Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Caso para Ensino: Decisão de Financiamento Para a Empresa Gotas de Frutas

Trabalho por Alan Miranda, estudante de Administração @ , Em 01/01/1970

5

Tamanho da fonte: a- A+

Caso para ensino: Decisão de Financiamento para a empresa Gotas de Frutas

 

Resumo:

 

O caso trata da opção de novo investimento para a empresa Gotas de Frutas, especializada na venda de picolés, que sofre com brusca diminuição de suas vendas nos meses frios. Os sócios da empresa estão planejando começar a comercializar marmitas, como forma de manter algum rendimento nestes meses. Para isto, eles precisarão buscar formas de financiamento em bancos. O foco do ensino é na tomada de decisões estratégicas, principalmente relacionadas ao custo de financiamentos. Além disso, será abordado questões referentes ao ponto de equilíbrio nas vendas, que pode auxiliar como norte para a empresa.

 

Palavras chave: Decisão estratégica, investimentos, juros, ponto de equilíbrio.

 

Conhecendo a empresa:

 

Quando Aline saiu de férias e foi visitar seu pai, Marcelo, em Carolina do Leste, percebeu que o mesmo estava bastante preocupado com o novo negócio que tinha adquirido. A empresa foi aberta às pressas e sem nenhum planejamento financeiro. Os sócios, Marcelo e Silvana, estavam indecisos sobre realizar novos investimentos e ainda não sabiam se já tinham recuperado os investimentos iniciais realizados. Eles pretendiam pegar um financiamento junto a uma instituição financeira para abrir um negócio alternativo, pois perceberam que no inverno suas vendas caiam em 80%.

 

Desde 2011, a empresa de Marcelo e Silvana, chamada Gotas da Fruta, atua no mercado de picolés artesanais no Estado do Mato Grosso, oferecendo a seus clientes produtos com sabor e qualidade.            Com a fabricação de 22 sabores e uma produção de aproximadamente 700 picolés por dia, a Gotas da Fruta vende para pequenos comerciantes em Primavera do Leste (MT), fazendeiros da região e para o consumidor final.

 

            A empresa possui um pequeno galpão, onde realiza toda a produção de picolés. Com duas máquinas de produção, seis formas e cinco freezers para armazenagem, a empresa produz em torno de quinze mil picolés por mês. Geralmente, os insumos para a fabricação vêm de Cuiabá (capital do MT, localizada a 230 Km de Primavera do Leste) ou mesmo de Belo Horizonte, quando um dos sócios viaja para a capital mineira. Atualmente, é composta por três funcionários que trabalham na fabricação e cinco entregadores de picolés que trabalham pelo regime de comissão sobre venda, 50% das vendas.

 

Durante as férias de 2012, Aline conheceu a gerente da Sorveteria Frutos da Terra, Halyni Teodoro – que é uma das vendedoras dos picolés da Gotas da Fruta – e percebeu que a mudança de estação pode ser realmente um problema para ambas as empresas. "As pessoas que não moram em Mato Grosso costumam se assustar com o calor. A opção então é se refrescar com sorvetes e picolés". De acordo com ela, um adulto consome uma média de 3 a 4 picolés por dia. Ela ainda completa: “Mas quando o inverno chega, o frio aqui é bastante expressivo, e não conseguimos nem pagar nossos custos fixos e, realmente, a opção é ter um produto diferente ou negócio alternativo.”

 

            Após conhecer o comércio local, Aline sentou com seu pai e ouviu seu desabafo:

 

            – Filha, estou bastante preocupado. Minha produção de picolé caiu muito agora em junho e estou recorrendo ao cheque especial disponível no banco para cumprir com alguns compromissos pagando juros de 6% ao mês. Sei que o momento não é para novos investimentos, pois a situação é delicada. Eu e a Silvana pensamos em vender marmitas como forma alternativa de ganhar dinheiro, pois como você sabe os picolés não tem saída nessa época de junho, julho e agosto. A Silvana pensou em captar recursos que darão algum fôlego à empresa. A ideia é buscar um financiamento com um taxa de juros menor para evitar utilizar o cheque especial e, ainda, comprar um forno industrial, ingredientes e embalagens para a fabricação de marmitas. Essa seria a alternativa para resolver a situação a curto prazo, mas preciso de ajuda para organizar as finanças da empresa. Preciso saber se é viável realizar esses investimentos agora.

 

            - Poxa pai, estava pensando sobre a comissão que você