Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Pesquisa Sócio-Antropologica

Trabalho por Paula Gomes, estudante de Serviço Social @ , Em 13/11/2009

5

Tamanho da fonte: a- A+

Pesquisa Sócio-Antropologica
Universidade Norte do Paraná - UNOPAR
2008

 

 

 

Sumário

Introdução
Desenvolvimento
Conclusão
Referências

 

Introdução

Grandes foram às iniciativas para as contribuições e ações do serviço social, porém cada uma na sua complexidade teve grande força e sendo assim, serviram de fontes inspiradoras para que houvesse e surgisse o Serviço Social.

Considerando isso, muitas dessas iniciativas, hoje são as que dão vida e característica a sociedade e fez com que cada dia fique mais importante o Serviço Social na vida de cada ser humano.

 

1 Desenvolvimento

Voltando atrás, ainda no começo da formação do país, no período colonial, observa-se que houve diversos motivos que ocasionaram a existência do Assistente Social.

A cultura foi um grande fator que ocasionou uma questão discursiva e óbvia que por sua vez, desfavoreceu na estrutura da formação da sociedade, posteriormente do país.

O por quê da cultura ter papel participativo na iniciativa da natureza do Assistente Social?

A cultura foi muito importante e gerou iniciativas para a ação social, tanto que o país ainda em formação era composto por princípios básicos sociais e estruturalmente sendo formado por questões políticas.

A cultura e seus princípios indeferiam na estrutura da sociedade de tal forma que ocasionaram conflitos entre povos que faziam parte da sociedade, até mesmo com os portugueses, os indígenas, que por possuírem culturas diferenciadas estavam gerando conflitos, que se denominava – etnocentrismo – uma sociedade não é melhor que a outra, um povo não é melhor que o outro, só é diferente!

Acredita-se que boa parte do Assistente Social, da sua natureza, esteja relacionada a esse fator, que têm por base a realidade Brasileira (conflitos sociais), que partindo da cultura, relata-se a desigualdade social que veremos a seguir.

Partindo da força inspiradora que teve a cultura para as ações do Serviço Social, pode-se relatar que por haver diferenças culturais, a sociedade teve uma iniciação de conflitos pensando não somente nesta causa, houve a existência de Serviço Social.

Mas porém teve outro grande motivo que foi o responsável pela existência exata da formação de capacitados na área de Assistente Social , que foi o capitalismo.

O capitalismo visa somente à busca intensa por obtenção de lucros, bem aos proprietários e burgueses, isso gerou uma intensa revolta entre os proletários, que eram ao mais explorados e conseqüentemente os menos favorecidos economicamente e socialmente.

E essa separação de proprietários e proletários afetou as relações sociais, automaticamente envolveu a sociedade no geral.

O capitalismo segundo Karl Marx seria justamente tais relações sociais, mas vendo pelo lado social do assunto, o capitalismo seria o maior responsável pelas más relações sociais adversas, os conflitos sociais, entre os demais fatos discutidos na sociedade, que estavam vinculados à desordem.

Uma sociedade em seu crescimento econômico possui a sua estrutura. De acordo com isso, a estrutura Social da época seria baseada na economia, no capitalismo. Sua estrutura era formada por meios de produção responsável por uma boa parte da sociedade de classe social desfavorecida.

Tal estrutura, no seu modo de produção as relações sociais tem por base a compra e venda da força de trabalho, vista como mercadoria.

Porém, somente no século XIX sob os impactos da Revolução Industrial que as conseqüências começam a ter efeito diante do contexto social.

Então com a vinda da revolução industrial começa uma demanda nas relações sociais de produção, acima de tudo começa uma nova dinâmica e uma grande existência de conflitos sociais.

Além da geração de conflitos outro problema estaria surgindo, uma grande desigualdade social, uma vasta amplificação da pobreza, a generalizada miséria.

A classe trabalhadora estava cansada da ideologia de submissão, ainda mais pertencente a um outro homem da classe