Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

O Papel do Enfermeiro na Pediatria

Trabalho por Lizandra Inhasz Andrade, estudante de Enfermagem @ , Em 27/04/2006

5

Tamanho da fonte: a- A+

O PAPEL DO ENFERMEIRO NA PEDIATRIA


PEDIATRIA – é a especialidade médica dedicada às doenças da criança de 1 mês até 12 anos, em alguns hospitais está idade pode se estender até os 15 anos ou mais. É o estudo das doenças das crianças. Não se trata de "medicina geral" aplicada à infância, já que esta apresenta certas patologias específicas.

Trata-se de uma especialidade peculiar:

  • Pelo nº de pessoas a quem se dirige;
  • Pela característica de constante desenvolvimento de tais pessoas;
  • Pelo conjunto de disciplinas médicas adaptadas à infância;
  • Pelo fator "PREVENÇÃO", tão importante na Pediatria.

Algumas definições devem ser conhecidas:

PUERICULTURA – É o estudo dos cuidados necessários para com o lactente e os problemas daí oriundos.


FASES DA CRIANÇA

Recém-nascido/Neonato – corresponde à criança do nascimento ao 28º dia de vida, inclusive.

Lactente – do 29º dia até completar 1 ano.

1ª Infância – de 1 ano até a escolaridade 7 anos.

2ª Infância de 7 anos até a puberdade, a qual corresponde do ao início da adolescência aproximadamente 12 anos, variando a correspondência entre as idades cronológica e legal.


ÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO

  • Clínica pediátrica
  • Pronto Socorro Infantil
  • Berçário
  • UTI Neonatal
  • UTI Pediátrica
  • Maternidade
  • Bancos de Leite Humano


REQUISITOS PARA O PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM QUE PRETENDE TRABALHAR EM UNIDADES DE ATENDIMENTO MATERNO-INFANTIL

  • Ser experiente e convicto – para assim poder transmitir confiança para as mães, pais e a criança;
  • Ter facilidade de relacionamento – É imprescindível uma perfeita integração da enfermagem com os demais profissionais da saúde materno-infantil, de maneira que todos, falando a mesma linguagem, estabeleçam através de uma única diretriz a segurança necessária para o atendimento à criança.
  • Ter atitude de apoio – Estar disposto e capacitado para reduzir o temor e tranqüilizar tanto os pais como a criança.
  • Ser encorajador – A mãe aprenderá corretamente e adquirirá segurança no desempenho de suas ações e cuidados com o filho.
  • Ser comunicativo e gostar de ensinar –
  • Ser prestativo – Atender a mãe, os familiares e a comunidade sempre que estes solicitarem ou demonstrarem medo ou insegurança.
  • Ser compreensivo.
  • Ser perseverante e paciente.
  • Ter perseverança e coragem.


FUNÇÕES DO ENFERMEIRO

FUNÇÃO ADMINISTRATIVA – O profissional enfermeiro deve assumir a função administrativa de unidades que prestam assistência direta e ou indiretamente à mulher e a criança como : maternidades, sistema de alojamento conjunto, unidades de pediatria, bancos de leite humano. Existem aspectos próprios da enfermagem que, como líder, não pode delegar a outrem:

  • Seleção de pessoal de enfermagem;
  • Elaboração de rotinas e técnicas de enfermagem;
  • Aquisição de recursos materiais específicos.

FUNÇÃO ASSISTENCIAL – Esta função compete à enfermagem, pois o que caracteriza a enfermagem é a assistência ao ser humano. A enfermeira faz e ensina como fazer.

FUNÇÃO DOCENTE – O profissional enfermeiro é um educador em potencial. Ele elabora, executa e avalia programas. Promove discussões em grupo com relatos de experiência. A orientação pode ser individual ou coletiva, mas, deve ser dada a todos os elementos da equipe para evitar dualidade de informações ou de condutas.

FUNÇÃO INVESTIGATIVA/AVALIATIVA – O profissional de enfermagem deve pesquisar, constantemente a validade:

  • das atividades da enfermagem;
  • validade dos programas e dos projetos;
  • dos cursos internos;
  • da participação/ troca de experiências de seus funcionários;
  • do cumprimento de leis (Ex: linguagem mundial sobre o aleitamento materno);
  • Integração e formas de integralização da equipe multiprofissional.