Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Ginástica Alemã

Trabalho por Fernanda Túlio, estudante de Educação Física @ , Em 22/04/2003

5

Tamanho da fonte: a- A+

Educação Física Alemã


Introdução

A Educação Física Alemã, com características próprias, começou em 1760, com Basedow e filantropismo por ele criado. Entre outros educadores tiveram grande influência: Guthsmuths como o Pai da ginástica, Jahn por sua ação de fundador e fomentador da ginástica patriótica e Spiens por sua luta tenaz em defesa da introdução da ginástica na escola e o seu respectivo aparelhamento. Também contribuíram muito Salzmam, Nachtegal, Eisclen e Friesen. Durante o período nazista, dentro dos conceitos de Jahn, surgiu na Alemanha um sistema militar tendo por objetivo, a preparação intensa do país para a guerra. No entanto, após o conflito o país voltou a empregar formas mais humanas e democráticas.


A ginástica de origem Alemã

Duas fontes contribuíram para a implantação da ginástica alemã no Brasil, fato ocorrido na primeira metade do século XIX. De um lado, as numerosas famílias alemãs que se instalaram no sul do país, formando núcleos que conservavam os hábitos trazidos, dentre os quais estava a ginástica de Jahn. De outro lado, os soldados e oficiais prussianos, que integravam a Guarda Imperial e que, ao deixarem o serviço, não mais regressavam à Alemanha, preferindo fixar-se no Jovem país, que tantas oportunidades lhes ofereciam. O Estado do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo foram os preferidos pelos alemães, embora algumas famílias também tivessem escolhido o interior do Estado do Rio de Janeiro, espalhando-se pelas suas serras, onde o clima era bastante ameno.

Muitas foram as sociedades de ginásticas criadas pelos alemães, que perduraram com as suas características próprias até 1938, ocasião em que, por força do Decreto-lei nº 383, de 18-04-1938, foram nacionalizadas. Na Escola Militar, o método alemão foi oficialmente adotado até 1912, quando foi substituído pelo método francês. Os alemães, desde a segunda metade do século XIX, trouxeram a ginástica alemã, preconizada por Jahn, fundando sociedades de ginástica como a União de Ginástica Alemã, em São Paulo, 1888, e a Sociedade Turnerbund em Porto Alegre, 1892. Por sua vez, a Missão Militar Francesa, que chegou no início do século XX, teve influência decisiva na Educação Física e orientação esportiva no país, tendo contribuído para a criação da primeira escola de educação física no Brasil, a da Força Pública de São Paulo, em 1909.

Idade Contemporânea: A ginástica, no entanto, como modalidade esportiva no aproveitamento dos exercícios físicos só começa a aparecer na Europa em meados do século XVIII. Jean-Jacques Rousseau ( 1712-1778 ) tem seu nome ligado ao reaparecimento da cultura física como fator de educação. Em seu Émile ( 1762; Emílio ) afirma:

Se deseja cultivar a inteligência de seu aluno, cultive as forças que devem regê-la. Exercite seu corpo continuamente. Faça-o forte e são, para que possa fazê-lo inteligente e racional. Deixe-o trabalhar, correr, gritar. Deixe-o sempre em movimento. Deixe-o ser homem de vigor e, pronto, será racional.

Despertou na Europa, nessa época, o interesse pela ginástica, em torno da qual se criaram quatro escolas principais: a inglesa, a alemã, a sueca e a francesa.

A Escola Alemã

Na Alemanha, a ginástica surge para atingir as finalidades apontadas anteriormente, particularmente a da defesa da pátria, uma vez que, este país, no início do século XIX, não havia ainda realizado a sua unidade territorial. Era preciso, portanto, criar um forte espírito nacionalista para atingir a unidade, que seria conseguida com homens e mulheres fortes, robustos e saudáveis.

Acreditavam os idealizadores da ginástica alemã que este "espírito nacionalista", e este "corpo saudável", poderiam ser desenvolvidos pela ginástica, construída a partir de "bases científicas", ou seja, das ciências que dominavam a sociedade da época: a biologia, a fisiologia, a anatomia.

Guths Muthus, um dos fundadores da ginástica na Alemanha, assim se expressa sobre o que deve dar fundamento à ginástica:

"... eu