Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Monografia: A Importância da Música na Educação

Trabalho por Eliezer de Jesus Vieira, estudante de Letras @ , Em 25/09/2009

5

Tamanho da fonte: a- A+

Monografia: A Importância da Música na Educação

Faculdades integradas módulo
2004

 

 

 

Resumo

Música é a linguagem que organiza expressivamente o som, (matéria prima da música), com o silêncio, seu posto complementar. Música: arte e ciência de combinar os sons de forma agradável, ou ainda, música é a arte de manifestar os afetos da alma e os quadros da natureza mediante o som. Precisaríamos talvez inventar outras palavras para definir a emoção que causa a música em nosso ser. Acreditamos que sua linguagem e a sua importância no desenvolvimento harmonioso do ser humano, em razão do seu potencial na conscientização da interdependência entre corpo e mente, razão e sensibilidade, ciência e estética, e no processo de socialização do aluno, ela busca entender as razões desse silenciamento.

Palavra-chave: Educação. Alfabetização. Criança.

 

Sumário

Introdução
1. Histórico da Música na Humanidade
1.1 A Influência da Música na Religião
2. A Mudança da Educação Musical no Brasil
2.1 A influência de Grandes Músicos Brasileiros
3. A Importância e os Benefícios da Música em Sala de Aula
3.1 A Influência da Música no Meio Social das Crianças
Conclusão
Referências Bibliográficas

 

Introdução

A música, tema escolhido aborda o desenvolvimento tecnológico da humanidade, fatos históricos dela modificadas pelas preferências músicas de cada sociedade. Possibilitando que a proposta de ensino deve considerar essas diversidades, que o aluno traz para a sala de aula, como a sua música e contextualizando-a, e vem oferecer um material riquíssimo para o trabalho didático do professor.

A música, normalmente resgata a sensibilidade do educando que muitas vezes estava esquecida. O aproveitamento da música em sala de aula poderá ser mais um instrumento utilização e oportunizando todos os alunos, principalmente àquele com problemas de aprendizagem, para que venham aprender com mais facilidade.

A música torna o ato de aprender mais agradável, visto trazer à lembrança muito mais rápida aquilo que é de nosso interesse. Faz parte da vida humana, até mesmo antes de seu nascimento; há músicas que marcam fatos históricos e de nosso cotidiano para sempre, na formação de cidadãos é necessário que todos tenham a oportunidade de participar ativamente como ouvintes, intérpretes, compositores e improvisadores, dentro e fora da sala de aula.

Música, um mistério, que não importa a época em que foi criada, mas sim o sentimento que transmite a cada um de nós.

A música é e sempre será, um belo instrumento para o desenvolvimento, a integração, a formação moral e intelectual com toda a sensibilidade a emoção de todo ser humano.

 

1. Histórico da Música na Humanidade

A palavra música vem do grego mousiké e designava, juntamente com a poesia e a dança, a “arte das musas”. O ritmo, denominador comum das três artes, fundia-as numa só. Como nas demais civilizações antigas, os gregos atribuíam aos deuses sua música, definida como uma criação e expressão integral do espírito, um meio de alcançar a perfeição.

A música vem desempenhando, ao longo da história, um importante papel no desenvolvimento do ser humano, seja no aspecto religioso, seja no moral e no social, contribuindo para a aquisição de hábitos e valores indispensáveis aos exercícios de cidadania.

A paixão dos gregos pela música fez com que, desde os primórdios da civilização, ela se tornasse para eles uma arte, uma maneira de pensar e de ser. Desde a infância eles aprendiam o canto como algo capaz de educar e civilizar. O músico era visto por eles como o guardião de uma ciência e de uma técnica, e seu saber e seu talento precisavam ser desenvolvidos pelo estudo e pelo exercício. O reconhecimento do valor formativo da música fez com que surgissem, naquele país, as primeiras preocupações com