Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Estudos do Incentivos Salariais

Trabalho por Weslei Soares da Silva, estudante de Administração @ , Em 26/04/2006

5

Tamanho da fonte: a- A+

TAYLOR E A ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA


As idéias inovadoras de Frederick Wislow Taylor, formaram a base da administração cientifica.

Taylor que iniciou sua vida profissional como operário, passou por varias funções fabris esse formou como engenheiro. Neste período estava em alta o pagamento por peça ou por tarefa, e os operários reduziam seu ritmo de produção, procurando balancear, desta forma, o pagamento por peça que determinavam os patrões. Isto levou Taylor e seus seguidores a estudar os problemas de produção nos mínimos detalhes, pois não queria decepcionar seus patrões e seus colegas. Taylor iniciou suas experiências e estudos pelos operários (chão de fabrica). Os estudos de Taylor podem ser divididos em dois períodos fundamentais.


1º PERÍODO DE TAYLOR – (SHOP MANAGEMENT)

Neste período Taylor se preocupou exclusivamente com as técnicas de racionalização do trabalho do operário, fazendo um profundo estudo dos Tempos e Movimentos (Motion-Time Study), ele conclui que os operários produziam muito menos do que eram capazes, que os operários, mas predisposto à produtividade percebiam que tinham a mesma remuneração dos colegas menos disposto.


2º PERÍODO DE TAYLOR – (ADMINISTRAÇÃO CIENTIFICA)

Corresponde à época da publicação do segundo livro Princípios da Administração Científica (1911), quando conclui que a racionalização do trabalho operário deveria ser acompanhada de uma estrutural geral da empresa, que tornasse coerente e possível a aplicação de seus princípios. Taylor descreve que as empresas da época sofrem com alguns males; abaixo descritos:

  • Vadiagem Sistemática por parte dos operários;
  • Desconhecimento das rotinas de trabalho e o tempo necessário para sua execução;
  • Falta de uniformidade das técnicas ou métodos de trabalho.

Estes dados divulgados neste livro foram fundamentais para a realização da O.R.T, como será exposto a seguir.


ORGANIZAÇÃO RACIONAL DO TRABALHO (O.R.T)

Segundo as analises dos estudos feitos por Taylor e seus seguidores, principalmente Frank Gilbreth, para se aumentar a produtividade dos operários, seria necessário a implantação de um processo que elimina-se o tempo gasto pelos operários inutilmente, tempo este que não eram destinados a produção e "melhorias" no ambiente de trabalho, como reorganização de maquinas e ferramentas, visando o aumento de produção e conseqüentemente aumento do lucro dos patrões. Neste estudo Taylor se deparou com uma grande dificuldade na época como avaliar e remunerar os funcionários; Na busca desta avaliação foi criado o estudo de tempos e movimentos, estudo este que identificou os movimentos dispensáveis na produção, Taylor eliminou estes movimentos e criou o tempo-padrão, que analisava o aproveitamento da mão de obra dos funcionários, de posse destes dados Taylor pôde criar uma meta mínima diária de produção.

Mas Taylor percebeu que os operários só produziam o que era imposto e que era necessário incentiva-los para aumentar a produção, aí foi criado o Incentivo salarial e a premiação de produção.


INCENTIVOS SALARIAIS E PREMIOS DE PRODUÇÃO

Os incentivos salariais e a premiação de produção foram preocupações e necessidades que visavam o crescimento das empresas, pois a relação entre empregados e patrões era desenvolvida sem nenhum critério de qualificação e remuneração do trabalhador dentro da organização. A idéia básica era que a remuneração baseada no tempo (empregados mensalistas, diaristas ou horistas), não estimulava ninguém a trabalhar mais e deveria se substituída por remuneração baseada na produção de cada operário (salário por peça), com a estipulação do tempo-padrão o operário seria pago conforme sua produção, quem produz menos ganha menos, quem produz mais seria remunerado de acordo com a sua produção. Ficou estipulado que o que fosse produzido acima dos 100%, ou seja, do tempo padrão, a produção destas peças seriam acrescidas na remuneração como um prêmio de produção, que se elevava de acordo com a eficiência do operário. A implantação da administração cientifica levou o operário americano a ser um dos operários