Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Sistema Monetário Internacional

Trabalho por Graziella Carraro, estudante de Economia @ , Em 22/04/2003

5

Tamanho da fonte: a- A+

Sistema Monetário Internacional (1870-1973)


1 – Diferentemente do que vimos, um país pode deslocar a taxa de câmbio internacional ou mudar a alocação de recursos total, através da mudança de suas próprias variáveis: "A não ser que o país seja muito pequeno, eventos dentro de suas fronteiras afetam as condições macroeconômicas internacionais e, portanto, complicam a tarefa dos formuladores estrangeiros da política econômica." (pg 543, 1º parágrafo).

2 – Com a economia aberta, as possibilidades de eficiência de políticas macroeconômicas é menor. Por isso é que foi adotado o Sistema Monetário Internacional, na tentativa de fazer arranjos monetários e cambiais conjuntos. Três períodos são relevantes: "...a era do padrão ouro ( 1870-1914 ), o período entre as guerras ( 1918-1939 ) e os anos pós-II Guerra Mundial durante os quais as taxas de câmbio foram fixadas sob o acordo de Bretton Woods ( 1946-1973 )." (pg 543, 2º parágrafo).

3 – Como as posições adotadas quanto aos pagamentos internacionais influenciam o equilíbrio externo e o interno, podemos ver como as políticas internacionais mudam uma economia, em relação às decisões tomadas pelo governo.

4 – Serão então analisados neste capítulo, os sistemas monetários internacionais.

5 – Na economia aberta, deseja-se o equilíbrio externo e o interno: "Definido simplificadamente, o equilíbrio interno requer o pleno emprego dos recursos de um país e a estabilidade do nível de preços local. O equilíbrio externo é obtido quando a conta corrente do país não está em um déficit tão profundo, de modo que o país não possa pagar sua dívida externa no futuro, nem com um superávit tão grande que os estrangeiros estejam naquela situação." (pg 544, 2º parágrafo).

6 – As definições de equilíbrio externo e interno às vezes não têm as variáveis que o governo deseja alcançar, mas podemos dizer que contêm a maioria delas perseguidas.

7 – Quando os recursos não são empregados de maneira equilibrada, as adversidades são evidentes. Assim: "Por exemplo, os trabalhadores em horas extras prefeririam estar trabalhando menos e aproveitando o lazer, mas seus contratos exigem que eles trabalhem mais horas nos períodos de aumento da demanda. As máquinas que estão funcionando mais intensamente do que o normal irão quebrar mais freqüentemente e depreciar mais rapidamente." (pg 544, 5º parágrafo). E: "O subemprego e o superemprego também fazem com que os movimentos do nível de preços reduzam a eficiência da economia, tornando o valor real da unidade monetária menos certo e, portanto, um guia menos útil para as decisões econômicas.Uma vez que os preços e os salários domésticos aumentam quando a demanda por trabalho e produção excede os níveis de pleno emprego, e caem no caso oposto, o governo deve evitar movimentos substanciais da demanda agregada em relação a seu nível de pleno emprego, para manter um nível de preços estável e previsível." (pg 545, 1º parágrafo). Por isso: "Para evitar a instabilidade do nível de preços, o governo deve evitar grandes flutuações da produção, que também são indesejáveis em si mesmas. Além disso, ele deve evitar a inflação ou a deflação crescente, assegurando que a oferta doméstica de moeda não aumente tão rapidamente ou tão vagarosamente." (pg 545, 5º parágrafo).

8 – O equilíbrio externo é mais difícil de ser definido, devido à falta de parâmetros como "pleno emprego" ou "preços estáveis".

9 – O equilíbrio externo depende da postura de política que um país adota. Se ele fixar a taxa de câmbio, isso pode ter conseqüências diferentes da de um que a deixa flutuar livremente.

10 – Quase sempre se define o equilíbrio externo com o equilíbrio da conta corrente. Isso é bom em termos. Por exemplo, se um país tem déficit na