esse fato, percebi que mais do que o medo, o respeito traz mais resultados pois é importante saber o momento de exercer autoridade e praticar a afetividade.

A professora explicava a atividade do dia e em seguida, ajudava a quem me chamasse ou, ao passar pelas fileiras, eu percebesse algum erro, por mais insignificante, já corrigia. Era comum várias crianças me chamando ao mesmo tempo mas aprendi a me organizar e atender a todos.

No momento de irem ao banheiro, a professora os levava,organizava a fila para que cada grupo fosse e ao voltar, era a vez do outro grupo. Foi assim durante alguns dias, até que tive a chance de levá-los sozinha, organizar a fila, como observei e deu tudo certo – uma atividade permanente mas que aprendem a respeitar as regras e a vez do colega.

A oficina de informática, o dia do brinquedo, dia de levar livro pra casa e a votação do filme do dia, têm dias específicos e são atividades ansiosamente esperadas por eles. A professora solicitou que eu ficasse com os 30 na sala de informática. Aceitei o desafio o desafio. Nos primeiros minutos me perdi mas logo me organizei e me diverti muito e eles também.

Em 1 mês de estágio, observando e praticando, aprendi o mais importante: mais do que alunos, estão na sala pequenas vidas com realidades, pensamentos, carências e emoções diferentes e que os  30 pequenos anjinhos precisam mais do que aprender a pintar direito,a prender a ler e escrever seus nomes e as palavras, na verdade, precisam de uma amiga,uma psicóloga, de uma confidente.

Participei do estágio imaginando que ensinaria mas na verdade aprendi com os pequeninos que ser professora é ver sempre o melhor de cada aluno, encarar cada dificuldade com fé e acima de tudo,nunca desistir de fazer algo mais porque é nesse alo mais que está o um sucesso.