Fazer pesquisa em uma ou mais carreiras específicas:

Administração Agronomia Arquitetura Arquivologia Arte Astronomia Biblioteconomia Biologia
Bioquímica Cinema Ciências Sociais Colegial Comunicação Contabilidade Desenho Industrial Direito
Diversos Economia Educação Física Enfermagem Engenharia Estatística Farmácia Filosofia
Fisioterapia Fonoaudiologia Geografia História Hotelaria Informática Letras Marketing
Medicina Nutrição Odontologia Pedagogia Produção Cultural Psicologia Química Rel. Internacionais
Secretariado Executivo Serviço Social Terapia Ocupacional Turismo Veterinária Zootecnia


Compartilhe

Tag Cloud

Níveis Administrativos

Trabalho por Marcos Roberto Perino, estudante de Administração @ , Em 06/04/2006

5

Tamanho da fonte: a- A+

NÍVEIS ADMINISTRATIVOS

São Caetano do Sul

2005


1. LIMITES E IMPLICAÇÕES

Todo processo organizacional, quando no intuito de departamentalizar uma empresa, esbarra sempre no problema da divisão de trabalho, onde fica difícil fixar os diversos níveis hierárquicos, em relação à responsabilidade e autoridade. Só para se ter uma idéia, organizações de grande porte podem ter mais de 10 escalões entre o nível de execução e direção. Mas, todas as categorias podem ser reunidas em apenas quatro níveis, chamados de níveis administrativos, onde tanto nos níveis mais baixos quanto nos níveis superiores podem existir comportamentos que não ajudam a organização a alcançar suas metas (neutro) e comportamentos que vão contra o alcance dos objetivos da mesma (negativo), tais como: apatia, não – envolvimento e esquiva de deveres (níveis mais baixos) e conformismo, desconfiança e tomadas de decisões ineficazes (níveis superiores).

Comportamento neutro e negativo são necessários, visualizando a função do incorreto planejamento da organização.

A organização precisa ter a sensibilidade para minimizar as situações indesejáveis, senão terá que concentrar esforços em sua manutenção e não apresentação à alta administração.


2. ORGANOGRAMA

Figura 1 - Modelo Teórico. Níveis administrativos: da administração estratégica.

Figura 2 - Modelo Teórico - Níveis administrativos: da administração de cúpula às bases de supervisão.

Para que cada indivíduo possa compreender as suas atribuições e responsabilidades administrativas dentro da organização de uma forma clara, basta olhar para o organograma onde podemos analisar a estrutura de uma organização.

As organizações possuem sete tipos de hierarquias diferentes que podem ser divididas em quatro níveis administrativos que possuem características típicas em função de suas atribuições e responsabilidades próprias de seu nível.

A colocação das figuras deve ser proporcional a sua importância hierárquica e no mesmo nível quando a sua importância for igual.

A parte superior da organização pode ser constituída de um ou dois órgãos:

  • Encarregado das decisões políticas
  • Implementação das decisões

O órgão de staff não obedece a principio escalar, nem possui autoridade de comando em relação aos órgãos de linha, é inferior ao da autoridade a que esta ligada, funcionando como um conselheiro, orientador, fazendo-se um especialista na área onde atua.

Grandes organizações adotavam o colegiado, onde decisões são tomadas em grupos.


3. ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA

Este nível, também conhecido como alta administração é o nível onde envolve as decisões sobre fins, definições dos objetivos da organização e o planejamento estratégico. É o nível que define "o que fazer".

Na década de 70 diversas empresas nos países centricos, institucionalizaram um tipo de planejamento, em virtude de envolver a organização como um todo e seu respectivo ambiente, já como conseqüência das idéias iniciais da abordagem contingêncial, estão engatilhadas.

O planejamento estratégico tem enfrentado problemas de implementação, assim como a administração por objetivos, ambos passam por esses problemas devido a não preparação de todos os níveis gerenciais para o processo. Mesmo que esta implementação seja de responsabilidade da administração estratégica todos os níveis devem ter sua consciência e participar da elaboração.

A atuação da administração estratégica orientada para acompanhar a conseqüência das mudanças, tendo que prever as suas ocorrências e também tendo em vista as medidas preventivas necessárias.

Nesse nível, tem que estar sempre visando a elevação máxima da produtividade através de uma ênfase racional. O administrador deve estar sempre a par do que está acontecendo, portanto grande parte do seu tempo na empresa deve ser gasto em leituras de relatórios, planejamentos, ponderação e informações. Normalmente