Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Preconceito Linguistico

Trabalho por Marcia, estudante de Letras @ , Em 30/11/-0001

5

Tamanho da fonte: a- A+

TRABALHO DE PIALUNA: MARIA MÁRCI DE ALBUQUERQUEPRECONCEITO LINGUISTICOPreconceito lingüístico é o deboche, a sátira, ou a não-tolerância em relação ao modo de falar das pessoas.É preciso se conscientizar de que toda língua varia. O que hoje é visto como certo, pode ter sido erro no passado, o que hoje é considerado erro pode vir a ser perfeitamente aceito como certo no futuro da língua. É importante respeitar a variedade lingüística de toda e qualquer pessoa, pois isso equivale a respeitar a integridade física e mora dessa pessoa.Não somos a língua que falamos, pois não é dela que provém a qualidade humana de cada um de nós, o nosso conteúdo individual decorre dos valores que assimilamos, na religião que professamos, das experiências de vida.Em minha opinião vejo que não é o fato de ter colocado acento em uma palavra que não tem acento que vai me excluir na vida social, mesmo porque a língua varia muito, hoje essa palavra se escreve assim, mas daqui a algum tempo ela poderá sofrer alterações.O Importante é conseguirmos transmitir para os outros nossas idéias, expor de forma clara o raciocínio, ter um bom diálogo, e a troca de informações.O preconceito, às vezes, inibi as pessoas não deixando que elas exponham suas idéias, como medo e vergonha de não estar obedecendo à norma culta da língua portuguesa. Eu mesmo, por timidez, deixei de argumentar várias coisas, pelo simples receio de alguém me ridicularizar com meu português “pobre”.Ainda me lembro dos meus seus tempos de escola, quando aquele colega que sempre que precisava ler alguma palavra com dois (rr) como, por exemplo, carroça, acabava pronunciando um belo caroça  e toda a turma caía na gargalhada. Ou ainda aquele que veio lá do interior e era conhecido como caipira. Pois já naquele tempo, inocentes crianças, estavam cometendo preconceito lingüístico.Todos nós, com certeza temos ou já tivemos algum tipo de preconceito lingüístico. Aprendemos assim desde pequenos a ter essa atitude sem ao menos imaginar nas suas conseqüências. E importante nos livrarmos desse fantasma.