Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Karl Marx - Teoria Crítica-Transformadora

Trabalho por Daniele Fernanda da Silva, estudante de Pedagogia @ , Em 27/05/2006

5

Tamanho da fonte: a- A+

Karl Marx

São Carlos

2006


1- Desenvolvimento: Karl Marx – teoria crítica-transformadora

Entre os três pensadores mencionados em sociologia, Durkheim, Karl Marx e Max Weber, será abordado neste contexto o pensamento e as idéias sociológicas de Karl Marx.

Marx considerava impossível analisar a relação indivíduo sociedade separadamente e para ele o estudo da sociedade deve partir das relações sociais que os homens estabelecem entre si com o intuito de utilizar os meios de produção e transformar a natureza. Seus estudos se baseiam na sociedade capitalista e na relação capitalista e proletariado.Ele apresenta como ponto principal em sua teoria a sociologia crítica transformadora; que trás a possibilidade de transformar a sociedade capitalista positivamente. Marx aborda em sua teoria a classe trabalhadora como principal ângulo a ser atingido na presente situação social pois é nela que se encontra conceitos irrefugiaveis como: a luta de classes, o trabalho alienado, o fetiche da mercadoria onde a mesma parece ter vida própria e mito mais valor que o trabalho humano; o processo da "mais valia", onde a maior parte do lucro vai para o capital e não para o trabalhador e a relação do Estado que, por ser um órgão burguês tende a favorecer a classe burguesa em suas ações.

Para ele, a desigualdade social e todas essas questões citadas acima presentes no sistema capitalista, são conceitos abordados pelos indivíduos de forma alienada, aceitando determinadas regras pelo simples fato de não terem acesso ao real. A alienação que desde sua época tem sido empregada em vários setores da sociedade, faz com que a mesma avance cada dia que passa privilegiando o capital e estabilizando a situação do proletário, que, alienado se conforma com a situação.

Marx presume que o real instrumento a ser utilizado para a transformação da sociedade e desta situação alienadora é o conhecimento.

Conhecimento que, transmitido pela família ou pela escola deve ser consciente da realidade social e crítico, alertando o indivíduo desde as séries iniciais sobre a sociedade; pois a criança, que futuramente será o trabalhador, é quem poderá historicamente, transformar a sociedade.

O ensino no entanto é o instrumento para o conhecimento, ou seja, o grande potencial da educação para mudar a sociedade é o conhecimento. Essa atividade intelectual deve ser integrada ao ensino e a prática, para assim eliminar a alienação e a unilateralidade que se faz presente na educação.Conforme afirma Gadotti (1984) "A integração entre ensino e trabalho constitui-se de maneira de sair da alienação crescente, reunificando o homem com a sociedade".

Para que a educação seja transformadora, Marx propõe que a educação seja baseada na concepção de educação politécnica, na qual ele defende a integração de uma educação humanista, tecnológica e corporal. Para ele, a educação na sociedade capitalista, nada mais é do que um elemento de manutenção da hierarquia social, no qual o sistema educativo se fixa na reprodução, exclusão e dominação do sistema dominante, por isso essa proposta de uma educação politécnica, na qual o ensino, que é o instrumento para o conhecimento e a transformação da sociedade; é quem revolucionaria a educação e conseqüentemente a situação social.

Tendo um processo educativo pautado em um processo político pedgógico voltado aos interesses da grande maioria, o proletariado receberá desde o início o despertar de sua consciência, podendo compreender as classes e a política, vindo a se tornar um ser capaz de inserir-se na sociedade e transformá-la (ao invés de adaptar-se a ela de forma alienada).

A escola e os educadores são essenciais para a construção da consciência de classe do trabalhador e a compreensão de uma possível transformação da sociedade.