Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Domínio Cognitivo Baseado em Piaget

Trabalho por Tiago Effting, estudante de Terapia Ocupacional @ , Em 03/04/2006

5

Tamanho da fonte: a- A+

DOMÍNIO COGNITIVO (Baseado em Jean Piaget)

Joinville, abril de 2005


A teoria cognitiva foi construída por Piaget partindo do princípio que existe certa continuidade entre os processos biológicos de morfogênese e adaptação ao meio e a inteligência. "Com efeito, a vida é uma criação continua de formas cada vez mais complexas e um equilíbrio progressivo entre essas formas e o meio. Dizer que a inteligência é um caso particular de adaptação biológica é, pois supor que ela é essencialmente uma organização e que sua função é estruturar o universo como o organismo estrutura o meio imediato" (Piaget, 1991:10). Esta citação tem significado a partir da estrutura anatômica e morfológica que passa pelos sistemas de reflexos levando aos hábitos e associações adquiridos que dão origem a inteligência prática ou sensório motora e a inteligência refletida.

Piaget destaca dois sentidos diferentes para a relação entre o hereditário e o intelectual: o estrutural está presente no sistema nervoso e órgãos sensoriais e o funcional, diz respeito ao funcionamento da inteligência. A adaptação é um processo de transformação desencadeado pelo organismo visando a sua conservação no meio em que vive.

Os processos de organização, assimilação e acomodação são operacionalmente eficientes ao longo da vida, fornecendo a continuidade essencial através dos estágios de desenvolvimento. É constante ocorrer interações entre assimilação e acomodação, e a adaptação não poderia ocorrer se as interações não tivessem que ser reguladas.

Com relação aos efeitos de maturação, experiência e ambiente social, Piaget destaca que a maturação influencia no ritmo de desenvolvimento, incluindo a inteligência, porém não é o único determinante. Os efeitos de maturação consistiam em abrir novas possibilidades para o desenvolvimento e dar acesso às estruturas que não poderiam surgir antes que as estruturas fossem oferecidas. "Mas entre possibilidade e atualização, deve intervir uma série de outros fatores tais como exercício, experiência e interação social" (Piaget, 1970:720). Exercícios com ou sobre objetos, obtendo informação dos objetos pelo processo de abstração e experiência lógico-matemática estão incluídas na experiência do ambiente físico. O ambiente social inclui o ambiente educacional e o ambiente cultural mais geral, vivenciado pelo indivíduo. Em conseqüência do ambiente social os estágios de desenvolvimento são acelerados ou retardados, porém a ordem invariável da passagem de um estágio para outro não pode ser atribuída a efeitos ambientais, pois todas as crianças percorrem os estágios na mesma ordem seqüencial.


Os estágios do desenvolvimento cognitivo

Segundo Piaget, todas as crianças percorrem os estágios na mesma ordem seqüencial fixa, mas a idade cronológica em que as crianças completam cada estágio sucessivo varia um pouco.

Estágio I: Sensório Motor (Do nascimento aos 2 anos):

  • O pensamento ocorre principalmente através de ações.
  • Melhora a coordenação de "input" sensorial.
  • Melhora a coordenação de respostas físicas.
  • Objetos e pessoas, incluindo a si mesmo, são diferenciados um do outro e reconhecidos como permanentes.

Estágio II: Pré-operacional (2 a 7 anos):

  • Aumenta o uso da linguagem e do pensamento simbólico.
  • Predomina o egocentrismo.
  • A centralização (prestar atenção a uma característica ou parte marcante), em vez de descentralização (análise de todo e partes) caracteriza a percepção e o pensamento.
  • Produz imagens mentais de situações e coisas estáticas, em vez de processos e transformações.
  • Irreversibilidade no pensamento (sabe pensar de um modo, mas não de modo reverso; p.ex., contar, dizer letras do alfabeto).
  • Objetos perceptivelmente similares são classificados como semelhantes.
  • Palavras (nomes) são associadas com algumas coisas e com algumas classes de coisas.

Estágio III: Operações concretas (7 a 11 anos):

  • Ocorre o pensamento lógico, usando objetos concretos.
  • Ocorre a