Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Relação entre Sujeito, Objeto e Conhecimento

Trabalho por Alex Cardoso Vasconcelos, estudante de Direito @ , Em 22/04/2003

5

Tamanho da fonte: a- A+

Relação entre Sujeito, Objeto e Conhecimento


Sujeito e Objeto formam entre si, uma relação mútua e de complementariedade, pois o Sujeito, aquele que pretende conhecer, se relaciona com o Objeto, o qual será conhecido, de tal forma à produzir o que chamamos de verdade científica, ou verdade parcial.

Sujeito não existe sem Objeto a ser conhecido, nem Objeto sem Sujeito conhecedor. Existem, basicamente, quatro tipos de Objeto, quais sejam: percebido, construído, ideal e real. E ainda, quatro acepções do Sujeito: afetivo, biológico, cognitivo e social.

Da relação entre Sujeito e Objeto nasce o conhecimento científico. Relação esta, e sua conseqüente produção, é o que se torna objeto de estudo da Epistemologia, que é apenas uma acepção da Metodologia. A Epistemologia estuda o conhecimento, sua origem, suas formas, e sua produção a partir das relações entre Sujeito e Objeto. O conhecimento, portanto, é o resultado da relação Sujeito-Objeto. Dessa relação resulta também a verdade, que pode ser subjetiva, objetiva, parcial ou total. A verdade parcial, ou conhecimento científico, almeja a verdade total, onde tudo já está conhecido, nada mais necessita de explicação.

Como elementos da história, Sujeito, Objeto e conhecimento são construtores desta, pois o homem, no decorrer do tempo, sempre se relacionou com o social, abstraindo deste os seus objetos de estudo. A partir do momento em que o ser torna-se conhecido (Objeto), necessitando assim do seu conhecedor (Sujeito), produz o conhecimento necessário a construção da história, da ciência.

Em suma, torna a verdade comum, subjetiva ou objetiva, em científica, buscando no seu intimo conhecer o ser em toda sua ontologia. Busca, enfim, a utopia.