Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

A Importância dos Moluscos na Saúde Pública

Trabalho por Jalsi Tacon Arruda, estudante de Biologia @ , Em 22/04/2003

5

Tamanho da fonte: a- A+

Moluscos

Goiânia, GO

Novembro de 2002



Introdução

O filo Mollusca compreende cerca de oitenta a cem mil espécies, que ocupam todos os habitates conhecidos. Possuem o corpo mole, não segmentando, consistindo tipicamente de uma cabeça anterior, um pé ventral e uma massa visceral dorsal. São animais que vivem caracteristicamente apoiados sobre o substrato; entretanto, alguns Gastrópodes e Cefalópodes têm vida pelágica. Diferem dos outros animais por apresentarem duas estruturas exclusivas: o manto e a rádula. O manto é uma dobra da parede do corpo que envolve a massa visceral e cuja porção mais externa tem células que secretam uma concha calcária. A concha está presente na maioria dos moluscos; em alguns grupos desaparece, e em outros se apresenta reduzida e recoberta por uma dobra do manto. A constituição da concha (carbonato de cálcio e uma substância orgânica chamada conchiolina) propicia grandes resistências aos choques mecânicos, devido a esse fato, o numero de fosseis de moluscos é grande, o que nos fornece importantes informações filogenéticas. A rádula, ausente nos bivalves, é uma fita de crescimento contínuo, provida de dentes dispostos em numerosas séries iguais; movimenta-se para diante e para trás raspando o alimento e reduzindo-o a finas partículas. O tipo de rádula varia entre os diversos grupos de moluscos, apresentando-se sob formas especializadas.

Os moluscos são o segundo maior grupo de animais em número de espécies, sendo suplantado apenas pelos artrópodes. Apresentam uma disparidade morfológica sem comparação dentre os demais filos de animais, reunindo os familiares caracóis (reptantes), ostras e mariscos (sésseis) e lulas e polvos (livre-natantes), assim como formas pouco conhecidas, como os quítons, conchas dente-de-elefante (Scaphopoda) e espécies vermiformes (Caudofoveata e Solenogastres). Essa extrema diversidade de formas produz uma primeira impressão de que se trata de um grupo não natural. Os moluscos invadiram quase todos os ambientes; costuma-se dizer que só não há moluscos voando. Ocorrem das fossas abissais até as mais altas montanhas; das geleiras da Antártica até desertos tórridos. Vários grupos de bivalves e gastrópodes saíram do mar e invadiram a água doce e, no caso dos gastrópodes, o ambiente terrestre. Existem moluscos predadores (até mesmo de vertebrados), herbívoros, ecto e endoparasitas, filtradores, comensais, sésseis, vágeis, pelágicos, neustônicos etc. Em certos ambientes representam grande biomassa e podem ser importantes na reciclagem de nutrientes. Provas do contato do homem com os moluscos remontam a épocas pré-históricas. Conchas de moluscos fazem parte de jazigos arqueológicos, incluindo, aqui no Brasil, os "sambaquis". Os moluscos serviam de alimento e suas conchas eram utilizadas como ornamento e para a confecção de utensílios de corte, abrasão etc. Há relatos de muitas culturas em que conchas eram usadas como moedas ou mesmo ostentação de poder e sabedoria.

Ainda hoje os moluscos são extremamente importantes na economia de muitos países, como fonte de alimento rico em proteínas, sendo coletados diretamente da natureza ou mesmo cultivados. Em muitos países, possibilitam até a existência de uma indústria de pérolas e de adornos de madrepérola. Apresentam interesse médico-sanitário, pois muitas espécies são vetores de doenças, enquanto outras, aparentemente, podem ser usadas no controle destas.

Em que pese toda a supracitada gama de interesse humano, dentre outras não mencionadas, a quantidade de pessoas que já se dedicaram ao estudo desses animais é proporcionalmente pequena, e muito conhecimento necessita ainda ser gerado para que este atinja um nível satisfatório. 


Morfologia

Os moluscos são animais triblásticos, celomados e protostômios. Apresentam o corpo mole, não segmentado, e com simetria bilateral. A cabeça ocupa posição anterior, onde se abre a boca, entrada do tubo digestivo. Muitas estruturas sensoriais também se localizam na cabeça, como os olhos. Sensores químicos também estão presentes nos moluscos e