Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Problemas na Aprendizagem

Trabalho por Gustavo Moreira Vallim Balestrero, estudante de Psicologia @ , Em 05/05/2007

5

Tamanho da fonte: a- A+

PISICOLOGIA - PROBLEMAS NA APRENDIZAGEM

UNIFAE
2007

PROBLEMAS DE APRENDIZAGEM

Os problemas de aprendizagem que podem ocorrer tanto no início como durante o período escolar surgem em situações diferentes para cada aluno, o que requer uma investigação no campo em que eles se manifestam.

Qualquer problema de aprendizagem implica amplo trabalho do professor junto à família da criança, para analisar situações e avaliar características, visando descobrir o que está representando dificuldade ou empecilho para que o aluno aprenda.

* A noção do normal

O termo normal apresenta várias definições devido a imensa gama de autores que tratam este assunto.

Mielnik formula a definição mais adequada quando afirma que para podemos conceituar o que é normal, devemos buscar-nos progressos da criança, em sua evolução e desenvolvimento, comparando-a com suas próprias habilidades e capacidades em épocas diversas.

Como o movimento da criança para a liberdade e autonomia acontece gradativamente (através da superação de cada crise de desenvolvimento), cabe então reconhecer as características próprias do comportamento infantil em cada faixa etária.

* Problemático ou patológico?

Para que a criança se desenvolva bem, ela precisa de um ambiente afetivamente equilibrado, onde ela receba amor autêntico e onde lhe permitam fazer as necessidades próprias de seu estado infantil. Quando isso não acontece, inicia-se uma luta entre o ambiente em que a criança vive e as exigências que ela apresenta o que fatalmente levará a uma situação de desequilíbrio, possível geradora de comportamentos problemáticos ou até patológicos.

De acordo com Mielnik, a situação problemática abrange especialmente o relacionamento difícil com o meio e as pessoas. Na criança, ela se manifesta em dificuldades emocionais, supersensibilidade, sentimento de rejeição, sensação de pânico em determinadas circunstâncias, ansiedade, regressão ou infantilização.

Ainda segundo o autor, quando essas reações apresentam um evidente agravamento, deve-se considerar o quadro como tendendo a anormal ou patológico. Nesse caso a criança passa a apresentar atitudes destrutivas de maneira compulsiva, medo excessivo de tudo, extrema agitação (ou então torpor e sonolência), desintegração ou mesmo ausência de relacionamento pessoal.

O comportamento anormal ou patológico pode ter origem na própria criança (fator genético) ou no ambiente (fator social).

Para caracterizá-lo, Mielnik afirma que devem ser considerados os seguintes fatores:

- idade

- constituição física

- desenvolvimento (período em que a criança se encontra)

- ambiente cultural

- conduta e personalidade dos pais e irmãos

- tensões e traumas da vida cotidiana dos qual a criança fica exposta

- tendências internas e defesas psíquicas do ego infantil

- influências de pressões externas e internas

- meio de adaptações a essas pressões

- processos envolvidos na maturação da personalidade infantil

Quando se detecta alguma anormalidade após esta verificação de todos esses fatores, é necessário ainda que se faça uma análise a respeito da permanência das características apresentadas. A criança pode estar vivendo uma fase difícil, que será provisória ou não, dependendo de suas condições em superá-la.

* O que são problemas de aprendizagem

Os problemas de aprendizagem referem-se às situações difíceis enfrentadas pela criança normal e pela criança com um desvio do quadro normal mas com expectativa de aprendizagem em longo prazo.

Segundo J. Paz podemos considerar o problema de aprendizagem como um sintoma, no sentido de que não aprender não configura um quadro permanente, mas ingressa numa constelação peculiar de comportamentos, nos quais se destaca como sinal de descompensação.

Esclarecer claramente os limites que separam "problemas" de aprendizagem dos chamados "distúrbios” de aprendizagem é uma tarefa muito complicada, que fica a critério do especialista na área em que a deficiência se apresenta.

Existem inúmeros fatores que podem desencadear um problema ou distúrbio de aprendizagem:

- Fatores Orgânicos = saúde física deficiente, falta de integridade neurológica (sistema