Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

CONCEITOS E DIFERENÇAS ENTRE RECREAÇÃO, LAZER, JOGO E BRINCADEIRA

Trabalho por julio oliveira de lima, estudante de Diversos @ , Em 29/03/2008

5

Tamanho da fonte: a- A+

Conceitos e diferenças entre recreação, lazer, jogo, e brincadeira

Universidade Federal de Rondônia
2007

 

 

 

RESUMO

Alguns autores utilizam as expressões recreação, lazer, jogo e brincadeira como se fossem sinônimos. Para vários autores, recreação, lazer, jogo e brincadeira resultam num processo criativo para modificar, imaginariamente, a realidade e o presente. É difícil estabelecer se uma atividade recreativa é um lazer, um jogo ou uma brincadeira. Para classificá-la, é necessário analisar como esta atividade será desenvolvida e assim chega a uma conclusão. Neste sentido, este estudo procurou identificar através de uma revisão de literatura a posição de diversos autores no que diz respeito a esta diferenciação entre recreação, lazer, jogo e brincadeira. A importância de se identificar esta diferença, é que de acordo com o público alvo e/ou com a faixa etária que se pretende trabalhar, pode-se escolher os tipos de atividades que serão empregadas. Constatou-se ainda que o próprio profissional de educação física pode utilizar uma mesma atividade em forma de recreação, lazer, jogo ou brincadeira, adaptando-a ao público-alvo.

Palavras-chave: Recreação, Lazer, Jogo e Brincadeira.

 

INTRODUÇÃO

O presente trabalho tem como objetivo analisar alguns dos diversos conceitos existentes sobre os temas abordados que são a recreação, o lazer, o jogo e a brincadeira. Desta forma deixando de forma clara e concreta a sua importância para a educação e o desenvolvimento físico, psíquico e social das crianças, jovens e adultos.

Outro objetivo deste trabalho é comparar e diferenciar os diversos conceitos dos temas relacionados acima e desenvolver uma análise crítica sobre cada um deles.

 

Conceitos de Recreação

De acordo com Rousseau (1712-1771) recreação é a “liberdade total da criança, não se deve obrigar o aluno a ficar quando quiser ir, não constrangê-lo a ir, quando ficar onde estar. O aluno deve ser educado por e para a liberdade. É preciso que saltem, corram, gritem quando tiver vontade.”

No conceito de recreação feito por Valente (1994, P.180), percebe-se que é englobado o lazer e o jogo, pois a recreação como atividade e comportamento típico de jogo, está contida no lazer. A recreação tem sido um elemento estudado e entendido predominantemente como um composto do lazer. Dessa forma, todas as citações isoladas da palavra lazer, incluem naturalmente a recreação e o jogo.

Para Toseti apud Gonçalves (1997, p.14) A recreação é muito importante para o ser humano não só para a criança. Todos nos precisamos dos nossos momentos de lazer. A palavra recreação vem do latin, recreare, cujo significado é recrear. Portanto as atividades recreativas devem ser espontâneas, criativas e que nos traga prazer. Devem ser praticadas de maneira espontânea, diminuindo as tensões e preocupações.

Segundo meu entendimento, a recreação é a toda atividade espontânea, divertida e criadora que as pessoas buscam para promover sua participação individual e coletiva em ações que melhorem a qualidade de vida e para satisfazer sua necessidade de ordem física, psíquica ou mental e cuja realização lhe proporciona prazer.

 

Conceitos de Lazer

O autor que mais influenciou a concepção brasileira de lazer foi o sociólogo francês Dumazedier. O conceito de lazer de Dumazedier (1983, p.34) diz o seguinte: “o lazer é um conjunto de ocupações às quais o indivíduo pode entregar-se de livre vontade, seja para repousar, seja para divertir-se, recrear-se e entreter-se, ou ainda, para desenvolver sua informação ou formação desinteressada, sua participação social voluntária ou sua livre capacidade criadora após livrar-se ou desembaraçar-se das obrigações profissionais, familiares ou sociais”.

Para Marcellino (1995, p.31) o lazer também deve ser estudado sob a perspectiva social, e ainda considerando a cultura: “a cultura – compreendida no seu sentido mais amplo – vivenciada (praticada ou fruída) no tempo disponível. O importante como traço definidor é o caráter desinteressado dessa vivência. Não se