Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Benefícios da Atividade Física para o Idoso

Trabalho por Daniela Aguiar Vieira, estudante de Educação Física @ , Em 22/04/2003

5

Tamanho da fonte: a- A+

Benefícios da Atividade Física para o Idoso


ENVELHECIMENTO

Marcos Cronológicos:

Na concepção de alguns geriatras, a idade adulta corresponde mais ou menos dos vinte e um anos aos quarenta e cinco anos (idade madura).

Já na concepção de outros que atuma com atividades físicas para terceira idade esta classificação se dá da seguinte maneira:

Meia idade ou idade crítica ou idade pré-senil:

É a idade que vai dos 40 aos 60 anos, onde encontram-se os primeiros sinais do envelhecimento. Ocorre uma tendência ao aparecimento de diversas doenças que afetarão a próxima fase, entre elas observa-se hipertensão, câncer, arteriosclerose, diabete e angina.Evidencia-se uma diminuição das células de todos os órgãos, aumenta a quantidade de gordura em todo o organismo. Esta fase caracteriza-se pela diminuição progressiva do desempenho na atividade física, mas com aprimoramento da atividade cerebral e espiritual.

Senescência gradual:

Dos 60 aos 70 anos. É nesta fase que as doenças já são mais evidentes e ocorre sua perda de forca física e algumas perdas sociais.

Velhice Conclamada:

Inicia aos 70 anos, é caracterizada pelo declínio do desempenho mental. As doenças afetam agora sua vida diária e somam-se a perdas econômicas e físicas alem da perda dos parentes e amigos.

Longevidade:

Acima dos 90 anos. O individuo nesta fase encontra-se dependente das etapas anteriores e em equilíbrio instável.


PRINCIPAIS MUDANCAS NO ORGANISMO

Sistema Nervoso:

Ocorre uma diminuição da atividade cerebral, deficiência e perda de neurônios, diminuição dos reflexos da sensibilidade e da percepção corporal.

O fluxo sanguíneo está diminuído em 20 a 30%, a reserva de oxigênio, as atividades enzimáticas (metabolismo) e a respiração celular estão também reduzidas.

A atividade física leva a uma vaso-dilatação, aumentando a oferta de oxigênio no cérebro.

Sistema Motor:

As articulações, músculos e ossos sofrem diversas alterações entre eles a diminuição da estatura entre 50 e 55 anos se acentuando entre os 70 e 85 anos. A mulher experimenta este fenômeno antes que os homens. A diminuição é de 3 a 4 centímetros e se deve a compressão das vértebras e ao achatamento dos discos intervertebrais.

Os ombros se curvam mais, a cabeça se inclina para frente alterando assim suas curvaturas dorsais prejudicando o desempenho e manutenção da coluna além de também aparecer os primeiros sinais de osteoporose.

Com o envelhecimento, a superfície articular torna-se mais delgada e frágil, a sobrecarga é danosa ã articulação e em pessoas obesas pode ocasionar o aparecimento de processos degenerativos articulares (artroses) principalmente de joelhos e articulação do quadril (fêmur e bacia), justamente pela sobrecarga exercida pelo excesso de peso.

Já os músculos perdem a forca e diminui o tônus muscular devido a redução nas fibras musculares podendo ocasionar atrofia muscular.

Sistema Cardiovascular:

O coração aumenta seu volume e as válvulas cardíacas ficam rígidas. A freqüência cardíaca diminui, assim como diminui a resposta cardíaca ao exercício e do volume de sangue que o coração bombeia a cada batida (debito cardíaco), ocasionando a diminuição da velocidade da circulação.

O processo de arteriosclerose (endurecimento das artérias), inicia-se com um deposito de lipídios na camada intima dos vasos que vai aumentando e se organizando como tecido fibroso.

A superfície arterial nos locais de formação dessas elevações são mais frágeis e podem romper-se levando a agregar-se neste local as chamadas plaquetas que ativam o processo de coagulação do sangue, originando uma trombose na artéria, causando sua obstrução,