Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

A Importância da Ética na Educação

Trabalho por Anônima, estudante de Pedagogia @ , Em 05/07/2006

5

Tamanho da fonte: a- A+

A IMPORTÂNCIA DA ÉTICA NA EDUCAÇÃO


RESUMO

A proposta dos Parâmetros Curriculares Nacionais é que a ética – expressa na construção dos princípios de respeito mútuo, justiça, diálogo e solidariedade seja uma reflexão sobre as diversas atuações humanas e que a escola considere o convívio escolar como base para aprendizagem, não havendo descompasso entre "o que diz" e "o que faz". Assim, o tema transversal Ética, traz a proposta de que a escola realize um trabalho que possibilite o desenvolvimento da autonomia moral. No convívio escolar, o aluno pode aprender a resolver conflitos em situações de diálogo, pode aprender a ser solidário ao ajudar e ao ser ajudado, pode aprender a ser democrático quanto tem oportunidade de dizer o que pensa, submeta suas idéias ao juízo dos demais e saber ouvir as idéias ao juízo dos demais e saber ouvir as idéias dos outros.

Palavras-Chave: Importância da Ética; Afetividade; Racionalidade.


1 INTRODUÇÃO

A Ética diz respeito às reflexões sobre as condutas humanas. A ética é muito mais complexa, geral e universal do que a moral. A moral limita-se a determinadas esferas da conduta humana, como a moral sexual, religiosa, etc. A moral é de conformidade com a época, a ética transcende a época.

Assim sendo, podemos caracterizar a moral como sendo um conjunto de normas e valores que normatizam e regulamentam o comportamento dos indivíduos e da sociedade. Aqueles que não cumprem as determinações sociais normalmente são punidos e banidos pelo grupo.

A reflexão sobre as diversas faces das condutas humanas devem fazer parte dos objetivos maiores da escola comprometido com a formação para a cidadania. Para isso foram eleitos como eixos do trabalho quatro blocos de conteúdo: respeito mútuo, justiça, diálogo e solidariedade, valores referenciados no princípio da dignidade do ser humano, um dos fundamentos da Constituição Brasileira.

Ética é colocar o homem em pé de igualdade com todos os outros homens. Segundo J.J. Rosseau, "O objetivo que nós devemos propor na educação de um jovem é o de formar-lhe o coração, o juízo e o espírito".


2 A IMPORTÂNCIA DA ÉTICA

Moral e Ética, as vezes são palavras empregadas como sinônimos: conjunto de princípios ou padrões de conduta. A palavra Ética pode também significar filosofia da moral.

Como o objetivo maior deste trabalho é justamente o de levar os alunos a pensarem suas condutas e a dos outros a partir de princípios, batizamos o presente tema de ética. Parte-se do pressuposto de que é preciso possuir critérios e mais ainda, estabelecer relações e hierarquias entre esses valores para nortear as ações em sociedade.

Serão apresentados a seguir algumas considerações norteadoras para o entendimento dos processos psicológicos presentes na legitimação de regras morais, afetividade e racionalidade..

2.1 AFETIVIDADE

Para que um indivíduo se incline a legitimar um determinado conjunto de regras, é necessário que o veja como traduzindo algo de bom para si, como dizendo respeito ao bem estar psicológico, ao que poderíamos chamar de seu "projeto de felicidade".

A dimensão afetiva de legitimação dos valores e regras morais passa, de um lado, por identificá-los como carentes com a realização de diversos projetos de vida e, de outro, pela internalização desses valores e regras enquanto valor pessoal que se procura resguardar para permanecer respeitando a si próprio.

2.2 RACIONALIDADE

Se é verdade que não há legitimação das regras morais sem investimento afetivo, é também verdade que tal legitimação não existe sem racionalidade, sem o juízo, a reflexão sobre valores e regras.

A moral pressupõe a