Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Revolução Russa

Trabalho por Leurel Pereira Borges, estudante de História @ , Em 22/04/2003

5

Tamanho da fonte: a- A+

Revolução Russa


Este artigo tem como objetivo contextualizar e analisar a charge de K. Lixto sobre a guerra russo-japonesa e as manchetes referentes ao processo revolucionário russo. Para ficar mais claro começarei pelo Japão, e em seguida passarei à Russia. Mas antes farei uma breve viagem à epoca em questão (o século XIX) , discorrendo sobre o panorama internacional. Assim ficará masi facil compreendermos os motivos de tais conflitos e a relação entre eles.

A revoluçao industrial exigiu grande quantidade de matérias-primas.xxxx A África e a Ásia
possuíam estes produtos em variedade e quantidade que os europeus nem conseguiram imaginar, chegando a acreditar que eram infinitos.Além disto os habitantes destas regiões usavam ferramentas muito antiquadas em relação às européias, formando bons mercados para os produtos manufaturados europeus.Para assegurar e controlar fluxo de matérias primas e os vastos mercados, os europeus criaram muitas colônias nestes continentes.

Para isso nao pouparam esforços e nem métodos. Frutos de uma convivência com guerras ou pequenos conflitos , os métodos europeus eram bem violentos e cruéis, comparados aos de hoje, que violentam menos, fisicamente. A Grã Bretanha e a França eram as principais potências coloniais na África, estendendo seu domínio colonial por grande parte do continente. Um terço da Ásia caiu sob domínio colonial da Grã Bretanha, França, Países Baixos, Portugal e Espanha.

A China manteve a maioria de seus portos fechados aos europeus , mas a guerra do ópio, contra a Grã Bretanha, forçou a abertura em 1842. Tal fato, favoreceu os ingleses, que plantavam enormes quantidades de ópio na Índia e na Birmânia . No fim do século XIX os europeus haviam formado enormes impérios coloniais pelo mundo, era o Imperialismo. A Europa alcançou um alto nível de desenvolvimento nas artes e nas ciências .xx

O Japão foi um dos poucos países a manter a independência durante o século XIX. Os portugueses foram os primeiros a estabelecer contato entre o ocidente e o Japão , no século XVI. No século XVII , Portugal cedeu suas concessões de comércio aos holandeses, que passaram a monopolizar o comércio com o Japão. Os holandeses só podiam permanecer no porto de Nagasáqui, e aportar apenas um navio por ano. Alem disto alguns náufragos estrangeiros sobreviventes foram mortos,o que deixou os países industrializados ainda mais irritados . Os Japoneses permaneciam isolados durante o século XIX, e realizavam poucas trocas com os holandeses. Mas em 1853 a esquadra do comodoro Matthey C. Perry , formada por quatro navios, chegou ao Japão. Perry tinha ordens de estabelecer relações comerciais e diplomáticas com o Japão. Perry apresentou as exigências norte americanas aos japoneses e voltou com mais navios de guerra em 1854, para saber a resposta dos japoneses. O resultado foi um tratado com o governo japonês da família Tokugawa . O tratado era limitado , mas estabelecia um consulado em Shinoda e a abertura dos portos de Shinoda e Hakodate para o comércio com os Estados Unidos. Depois disso muitos países europeus(Grã Bretanha, Rússia, Paises Baixos) assinaram acordos semelhantes, usando os mesmos métodos dos americanos , a exibição de força . O imperialismo chegara ao Japão.

Mais uma nação caia na rede destruidora e sugadora de capital , sangue, almas, tudo que fosse possível explorar , roubar ou destruir. Situação consolidada pelos tratados. Mas os japoneses não estavam conformado com esta situação, povo com tradições que até hoje não se datou com precisão, ou seja possuidores de uma identidade que falta aos brasileiros povo relativamente novo. Havia naquele povo um grande sentimento de nacionalismo , amavam sua terra, que foi de seus ancestrais e não estavam dispostos a entregá-la facilmente. Houve muitas revoltas que diminuiram o poder dos xoguns* , senhores feudais japoneses. Estes xoguns chegaram ao poder no final do século XII, quando o imperador deu o título de