Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Globalização e Impactos na Economia brasileira

Trabalho por Enaura Antinossi, estudante de Contabilidade @ , Em 16/05/2006

5

Tamanho da fonte: a- A+

GLOBALIZAÇÃO


1. INTRODUÇÃO

De caráter inesgotável sobre as vantagens e desvantagens, sem um mínimo de definição de quando teve início e, com conceitos diversos e difusos, a globalização provoca os mais acalorados debates entre acadêmicos ou pessoas de mais singela instrução formal.

É certo que desde a antigüidade povos de diversas regiões já sofriam o fenômeno e num rápido giro pela história podemos observar que o continente africano era dominado pelos egípcios, os romanos sempre a buscar estender seus domínios territoriais e um pouco mais adiante os portugueses se lançando à descoberta de novas e melhores rotas para comercialização da produção de ambos. Todas essas buscas de expansão territorial e exploração de mercados novos já se constituíam em ações de globalização.

Ainda na trajetória dos fatos, ficou notado a crise no século XIX, do Imperialismo, quando as fábricas produziam mais que se consumia, fazendo com que países europeus e outras potências de hoje procurassem novos mercados para escoamento da sua grande produção e também capitais. E daí em diante não parou mais.

O termo globalização, propriamente dito, teve surgimento em meados da década de 80, com o conceito de ser a união de todos os países em busca de crescimento e desenvolvimento econômico, com a geração de riquezas que beneficiassem a todos. Mas, segundo Lázaro Curvelo Chaves, o conceito depende do ponto de vista do globalizado ou do globalizador, como bem fala: "Do ponto de vista do globalizador pode ser definida como o processo de internacionalização das práticas capitalistas, com forte tendência à diminuição – ou mesmo desaparecimento – das barreiras alfandegárias; liberdade total para o fluxo de Capital no mundo".

De forma mais simples, o articulista econômico Manoel Ruiz sintetiza, dando equivalência aos conceitos de globalização e mundialização: "é a interdependência de todos os povos e países dos nosso planeta..."

Com posição contrária ou a favor, o certo é que todos, indistintamente, sofrem os seus efeitos, benéficos ou maléficos, o que mantém discussões em permanente pauta, como veremos em algumas opiniões a seguir.


2. CONSEQÜÊNCIAS DA GLOBALIZAÇÃO

É de suma importância saber que a questão da globalização não está apenas ligada à economia, mas também influência no Estado, ou seja, este é "modificado" para que as exigências globais sejam cumpridas. Isto quer dizer que tanto a opinião pública internacional quanto o comportamento dos mercados, passaram a desempenhar funções que antes não tinham na redefinição dos limites possíveis de ação do Estado.

Os países e seus líderes, estão sob vigilância constante da opinião pública internacional, sendo assim qualquer passo em falso poderá resultar em penalidades para estes países.

Um outro aspecto mudado no Estado em função da globalização, foi o de que suas ações governamentais deverão ser dirigidas agora para fazer com que as economias nacionais sustentem e desenvolvam condições para competir em escala global. Isso resulta na canalização de recursos para setores vitais do Estado como a educação, saúde e, este também, tem que estar preparados para assar para a mão de privados empresas antes administradas pelo Estado. Dessa forma acredita-se estar contribuindo para uma promoção de maior igualdade de oportunidades, aumentando o grau de mobilidade social.

Por isso, este Estado precisa ser ainda mais forte no desempenho de suas tarefas sociais e melhor preparado para regulamentar as atividades recentemente privatizadas.

2.1 PONTOS POSITIVOS E NEGATIVOS

Como ponto positivo, temos o aumento da velocidade da informação e a disseminação do conhecimento e da tecnologia, já como pontos negativos ela aponta a fragilidade da economia e o aumento das desigualdades. Com mais de meio século e com o fruto