Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Adjetivos

Trabalho por Leandro Rodrigues Melo, estudante de Letras @ , Em 09/01/2007

5

Tamanho da fonte: a- A+

ADJETIVOS

2006

INTRODUÇÃO

Como veremos, há várias definições para a classe do adjetivo. Neste trabalho, três definições serão expostas. No entanto, é importante salientar que há muitas outras, uma vez que a classe do adjetivo é muito rica e são muitos os que a estudam.

No trabalho em questão, a nossa preocupação será apenas a de expor diferentes definições desta classe de palavra: mostrar a visão de autores diversos, sem a preocupação de eleger uma teoria ou questionar as que serão apresentadas.

Nosso intuito é o de situar o leitor sobre o que vem a ser o adjetivo, uma vez que o objetivo primário deste trabalho é uma das flexões que esta classe de palavra apresenta. Ao falarmos sobre a flexão de grau do adjetivo, deteremo-nos ao grau superlativo absoluto sintético, mostrando que o poeta Augusto dos Anjos o utiliza com freqüência e discutindo o papel que o superlativo absoluto sintético desempenha na obra do autor.


1 ADJETIVO

1.1 DEFINIÇÃO

"Palavra que caracteriza os seres ou objetos nomeados pelo substantivo, indicando-lhes uma qualidade, caráter, modo de ser ou estado"(...).

Eis a definição que o dicionário Aurélio atribui ao adjetivo. Conceituá-lo é, no entanto, uma tarefa que preocupa não apenas o lexicógrafo em questão, mas também outros estudiosos.

Analogamente temos a definição de Roberto Melo Mesquita: "Palavra variável que modifica a compreensão do substantivo, atribuindo-lhe uma qualidade, estado, modo de ser ou aparência exterior". (1990: 181)

O lingüista Joaquim Mattoso Câmara Jr, assim define a classe do adjetivo: "Pertence à classe dos adjetivos toda palavra que admita o sufixo adverbial -mente, do que resultam oposições formais entre adjetivo e advérbio". Ele coloca como exceção a essa regra os numerais ordinais pertencentes à classe recentemente criada: primeiro/primeiramente. Há ainda o caso do advérbio propriamente, que deriva do adjetivo "próprio" e não do pronome.

Para Mattoso Câmara, os adjetivos recebem os seguintes sufixos: -issimo, -érrimo e -limo, com o sentido do advérbio muito.

Sob o aspecto mórfico, José Rebouças Macambira apresenta a mesma teoria de Mattoso Câmara, acrescentando a ela duas outras exceções: os pronomes indefinidos pouco e muito, que também recebem o sufixo -íssimo.

Ainda no âmbito das exceções, Mattoso Câmara apresenta o caso do pronome demonstrativo "mesmíssimo", que , na forma coloquial, não significa "muito mesmo".

De acordo com o mesmo estudioso supracitado, os adjetivos podem ser precedidos dos advérbios tão ou quão, de acordo com o contexto. Mattoso ainda coloca que alguns substantivos se deixam também proceder, comportando-se, então, como adjetivos. Exemplifica através das expressões "tão bom" e "quão bom".

No que tange ao aspecto sintático, Mattoso destaca, dentre outros exemplos, a expressão "tão homem", que corresponde a macheza, valentia. Nesse caso, homem é um adjetivo, que adquire outra carga semântica, diversa da que apresentaria se fosse um substantivo.

Por fim, José Rebouças Macambira defende que a definição do adjetivo deve abranger os critérios morfológico, sintático e semântico: "adjetivo é a palavra variável que serve para modificar o substantivo".

1.2 FLEXÃO

A classe do adjetivo flexiona-se em gênero, número e grau.

Quanto ao gênero, entende-se a flexão do adjetivo no gênero masculino ou feminino. Por exemplo: jovem belo (masculino), jovem bela (feminino).

A flexão de número corresponde ao singular ou plural: jovem belo (singular), jovens belos (plural).

De acordo com Mattoso Câmara, os adjetivos se submetem aos graus comparativo e superlativo, sempre mediante processos derivacionais ou expedientes de

natureza sintática. Segundo ele, o comparativo pode