Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Como se produz conhecimento científico

Trabalho por João Marcos de Almeida, estudante de Direito @ , Em 22/04/2003

5

Tamanho da fonte: a- A+

Como se Produz Conhecimento Científico ?

Conhecer... Eis a odisséia da vida humana. Ao longo de toda a existência, o conhecimento se tornou vital por excelência. A vida, a morte, o céu, a terra, tudo isso gera perguntas, muitas vezes respondidas, outras não. O homem sempre se valeu, desde os primórdios, dos conhecimentos acumulados.

Por necessidade somos capazes de pensar, de tomar decisões, de viver. Assim, ao longo de toda a nossa existência, o conhecimento, caminho obrigatório para a evolução, começou a tomar outras formas e a serem vistos de várias maneiras, pela flexibilidade do pensar e do expressar.

Apartir do nascimento, o ser humano passa a adquirir conhecimentos que vão se agrupando uns aos outros, numa constante e infindável busca do que lhe é necessário saber ou pelo simples fato de viver e vencer. Diversificadas situações durante sua existência, muitos desses conhecimentos acontecem naturalmente ao longo dos anos, pelo simples convívio com seus semelhantes, trazendo-lhe conhecimentos superficiais, mas que vêm se tornar importantes engrenagens para sua maturidade intelectual.

Para se produzir conhecimento científico, devemos objetivar a produção de hipóteses, modelos, e teorias, o que pode ser alcançado através da coleta de dados e informações sobre um determinado assunto/problema. Desta forma, passa-se a avançar sobre o que se deseja aprofundar, sem deixar passar desapercebido ou desconsiderar pormenores que venham a ser essenciais no decorrer da pesquisa. Deve-se procurar familiarizar-se com o mundo natural, reconhecendo sua diversidade e sua unidade; perceber a inter-relação entre as ciências e a tecnologia, levando em conta que essas são empreendimentos humanos, e como tais, sujeitos a erros e limitações, adquirindo com base nelas, a capacidade de pensar de acordo com as exigências do rigor científico. Esgotar todas as dúvidas de um tópico, antes de iniciar outro, o que nos manterá em nossa linha de raciocínio.

O conhecimento científico deve-se pautar no senso crítico, fazer uma elaboração do que realmente será válido para alcançarmos nossos objetivos. Tem que ser rigoroso, nortea-lo segundo as normas e padrões exigidos pela comunidade científica. Deverá ser o mais objetivo possível, para não dar margens a dúvidas e interpretações dúbias. Tal conhecimento, preferencialmente deverá nascer da dúvida para assim alcançarmos o conhecimento científico. Devemos fazer uma análise do problema em questão, sintetizando-o, ou seja, coloca-lo em uma certa ordem para melhor entendimento, ser preciso no contexto explorado, ser exaustivos, para que assim eliminemos todas as dúvidas que possam surgir, e também procurar sermos claros, de forma que qualquer pessoa, ao ter acesso a esse conhecimento, possa entende-lo perfeitamente.

Temos que buscar de todas as formas, definir o objeto com o qual trabalharemos, distinguindo-o dos demais, para não ter como confundi-lo com outros semelhantes. Estabelecer elos entre as idéias e os conceitos trabalhados, ser consistentes e neutros ao produzirmos o conhecimento científico para que não ocorra erros e imparcialidade. Finalmente devemos pautar-nos pela coerência, e assim darmos mais credibilidade a esse conhecimento.

Existem vários métodos para se alcançar o conhecimento científico, dentre eles destacamos alguns que podem nos orientar na sua produção, dentre eles destacamos:

A METODOLOGIA INDUTIVA-DEDUTIVA DE ARISTÓTELES

Aristóteles via a investigação como uma evolução de observações para princípios gerais e de volta às observações. Ele afirmava que o cientista deveria induzir princípios explicativos a partir dos fenômenos a serem implicados, e então deduzir proposições sobre tais fenômenos das premissas que incluem aqueles princípios. Existem duas formas de indução: a primeira consiste na simples enumeração e a segunda é uma intuição direta daqueles princípios gerais que são exemplificados nos fenômenos.

Para Aristóteles, o genuíno conhecimento científico tinha o status de verdade necessária.

A TEORIA DO PROCEDIMENTO CIENTÍFICO DE GALILEU