Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Natação - Adaptação ao Meio Líquido

Trabalho por Alex Sandro da Silva, estudante de Educação Física @ , Em 22/04/2003

5

Tamanho da fonte: a- A+

Natação Adaptação ao Meio Líquido


Introdução

Geralmente, o primeiro contato com o meio líquido o aluno(a) sente alterações em seu corpo, que são na maioria da vezes normal. É necessário uma adaptação gradual com a finalidade de evitar o conhecido " trauma de água ". Uma má adaptação ao meio líquido poderá influir negativamente em uma aprendizagem futura.

Antes de tudo tem quatro aspectos essenciais nesta fase: o respeito pela fase de desenvolvimento maturacional que o aluno se encontra, o contato físico, o contato social que o aluno terá com o professor e a segurança, pois, não basta que o aluno esteja seguro e sim que ele se sinta seguro.

A boa adaptação ao meio líquido dependerá principalmente da relação aluno e água, sendo resultado da maneira pela qual a aproximaram do meio líquido e do tempo que lhe concederam para brincar caso criança.

Ao entrar em uma escola de natação, as pessoas se deparam com um mundo novo, cheio de novidades, e quando crianças, principalmente no aspecto afetivo, onde entrar na água (natação) implica na separação dos pais e em novas formas de adaptação social em razão da necessária integração a um grupo novo.

O professor deverá compreender que está de frente a uma psicologia complexa de crescimento e desenvolvimento, a qual necessita de condições únicas e especiais. Deve-se respeitar a adaptação individual da cada pessoa. Ou seja, o professor deve fazer com que a instrução acompanhe o nível de desenvolvimento do aluno, ou seja, não exigir que aprendam habilidades específicas, antes que tenham desenvolvido capacidades específicas de pensamento lógico que são pré-requisitos para compreensão daquela aprendizagem específica.

Veremos nesse trabalho, alguns exercícios e conhecimentos básicos de adaptação à água, de forma que o professor de natação ( educação física ) possa ter consciência da informação a ser dada ao seu aluno, com o intuito de não causar, muitas vezes, danos psicológicos nos mesmos.

É importante salientar, que a adaptação se diferencia em cada caso ( adulto, criança, idosos, etc... ), sendo imprescindível um cuidado especial com crianças e idosos, tendo um contato imediato com os pais ( no caso das crianças ) para saber os seus propósitos e definições desse " novo " meio de educação na qual a criança deverá se adaptar.

Na fase de adaptação devemos dar confiança ao aluno, afim de que ele aprenda a dominar este meio, deslocando-se e movimentando-se com facilidade.

As adaptações:

1. ADAPTAÇÃO PSICOLÓGICA: visa familiarizar o aluno ao meio líquido de uma maneira mais lúdica, através de jogos e brincadeiras que busquem contato direto com a água.

2. ADAPTAÇÃO FISIOLÓGICA: visa ambientar o aluno a partir da imersão (mergulho) do rosto e/ou cabeça. Nesta fase, inicia a respiração principalmente a expiração que favorece tremendamente o acesso ao fundo. Esta fase depende muito de um bom trabalho durante a fase de adaptação psicológica.


Exercícios Para Adaptação ao Meio Líquido

Exercícios para quem nunca entrou na água, ou tem medo da mesma: Para ambos os exercícios de adaptação ao meio líquido ( com o sem experiência na água ) o professor deverá te consciência da profundidade da piscina, conservação da mesma, altura do aluno e exame médico atualizado afim de evitar transtornos posteriores.

1. Com o auxílio do professor, o aluno sentará na borda da piscina com as pernas dentro d’água sem movimentá-las:

2. Idem ao exercício anterior, sendo que agora o aluno movimentará as pernas com o auxílio do professor:

3. Será pedido que o aluno repita o mesmo movimento sozinho, estando o professor dentro d’água:

4. Em decúbito