Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

A História da Informática

Trabalho por Sheila Braga Carvalho, estudante de Informática @ , Em 22/04/2003

5

Tamanho da fonte: a- A+

 HISTÓRIA DA INFORMÁTICA


HISTÓRIA DA INFORMÁTICA

A história da informática começa a muitos séculos atrás, na era antes de Cristo. Mas de certo modo, são registradas três datas de nascimento para o computador: uma como dispositivo mecânico de computação, com o surgimento do ábaco; outra como um conceito, com Babbage em 1833; e a terceira como o moderno computador eletrônico digital (1946).

O início de tudo começou com o Ábaco: instrumento composto de varetas ou barras e pequenas bolas, utilizado para contar e calcular. O mais antigo data de aproximadamente 3.500 a. C., no Egito. Por volta do ano 2.600 a. C. apareceu o ábaco Chinês que evoluiu rapidamente e foi chamado em sua forma final de Suan-Pan, de modo semelhante apareceu no Japão o Soroban. Ele constituiu o primeiro dispositivo manual de cálculo, sendo o mais rápido método de calcular até o séc. XVII.

Por essa época, os pensadores europeus estavam fascinados pelo desafio de descobrir meios que ajudassem a calcular. Dentre eles, um dos mais criativos foi o teólogo e matemático escocês John Napier, com sua descoberta dos logaritmos, publicada em 1614. Napier elaborou tabelas de logaritmos que mais tarde foram combinadas em um dispositivo manual para cálculos rápidos: a Régua de Cálculo, desenvolvida no fim da década de 1620 por William Oughtred. Após a régua de cálculo, surgiram outros tipos de calculadoras.

Blaise Pascal, filósofo e matemático francês, inventou em 1642 a primeira máquina automática de cálculo: a Pascalina. Esta máquina era feita de rodas dentadas que simulavam o funcionamento do ábaco, realizava apenas soma e subtração e o resultado era mostrado numa seqüência de janelinhas.

A primeira máquina que efetuava facilmente subtração, multiplicação e divisão, além de raiz quadrada foi construída por volta de 1672 por Gottfried Wilhelm Von Leibniz, recebeu o nome de calculadora universal e era um aperfeiçoamento da Pascalina.

O grande avanço seguinte a princípio nada teve a ver com números. Em 1804, Joseph Marie Jacquard construiu um tear inteiramente automatizado, que era programado por uma série de cartões perfurados. Para produzir um novo padrão de tecelagem, o operador da máquina simplesmente substituía um conjunto de cartões por outro. Esta pode ser considerada a primeira máquina mecânica programável. E os cartões perfurados estavam destinados a produzir seu maior impacto na programação de computadores.

No ano de 1822, Charles Babbage, professor de Cambridge e matemático, idealizou a Máquina das Diferenças, um dispositivo mecânico baseado em rodas dentadas que poderia computar e imprimir extensas tabelas científicas. Porém, esta máquina nunca chegou a ser construída devido às limitações tecnológicas da época.

Em 1833, projetou a Máquina Analítica, que de certa forma era semelhante aos computadores atuais, pois dispunha de programa, memória, unidade de controle e periféricos de saída. E foi concebida não apenas para solucionar um tipo de problema matemático, mas para executar uma ampla gama de tarefas de cálculo, de acordo com as instruções oferecidas por seu operador, através de cartões perfurados. A Máquina Analítica nunca foi construída, mas devido a esse projeto, Babbage ficou conhecido como o Pai da Informática.

Em 1854, o inglês George Boole aliando a lógica à matemática, ele desenvolveu a Álgebra Booleana. Nesta nova disciplina, todos os objetos são divididos em classes separadas, cada uma com uma propriedade diferente; cada classe pode ser descrita em termos de presença ou ausência de uma mesma propriedade (conceito de portas lógicas). A Álgebra Booleana permitiu a seus sucessores a representação dos circuitos de comutação e o desenvolvimento da Teoria dos Circuitos Lógicos.

Em 1890, os cartões perfurados apareceram numa máquina - um tabulador estatístico construído pelo norte-americano Herman Hollerith para acelerar o processamento das estatísticas para o